Ha muito tempo quero escrever este texto, entendo que o assunto de política, por vezes é complicado de ser tratado, pois pode se tornar  absolutamente cansativo, mas o ano de 2017 está terminando e fico com a sensação que tive em todos os anos desde que comecei a escrever textos em 2013: a de frustração, frustração aliás que dominou os sentimentos de todo o torcedor tricolor, que vê nossos adversários ganharem títulos enquanto o São Paulo é sempre um mero coadjuvante que em dois anos seguidos onde luta para não cair e não é por falta de aviso, o São Paulo prefere ficar em seu mundo particular, não percebendo que todos os times absorveram os segredos do sucesso do planejamento tricolor e cujos meios de planejamento já não são  mais eficientes quando não são superados.

–

Leco, o presidente tricolor sempre quis dirigir o time do Morumbi, esteve em praticamente todas as diretorias desde os anos 80, onde ocupou cargos de diretor jurídico, advogado de formação se caracterizou por planejar 2017 pensando apenas na sua eleição, fez uma contratação de um técnico que é ídolo da torcida, Rogério Ceni, trazendo um jogador muito diferenciado Lucas Pratto, mas outras contratações sendo a pedido de Rogério Ceni ou não se revelaram extremamente fracassadas,jogadores como: Neilton, Cicero, Douglas, fora jogadores que vieram da base campeã de André Jardine, mas logo entraram na feira livre de Leco que resolveu vender cada um deles: David Neres, Luis Araujo, jogadores que poderiam ser muito promissores no ano tricolor, mas foram moeda de troca para Leco pagar as dívidas intermináveis do São Paulo,outros como: Lucas Fernandes, Shaylon não disseram a que vieram, apostas erradas de um presidente que fez um planejamento frustrado e fracassado com vendas de jogadores no meio de disputa de competições.

–

Campanha ruim, eliminações na Copa do Brasil e a mais vergonhosa do ano: a da Sul Americana contra o Defensa Y Justicia, enquanto o São Paulo ia sendo eliminado, eliminações e vexames aconteceram em série , uma sensação de  mais do mesmo de outros anos e outros planejamentos errados, quando a corda começou a roer pro seu lado, Leco resolveu demitir Rogério Ceni, já que o verdadeiro desmanche promovido por Leco foi muito pior para o trabalho do inexperiente técnico, Leco ao ser eleito, chamou Vinicius Pinotti, credor do clube e que tinha feito um trabalho razoável no marketing, para ser diretor de futebol, ou seja foi a mesma situação que JJ fez em 2013 e quase levou o clube ao buraco, colocar alguém que não entende nada de futebol foi outro erro enorme de Leco, Vinicius Pinotti foi o Adalberto Batista de 2017, um péssimo administrador de grupo, cuja “consultoria” externa de Muricy precisou se fazer presente para começar a melhorar algumas coisas no grupo dentre os quais o mau relacionamento dos jogadores,dentre eles um desentendimento que se tornou público entre Cueva e Rodrigo Caio.

–

Leco sempre teve uma postura de que não tenho a nada  a ver com os problemas do time, ao dar entrevista tempos após a demissão do treinador, afirmou que “”Não posso dizer que me arrependi, porque fiz de uma forma consciente e refletida, embora naquele primeiro momento questionasse se ele já estava em condições de assumir. Mas tantas e tão fortes foram as colocações dele de que estava pronto que eu me convenci, e fiz aquilo que acho que ninguém evitaria fazer, que era trazê-lo. Trouxemos, demos todas as condições, prestigiamos o projeto. Dei tudo e um pouco mais. Dei tudo e ainda dei o Pratto, que todo mundo queria. Infelizmente não deu certo.”, uma postura lamentável do presidente São Paulino que teve sim sua parcela enorme no insucesso da administração de Rogério no time e na campanha do São Paulo que só se viu livre graças a torcida maravilhosa que carregou o time nas costas tão bem destacado no texto de nossa amiga Vicktoria abaixo do meu,por exemplo.

–

A verdade é que Ceni nunca teve estrutura por trás pra desenvolver o seu trabalho, seu auxiliar Michael Beale acusou o clube de um planejamento amador, quando saiu da equipe; Logo no começo da temporada o São Paulo não teve sequer um diretor de futebol, cargo ocupado por gente inexpressiva como José Jacobson Neto que não tem folha corrida nenhuma em matéria de experiência de futebol, com a administração Pinotti para arrumar o time que ficou muito fraco chegaram alguns jogadores dentre eles Hernanes que virou o principal jogador do São Paulo e do futebol Brasileiro e que somados a Petros, Arboleda, Marcos Guilherme até melhoraram o nível do time, mas que não foram capazes de dar ao técnico Dorival Junior,contratado em substituição a Rogério Ceni, um time capaz de disputar o título do único torneio que o São Paulo disputou,o Brasileirão que o São Paulo disputou no segundo semestre e foi um tormento para o torcedor tricolor, passando quase quatro meses na zona do rebaixamento.

–

São erros que vamos ser sinceros não podem ser esquecidos, nenhum time pode dar certo sendo montado no meio do ano e que aumentam a sensação de que nada vai mudar em 2018, que o São Paulo vai continuar sendo uma equipe confusa e mal gerida, o São Paulo tem um dirigente que lembra os piores dirigentes de nossos adversários como Mustafá Contursi e que só trouxeram prejuízo ao time enquanto se mantiveram no poder, Leco é um dos piores, senão o mais incompetente diretor/presidente que já passou pelo São Paulo e vai precisar mudar muito a má impressão que passa a todo o torcedor tricolor.

–

2017 foi uma sucessão de erros do presidente São Paulino, erros que sinceramente não são possíveis de acontecer novamente, Dorival Junior não tivesse a ajuda e a consultoria de Muricy por trás, talvez não tivesse sucesso em tirar o time do z4, a torcida maravilhosa que carregou o time nas costas não merece ter dirigentes tão incompetentes e que planejam tão mal a estrutura do clube, o mínimo que todo torcedor se acostumou a ver e espera acontecer são times que disputam títulos e com jogadores comprometidos com a história e com a importância do clube, os dois pontos que ainda faltam e podem acontecer hj contra o Grêmio, são para serem mostrados ao torcedor que o que conseguimos na temporada é muito pouco, o São Paulo não pode ser coadjuvante no futebol brasileiro jamais.

–

Grande Abraço a Todos!

Fernando Cruz