Esse era promessa: Rico

E aí, pessoal, tudo certo?

Vamos aproveitar essa pausa no futebol e relembrar outro jogador que era promessa e acabou não se concretizando…

ESSE ERA PROMESSA

E já que o assunto do momento no país é mala de dinheiro, conta na Suíça, propina, entre outras coisas, vamos relembrar de um jogador que tem tudo a ver com isso…

Leandson Dias da Silva, ou simplesmente Rico (tudo bem, admito, a piada foi péssima)

Pernambucano, destro, meia atacante, Rico iniciou sua carreira no CSA de Alagoas, depois transferiu-se para a equipe da cidade de Águas de Lindóia, seguiu para a Portuguesa Santista e, com suas boas apresentações, logo despertou a atenção do São Paulo, que contratou o jogador em 2002.

Rico disputou posição com Kaká, Renatinho, Luiz Fabiano, Reinaldo (o bom, não o lateral esquerdo, hoje na Chape) e não teve muitas chances. Em 2003, foi emprestado para a equipe da Portuguesa Santista.

No campeonato paulista de 2003, a Lusa Santista foi a surpresa do campeonato, com Rico jogando muito por lá. Acabando o campeonato, voltou ao tricolor, que aproveitou a descida da serra para trazer mais 2 jogadores: Adriano e Souza.

Em sua reintegração, formou dupla de ataque com Luis Fabiano, marcando 7 gols durante o ano, mas novamente viu a concorrência pela vaga titular ser ameaçada por 2 jogadores que vinham da base e também eram promessa: Kléber (que virou gladiador quando foi para o Palmeiras) e Diego Tardelli (que, àquela época, era o jogador que “um dia vai explodir”, mas não aconteceu durante sua passagem pelo tricolor).

Em 2004 foi vendido ao Grêmio, mas, novamente, sofria a concorrência e foi reserva de Cláudio Pitbull, artilheiro do Grêmio no campeonato brasileiro, que culminou com o rebaixamento da equipe gaúcha. Durante sua passagem pelo time tricolor gaúcho, Rico ganhou fama de polêmico, tendo sido expulso de treino e rebaixado para a equipe do Grêmio B, por deficiência técnica.

De rebaixado em 2004, Rico foi campeão catarinense em 2005, atuando pelo Criciúma, mesmo sendo reserva, jogando apenas 4 partidas e não fazendo nenhum gol.

No mesmo ano de 2005, Rico foi para o futebol do Bahrein, onde houve a grande virada em sua carreira. De coadjuvante e polêmico, virou protagonista e astro na equipe do Al-Muharraq, ganhando inclusive o título de artilheiro da Copa dos Campeões da AFC de 2008, com 19 gols marcados.

Segundo o site Futebol Interior, em uma entrevista com o jogador em 11/03/2010, apurou que, até aquele momento, em 127 partidas disputadas, Rico havia feito 117 gols, média de 0,92 gols por partida. Como comparação, Messi tem uma média de 0,82 gols por jogo e Cristiano Ronaldo, 1,04.

A ressalva é que foi no Bahrein e não na Espanha…

Após 7 anos no futebol bareinita, e com o país em grande revolta, praticamente uma guerra civil, Rico cumpriu integralmente seu contrato e se transferiu para o Náutico, que tentava sua contratação há tempos, mas esbarrava na alta multa rescisória do atleta.

Com 31 anos, metade da carreira no futebol do Bahrein, e disposto a apagar a fama de polêmico, disputou com Kieza(aquele…) e Araujo a condição de titular. Sua passagem foi curta e Rico acabou sendo dispensado da equipe pernambucana por ato de indisciplina, marcando apenas um gol e tendo pouquíssimas chances.

Ainda em 2012, após “chapéu” na equipe do Santa Cruz, o América do Rio Grande do Norte o contratou. Jogou o restante do ano de 2012 e 2013, de onde também foi dispensado devido dificuldade financeira para continuar com o jogador, apesar de ser o artilheiro da equipe no Nordestão 2013.

Com status de artilheiro no nordeste, Rico foi jogar no modesto Alecrim-RN, que montou um projeto ousado com jogadores conhecidos, como Rico e Ruy Cabeção. Foi artilheiro por lá, saindo por problemas financeiros e transferindo-se para o Vila Nova de Goiás no início de 2014, ano que o Vila foi rebaixado no estadual e no brasileiro.

Em 2015, voltou ao Bahrein, pela equipe do Al Hidd Club, da cidade de Al Hidd, e, mesmo com o país ainda em guerra, Rico tenta voltar à seus dias de fama.

Depois de 2 anos no futebol bareinita, onde jogou também na equipe do Busaiteen Club, Rico voltou este ano ao futebol paulista. Está atuando pela Portuguesa, desde o dia 27/02/2017, não tendo marcado nenhum gol ainda.

