Com cinco derrotas nas primeiras nove rodadas do Campeonato Brasileiro, o técnico Rogério Ceni enfrenta mais um momento turbulento no comando do São Paulo. Com o revés por 1 a 0 para o Atlético-PR nesta quarta-feira, já são quatro partidas sem vencer e a pressão aumenta enquanto o treinador precisa ajudar o time diante de tantas chegadas e saídas no elenco.

“O clube pensa em estar com o pagamento em dia, em cuidar das finan√ßas, mas tamb√©m, agora, em trazer jogadores. S√≥ que agora precisamos fazer com que eles se adaptem e que o esquema se adapte ao que eles oferecem. Talvez seja preciso mudar o sistema de jogo. Times vencedores se mant√©m com seus elencos por mais tempo, mas nesse ano, n√£o pudemos pensar assim”, lamentou o comandante s√£o-paulino.

O S√£o Paulo faz treino leve nesta quinta-feira, ainda em Curitiba, e depois retorna para a capital paulista. Ser√£o mais duas sess√Ķes de treinamento at√© o duelo de domingo, no Morumbi, contra o Fluminense. Depois, duelos fora de casa contra Flamengo e Santos. Uma sequ√™ncia perigosa e que deve fazer com que Ceni j√° aposte nas caras novas que est√£o chegando ao clube.

“Temos Denilson e Brenner, que estrearam hoje (quarta). Gosto muito ainda dos jovens que temos na base e vi muito talento no Brenner. Tem ainda o G√≥mez, que tem intensidade, sabe jogar pelo meio, mas tamb√©m pelos lados. Financeiramente, foi um neg√≥cio que valeu a pena pelo S√£o Paulo. Eu vi e gostei bastante”, ponderou, citando o argentino anunciado nesta quarta.

Al√©m de G√≥mez, Denilson e Maicosuel, j√° apresentados, o Tricolor deve integrar ao grupo nos pr√≥ximos dias os volantes Petros e Matheus Jeseus, de Betis e Ponte Preta, respectivamente, e o zagueiro Robert Arboleda, da Universidad Catolica de Quito. Por outro lado, o atacante Luiz Ara√ļjo foi vendido ao Lille, o zagueiro Maicon deve ser negociado com o Galatasaray e Luc√£o pediu para sair.

Desempenho
Na partida contra o Furac√£o, o dom√≠nio foi do Tricolor ap√≥s o gol de Wanderson logo aos tr√™s minutos. O problema √© que apenas uma – √ļltima, aos 49 minutos do segundo tempo – das chances levou real perigo √† meta de Weverton. Ainda assim, Ceni acredita que o desempenho de seus comandados tem melhorado, mas que acaba atrapalhado pela falta de confian√ßa decorrente dos maus resultados.

“Fomos dominantes, propusemos o jogo. √Äs vezes voc√™ faz um grande jogo e n√£o tem o resultado que espera, como j√° tinha sido no domingo contra o Atl√©tico0MG. √Č seguir trabalhando. Vejo brilho e vontade de vencer nesses atletas. Temos condi√ß√Ķes de conseguir as vit√≥rias o mais r√°pido poss√≠vel. Toda derrota e toda vit√≥ria trazem quest√Ķes psicol√≥gicas, sempre na confian√ßa. O que muda √© que vemos o time produzindo, crescendo. Que os jogadores acreditem na capacidade deles, acreditem que vamos subir na tabela”, analisou.

UOL