Chegamos ao dia de hoje vendo o rival comemorar mais um título e o SP brigando pra não cair. Mesmo escapando do rebaixamento no campo, estamos rebaixados fora dele. Não precisava ser vidente pra adivinhar como seria o nosso ano, vide o texto feito por mim antes do Campeonato  Brasileiro começar https://saopaulo.blog/2017/05/14/existe-luz-no-fim-do-tunel-no-sao-paulo/ . Adoraria estar errado, mas enquanto Leco for presidente não poderemos esperar mais do que isso.

Havia um sopro de esperança no novo Estatuto, mas Leco e seus pares passaram por cima dele, sobretudo no Artigo 124, que exige que o ocupante de cargo executivo tenha notório saber na área a ser escolhida. Pois bem, para executivo de futebol, Leco indicou Pinotti, cujo saber  foi ter jogado no Arquidiocesano. Como pode um  clube do tamanho do SP ter no cargo máximo do futebol, um neófito?

A gestão do futebol é a pior possível. Não tem uma diretriz, um perfil daquilo que se almeja. Quantos diretores estatutários, gerentes, executivos passaram pelo clube? E técnicos? O elenco sofre mudanças contínuas, impossibilitando um mínimo de padrão de jogo. A quem interessa a alta rotatividade no elenco? Quem se beneficia com o comissionamento gerado pelas transferências?

Leco, de forma esperta se utiliza da imagem dos √≠dolos e¬†quando estes j√° n√£o servem, os¬†descarta. Fez isso com¬†Rog√©rio Ceni. Contratou um¬†√≠dolo, sem experi√™ncia e sem ter terminado os cursos que o mesmo havia planejado fazer.¬†Mas passou por cima disso, pois havia uma elei√ß√£o a ser disputada e com Ceni, Leco ganhou a arquibancada e importantes votos no Conselho. Ele venceu a elei√ß√£o, vendeu v√°rios jogadores, os resultados n√£o vieram e Ceni foi mandado embora recebendo 5 milh√Ķes¬†de multa. Depois se eximiu dos resultados ruins e colocou tudo nas costas de Rog√©rio.

Cresce nas redes sociais o descontentamento com Leco, face tudo de ruim que ele tem feito. Em meio a isso, alguns blogueiros e torcedores profissionais criticam jogadores, treinadores e isentam o presidente. A livre manifestação de pensamento, garantida na Constituição de 1988, tem sido exercido por movimentos que pedem a saída de Leco, amparado na incompetência do mesmo. Infelizmente, quem critica essa gestão ridícula é chamado de politiqueiro.

Quem critica essa administração quer o bem do clube e não se conforma com a sua decadência moral, esportiva e institucional. Somos desrespeitados pela mídia, prejudicados no bastidor, temos um conselho omisso. Faltam 1141 dias para o fim de mandato de Leco. O que será do SP se esse senhor ficar até o fim do mandato? Não se iludam, enquanto Leco for o presidente seremos um time mediano. Venderão jovens promissores de Cotia e contratarão jogadores discutíveis ligados a Fernando Garcia e Eduardo Uram. Lotaremos o Morumbi pra tirar o time do rebaixamento, iremos falar que time grande não cai, vamos celebrar recordes secundários e não títulos.

Com Leco, todos os dias serão iguais, tal qual o feitiço do tempo.

Martin Luther King certa vez disse ” O que me preocupa n√£o √© ogrito dos maus. √Č o sil√™ncio dos bons”.

Os bons precisam gritar: #ForaLeco
Rafael de Albuquerque