Recentemente, em meio aos maus resultados apresentados pela equipe da Portuguesa, o atleta, que atua com a camisa 17, após mais uma derrota da equipe para o Bragantino em Março, fez a seguinte declaração aos microfones do site Futebol Interior:

“Estamos jogando bem, mas os resultados não estão vindo. Falta um pouco mais de vontade. Eu fiz meu papel, correi (SIC), briguei, mas precisa que os outros façam também. Precisamos dar o máximo de nós para sairmos dessa situação”, disse o atacante.

Difícil…

Anúncios

47 comentários

  1. Boa noite Cleiton! Sempre com ótimas colunas!
    Lembro bem do Rico…Fez uma boa dupla com o Souza na Portuguesa Santista, no São Paulo, como você bem disse, foi a promessa que nunca decolou.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Lembro de um jogo no Morumbi em que o L.Fabiano não pôde jogar e ele jogou, inclusive marcando gol.

    Na comemoração, pulou a placa de publicidade e foi até um orelhão que ficava atrás do gol, simular uma ligação telefônica kkkkk. Dizem que ele falou ao telefone “Favela, esse gol é pra você”, dedicando o gol ao Fabuloso.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Por falar em promessa dizem que o Boca desistiu oficialmente de contratar o Centurion.
    Falam que às confusões fora de campo ajudaram muito na decisão.

    Curtir

  4. Assisti o jogo do atlético Mineiro contra o Paraná. Além do Leo nosso que veio da nossa base que jogou mto no gol me chamou a atenção o Guilherme biteco, irmão do biteco que morreu no acidente da chape. O cara parece que eh bola

    Curtir

    • Leo está muito bem no Paraná. Prova que dar chances à base é o futuro.

      Sinceramente, não consigo entender essa dificuldade que se tem no tricolor de valorizar a base. Sei que a pressão é grande sobre o clube, mas, SEM DINHEIRO e com uma geração tão técnica e vitoriosa na base, era o momento de colocar os garotos para jogar.

      Temos dois goleiros de nível muito bom (Leo e Lucas Perri), mas gastamos fortunas com Denis e Sidão (até entendo o Sidão, mas o Denis?!).

      A lateral direita da base não é tão boa, mas Auro e foguete, no mínimo, teriam rendimento igual ao de Bruno (salário alto). A esquerda, tem Junior de titular, mas não foi política de valorização, foi falta de opção mesmo. O pior é desgastar demais o garoto, que não tem ninguém para alternar jogos com ele (treinador não coloca ninguém, ao menos).

      Temos três volantes muito bons na base: Militão (zagueiro e primeiro volante), Araruna (segundo volante mas pode fazer primeiro) e Arthur (segundo volante). Mas também lhes faltam oportunidades.

      O mesmo se fale em relação a Shaylon e Lucas Fernandes (meias de muita técnica) ou de Natel e Murilo (meias atacantes rápidos, habilidosos e com boa finalização).

      Fico me perguntando o porquê de não terem oportunidades efetivas (não precisa ser titular, basta ir entrando constantemente nos jogos e começando algumas partidas, até os dar descanso aos titulares).

      Economizariamos muito sem jogadores como Denis, Bruno, Wesley, Neilton etc..

      Curtido por 1 pessoa

      • Assino em baixo, ainda mais agora nessa situação… tudo conspira pra isso, para a utilização da base… Nesse ponto que não entendo o RC, justo ele que é cria da base tbm… Sobre tática, escalação e substituição eu não concordo com ele algumas vezes, mas sempre será assim com qualquer técnico, mas a utilização da base nos moldes que o amigo alagoano sita, deveria acontecer, pois ainda é projeto, mas já está virando a única alternativa e aí é que mora o perigo…

        Estamos sem dinheiro…
        Elenco enxuto…
        Deficiência técnica em alguns setores…
        Jogadores com altos salários…
        Jogadores sem identificação com o clube…

        Todos esses problemas poderiam ser sanados… fora a maior valorização dos garotos para vendas futuras, pois estes tem maior potencial…

        Resumindo, a utilização da base só traria benefícios no cenário atual…

        Curtir

      • Essa é uma ótima questão pensando daqui pra frente. Mas as besteiras cometidas em um passado bem recente e por essa mesma gente resultaram em contratos assinados com multa e alto salário. E é bem complicado se livrar disso e empurrar jogadores como Wesley pra outros clubes.

        Pensando daqui pra frente esse seria o caminho, assim como vários já vinham falando desde o ano passado: investir em jogadores pra serem titulares e compor o elenco com a base.

