Prezados amigos do Blog,

Estive uns tempos longe do futebol por raz√Ķes de emprego, estudos, viagem para fora do Brasil etc. Mas este espa√ßo que o nosso anfitri√£o Zanquetta oferece foi, para mim, um dos mais equilibrados, organizados e apaixonados que consegui encontrar a respeito das perip√©cias do nosso Mais Querido S√£o Paulo Futebol Clube, desde uns dez anos atr√°s. Na minha fam√≠lia convivo com todas as quatro grandes torcidas do estado, ent√£o brincadeiras e enche√ß√Ķes s√£o parte do dia-a-dia. Ganhamos de todos eles com um estilo de jogo muito pouco pretencioso, mas altamente competitivo e pragm√°tico, durante anos. N√≥s consolidamos esse estilo vitorioso com as campanhas de 2005 a 2010. O S√£o Paulo sempre jogou assim, talvez grandes exce√ß√Ķes (no estilo de jogo) sejam o Cilinho e o Tel√™ (aqueles que acompanharam o Tricolor antes, por favor, me corrijam se eu estiver errado). Atualmente, todo mundo joga que nem o S√£o Paulo (ou pior) e ganha(!), e n√≥s perdemos. Que inferno! Por isso volto aqui, porque os dias n√£o est√£o bons para os s√£o-paulinos. E, ao longo deste ano, convenci-me de que a nossa luta √© contra o rebaixamento. Um saco, mas temos de reconhecer, afinal as bobagens foram muitas. A seguir, tentarei resumir minhas ideias para provar que, sim, vamos ter de aguentar zoa√ß√£o, mas temos condi√ß√Ķes de permanecer na s√©rie A, e ter f√© que no pr√≥ximo ano podemos conseguir algo melhor.

1¬ļ fator: o extra-campo.

A din√Ęmica da dire√ß√£o de futebol, e mesmo aquela do clube em geral, j√° foram extensamente analisadas pelo nosso anfitri√£o Zanquetta com muita prud√™ncia e paci√™ncia. Ou seja, em meio a uma crise pol√≠tica (que tamb√©m assombra nosso pa√≠s, mas nem tanto nossos rivais no futebol), n√≥s, torcida, pagamos o pato. O que eu gostaria de dizer aqui √©: se somos culpados, s√≥ pode ser por uma suposta ‚Äúacomoda√ß√£o‚ÄĚ, porque nos acostumamos a ganhar e, nessa l√≥gica, negligenciamos a gravidade do problema. Mas, nesse ano, n√£o √© poss√≠vel virem com a hist√≥ria dos ‚Äúmodinhas‚ÄĚ que prejudicam. Os melhores jogos que a equipe fez chamou a torcida para o Morumbi, √© verdade, mas mesmo em jogos menores durante o Paulist√£o e a Copa do Brasil e mesmo no Brasileir√£o, o pessoal est√° fazendo uma festa incr√≠vel, uma demonstra√ß√£o de amor que n√£o √© pouca coisa. ¬†Ou seja, temos torcedores o suficiente para isolar o ‚Äúproblema modinha‚ÄĚ (n√£o dependemos deles).

O problema √© que a contrata√ß√£o do Rog√©rio Ceni para t√©cnico foi um erro. Sobre isso, o que eu comento s√£o duas impress√Ķes que tive. No in√≠cio de 2017, pensei que a dire√ß√£o estava usando o Rog√©rio como escudo, pois a incompet√™ncia do departamento de futebol teria ‚Äúum anteparo‚ÄĚ gra√ßas √† presen√ßa de um √≠dolo ali no comando do time. Depois, passei a pensar em outra teoria: de que, na verdade, os diretores seguraram o Rog√©rio, mesmo capengando ap√≥s as tr√™s elimina√ß√Ķes do primeiro semestre, para queim√°-lo de prop√≥sito. Ele j√° demonstrou pretens√Ķes pol√≠ticas dentro do clube e, como os conselheiros n√£o gostam disso, tiveram a brilhante ideia de coloc√°-lo na fritura para ele se estrupiar sozinho. ‚ÄúAh, agora √© f√°cil voc√™ falar‚ÄĚ. Pois √©, j√° caiu mesmo, e quando ele chegou eu apoiei e sinceramente achei que tinha alguma chance por apostar num estilo mais ofensivo, mesmo pela renova√ß√£o. Mas o fato √© que foi um erro, e os motivos, como disse acima, foram bem repassados por este Blog ao longo do ano. Sobre a pol√≠tica de contrata√ß√£o/venda de jogadores, acho que o Blog tamb√©m j√° deu muitos esclarecimentos ao torcedor de como o clube virou um balc√£o de neg√≥cios, algo que j√° deu errado antes nos nossos rivais (e eu pensava que est√°vamos livres disso).