        Curtir

      • Contrata-se mal e não é de agora. O modus operandi tricolor é um samba do criolo doido: chega determinado técnico com seus métodos de treinamento, sistema de de jogo e estratégia, preparador físico de confiança, escolhe a dedo alguns reforços de fora, promove dispensas e às vezes não dura 1 temporada. Vem outro, muda tudo, recomeça-se, o ciclo se reinicia.
        No geral trazem atletas que dão certo em determinada função e sistema de jogo em outros clubes e improvisam-no em outra posição desconstruindo anos de treino na posição original. Ocasionalmente paga-se muito, muitas vezes não rende, insistem, tentam usar o clube como vitrine às vezes por anos ou o mantém por lealdade do treinador que pediu sua contratação ou vira moeda de troca normalmente prejudicial ao clube ou simplesmente é liberado.
        São critérios viciados que no final interessa a muitos: o mercado gira, todos faturam felizes, torcedores se enchem de novas esperanças e o efeito colateral que são as dívidas se acumulando é deixado em 2º plano, só comentado quando ela abaixa porquê quitar que é bom requer sacrifícios que não rendem votos. Títulos são importantes mas futebol é negócio, é grana girando, egos em evidência na mídia. Atletas são descartáveis, são como ações da bolsa. Investe-se na baixa (base), negocia-se na alta e ponto final.

        Curtir

  5. Bom dia, duro é acordar com a notícia “Boca desisti da contrafação de Centurion por problemas extra campo”, imagino aqui na colônia de férias aqui….

    Curtir

  6. Sobre o Centurion, apesar do esporte interativo ter soltado essa notícia, não vi nada no olé falando que o Boca desistiu. Só vi que o técnico teve uma conversa com o jogador, não gostaram das atitudes extra-campo, mas nada oficial sobre “não ficar com o Centurion”.

    Só hoje já tem umas 3 notícias sobre ele no Olé, sendo que o cara está na página principal por causa dos problemas rs

    http://www.ole.com.ar/boca-juniors/boca-perez-sebastian_0_1801619894.html
    http://www.ole.com.ar/boca-juniors/Centurion-mira_0_1801619924.html

    Curtir

  7. Françoaldo Sena‏ @franca_08 5m5 minutes ago
    More
    Com o acerto do Éverton Ribeiro com o Flamengo, acho que o SPFC poderia ir atras do Mancuello que ficou sem espaço por lá.

    Curtir

  8. Interessante a entrevista do Pinotti ao Globo.
    Seus conceitos parecem corretos. Resta saber se ele terá capacidade de implanta-los e se os velhos vicios não serão obstáculo.
    No discurso tudo funciona direito…vamos ver na prática.

    Curtir

    • É PS… tudo muito bonito.
      mas quer ver na prática.
      Espero que ele seja esse cara pra frente que demonstra ser nas entrevistas.

      Sabendo que as contratações são orientadas pela comissão e pelo departamento de estatísticas, fico mais tranquilo.

      E o pensamento da continuidade também me agrada. Só tenho dúvidas se o Rogério é o cara certo para apostarmos na continuidade.

      Curtir

    • Sério? O que voce viu de diferente no Palmeiras do Cuca pro Palmeiras do Eduardo Batista? Ontem eu vi o jogo e o Palmeiras levou 2 bolas na trave e só não se complicou pq o Tucuman era muito ruim. Acho que a diferença está no que o Cuca representa e o que ele desperta nos jogadores que veem ele como treinador de verdade. O Ceni é só um aprendiz que foi convidado pra treinar o SPFC e aceitou. A culpa é mais de quem convidou sem pedir que ele se preparasse antes na base do clube ou de algum outro clube.

      Curtir

      • Desculpe amigo, observei diferença sim, e posso te garantir neste mesmo espaço que daqui mais 15 dias as Pepas estarão muito bem, o Cuca é simples e honesto e os jogadores gosta disso e assimilam rapidamente seu estilo de jogo, me lembro que o Fluminense tinha 90% de chances de ser rebaixado e o Fred estava na noite carioca, em 1 mês ele fechou o grupo e o time não caiu. Ontem notei o Parmera já demonstrando o que seu treinador quer.

        Curtir

    • Mesmo bla bla de sempre. …nunca tem uma formação e os titulares definidos. Aí ficam sempre esperando um jogador acima da média salvar o time. ..só tem um problema é mal treinado, quero só ver na hora do jogo.

      Curtir

  9. Leiam o post e vejam que absurdo, como o cara há anos atrás já tinha forte influência no SPFC, briga com o Preparador Físico e arma para a demissão do treinador, quanta gente boa, entre treinadores e jogadores ele deve ter fritado.

    O São Paulo FC deve muito ao treinador Cuca, cara sério e honesto, lembrando que ele ajudou e muito na formação do grupo multi-campeão de 2005, pois estava no Goiás e trouxe grandes atletas de lá.

    https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2017/05/25/briga-de-preparador-do-palmeiras-com-ceni-motivou-saida-de-cuca-do-sp.htm

    Curtir

    • “Ele [Rogério Ceni] teve uma discussão com meu preparador físico [Omar Feitosa] e eu peguei as dores do meu preparador sem saber o teor, e o teor era que ele estava totalmente errado, o meu preparador.”
      Esta lá assim.
      O time não está evoluindo tanto, todos sabem. Mas todo dia toda hora ficar cutucando o técnico.
      Daqui a pouco aparecem os links de site de fofoca falando da amante, filho fora do casamento, boi da fazenda. ..

      Não vejo a hora time engrenar ou o técnico sair para acabar logo essa folia e pensar mais no São Paulo FC e não só em alguns indivíduos.

      Curtido por 1 pessoa

      • Desculpe Leandro, entendo seu ponto de vista, porém foi o próprio Rogério Ceni que está cavando sua personalidade e capacidade como profissional, quando chegou tinha 95% de aceitação, seu primeiro jogo no Morumbi ele foi ovacionado, etc.
        O tempo passou, escalações bisonhas, alterações ridículas, entrevistas coletivas desastrosas, atitudes de pura arrogância, é nítido observar que o cara está perdido no cargo, sem convicção alguma, até alguns atletas já começam a ficar insatisfeitos, qualquer torcedor são paulino, como eu, que vou ao Estádio, compro produtos do clube e pago ST tenho de direito a não concordar com o Rogério Ceni (treinador), ele nunca foi meu idolo e sim é e sempre será o Raí, mas quando jogava eu o respeitava, mas como treinador eu acho que não emplacará e o tempo dirá, pois começou de forma errada e tudo que começa errado, termina errado.
        abs.

        Curtido por 1 pessoa

  10. Por falar em promessa, essa venda do Vinícius do Flamengo foi ótima pro clube.
    Alguém aqui acha que ele pode ser tudo isso que falam dele? Não vejo tudo isso não.
    Como se chama aquele garoto que falam tão bem na nossa base, que comparam ao Neymar?

    Curtir

  11. “Eu me demiti do São Paulo de maneira absurda. Perdemos de 3 a 2 para o Coritiba e eu escutei um comentário dos jogadores no vestiário que eu não gostei e eu me demiti na coletiva. E tive uma discussão com o Rogério Ceni, que eu a… – Veja mais em https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2017/05/25/briga-de-preparador-do-palmeiras-com-ceni-motivou-saida-de-cuca-do-sp.htm?cmpid=copiaecola

    Não interpretei errado pessoal, apenas quis dizer que o Ceni já se metia em confusões naquela época, pois já havia discutido com a comissão técnica do Parreira anos anteriores, o Cuca tomou as dores de seu preparador físico, ok, tudo bem, mas o Ceni já criava confusões pelo se temperamento.

    Curtir

    • Realmente a imprensa quer transformar o Rogério em um monstro. Do que tem haver publicar um matéria sobre o que ocorreu nessa semana no Palmeira e mencionar um fato que aconteceu a 13 anos atrás?

      Curtir

  12. Acho bacana esse modelo do Patético Paranaense de ter o Paulo Autuori como Diretor e o EB como técnico

    Não que eu goste do EB mas o modelo se bem implantado e acompanhado nos seus detalhes pode dar uma competitividade a equipe por mais tempo que o cansado modelo diretor de futebol que nunca chutou uma bola na vida

    Curtir

  13. O resto do ano vai ser assim: a maioria das quartas-feiras vai estar destinada à LA, Sulamiranda e CB. Como o SPFC nao joga nenhuma dessas competiçoes, o time vai estar descansado porque jogará uma vez por semana. Se ganha, tudo bem, nao fez mais que a obrigação. Mas se perde ou empata, dependendo da situação, talvez o debate dure toda a segunda-feira. De terça a sábado, vamos ter que ser mais criativos para aplacar o tédio. Ou acreditar piamente no Hernan.

    Curtir

  14. O Rico era grosso demais, seu futebol e porte físico era idêntico ao do Ademílson. Jogou bem na Portuguesa Santista, é o típico jogador de time pequeno, que não aguenta vestir camisa de time grande. Depois vieram Adriano, que também não tinha muitas chances, não achava um bom jogador, era apenas um bom cobrador de falta. Souza vingou, ficou bastante tempo no São Paulo, seu futebol caiu com o passar do tempo e a mudança de ares era necessária. Souza ficou na história do clube ao humilhar o Vampeta em rede nacional! Kkk

    Curtir

  15. Veio o Rico, o Souza e o Adriano (o volante, não o meia cobrador de faltas) da Lusinha santista.

    Todos meio malucos da cabeça. Teve um tempo que descoloriram o cabelo.
    O Rico as vezes baixava a cabeça e ia que nem uma vaca doida pra cima da defesa.
    O único que vingou de fato na carreira foi o Souza.

    Curtir

Comente aqui, Tricolor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s