2¬ļ fator: comando t√©cnico

O treinador √© o Dorival Jr. Minha sugest√£o √© apoi√°-lo incondicionalmente at√© o final do ano. Mesmo que as coisas estejam feias, ser√° temer√°rio correr atr√°s de outro t√©cnico daqui para frente. Ele pegou o time sendo desmontado e assumiu com a press√£o por recupera√ß√£o. ‚ÄúPrecisa de tempo, entrosamento, bl√° bl√° bl√°‚ÄĚ. J√° sabemos disso e, ap√≥s esta janela de transfer√™ncias de agosto, o que conseguimos contratar/vender de jogadores foi o que est√° a√≠. T√≠nhamos boas op√ß√Ķes de t√©cnico no mercado no final do ano passado? N√£o sei, mas o pr√≥prio Dorival Jr. estava empregado e com perspectivas para o Santos na Libertadores. Ent√£o, o cara n√£o √© ruim e tem a vantagem de prestigiar a base. J√° tem experi√™ncia e pode ter bons resultados no Mais Querido Tricolor Paulista. Sugiro fortemente apoi√°-lo, porque se ele sair n√£o haver√° boas op√ß√Ķes (como por exemplo, na minha opini√£o, o Mano Menezes, que eu acho que vai ganhar a Copa do Brasil), a n√£o ser um ‚Äúmilagreiro de plant√£o‚ÄĚ ou algum desses treinadores que s√£o especialistas em tirar times do rebolo, mas em clubes muito menos expressivos do que o S√£o Paulo.

3¬ļ fator: em campo!

Futebol hoje em dia n√£o tem time bobo, √© um time por jogo, √© ganhar de meio a zero, esquece esse neg√≥cio de bonito. Acabou a paci√™ncia da galera e uma sequ√™ncia de vit√≥rias √© pra ontem! Ent√£o…vamos treinar o time para ter jogada de ataque, vamos escalar o time com intelig√™ncia a cada jogo, temos de ser din√Ęmicos. Obviamente sei que n√£o d√° pra ficar inventando a toda hora, precisamos de padr√£o e entrosamento. Mas o Dorival Jr. sabe disso muito melhor do que eu e j√° est√° tentando dar o entrosamento necess√°rio, protegendo a defesa e passando confian√ßa para os ‚Äúcabe√ßas‚ÄĚ do time (Cueva, Hernanes, Pratto). Trocando em mi√ļdos, o que eu acho: precisamos de resultados, ent√£o a arma√ß√£o do time vai ser jogar no contra-ataque. O Hernanes ser√° muito marcado, o Cueva e Pratto tamb√©m. Ent√£o, o meio precisa ser r√°pido e abrir jogadas para as laterais. J√° deu pra perceber que com o Jucilei e o Petros juntos, ficamos muito lentos. J√° ouvi sugest√Ķes de deslocar o Ju√ßa pra zaga, n√£o sei se d√° certo. Mas alguma inciativa precisa ter, por exemplo, sacar o Pratto e colocar o Gilberto (que tem mostrado vontade) no segundo tempo. O Maicossuel, se (e quando) voltar, seria esse companheiro de ataque para dar mais movimenta√ß√£o, ou algum outro que v√° pegando ritmo com essa ideia. Isso √© o que deu pra ver at√© agora.

Conclus√£o: vamos apoiar!

A torcida tem um papel: torcer! Se ficar pegando no p√©, vai ser dif√≠cil porque o time est√° com a confian√ßa l√° embaixo. Construir demora, destruir √© num piscar de olhos. Por isso que falei como foi importante o nosso papel at√© agora. Apoiamos e vamos continuar. N√£o podemos √© nos iludir com G-6, Sul-Americana etc. √Č chegar 2017 em 16¬ļ, mais que isso √© lucro. Triste, mas est√° muito dif√≠cil, n√£o acho que seja pensar pequeno, √© ser realista e reconhecer o clima pesado de hoje, o que tornar√° cada jogo uma batalha. Esse √© o resultado do planejamento esdr√ļxulo, que gera um c√≠rculo vicioso de derrotas e quebra de confian√ßa. Os √ļnicos capazes de apoiar incondicionalmente somos n√≥s! √Č claro, durante o jogo. Extra-campo, precisa ter muuuita cobran√ßa, e ter√°! Este Blog j√° mostrou que acompanha de perto.

Vamos lá! Vamos lá, 5 vitórias e 15 empates (pára de perder, Tricolor)!

Um grande abraço a todos

Salve o Tricolor Paulista!

Alexandre Favaro Lucchesi