A estreia do São Paulo na Taça Libertadores de 1993 começou frente ao seu adversário da final do ano anterior, o Newell’s Old Boys, já na Segunda Fase.

 

Na primeira partida, em Rosário, o Tricolor foi perigosamente derrotado por 2 a 0 e ficou com a classificação em risco. Na partida de volta, no entanto, o São Paulo goleou por 4 a 0.

 

Eu estava lá e realmente era difícil imaginar que aquela equipe entrasse de forma tão avassaladora como vez naquele 14 de abril.

 

Já pelas Quartas de Finais, o adversário foi o Flamengo, que segurou um heróico empate em 1 gol no Maracanã.

 

No jogo de volta, só consegui entrar no estádio ao comprar um ingresso de cadeira coberta, no espaço dedicado as cativas, uma dureza e muito caro para mim.

 

Em campo, o Tricolor foi incontestável e venceu o Rubro Negro carioca por 2 a 0 com gols de Muller e Cafu. Até hoje o goleiro Rubro Negro, Gilmar, está com o corpo doendo devido ao drible de Muller.

 

Pelas Semifinais, após uma suada vitória por 1 a 0, com gol de Raí, frente ao Cerro Porteño no Morumbi, o São Paulo segurou um empate sem gols em Assunção.

 

Nas finais, o São Paulo fez o que até o momento é a maior goleada em final de Taça Libertadores. No Morumbi o Tricolor paulista derrotou o Universidad Católica do Chile por 5 a 1…em noite de gala…muito embora o jogo não tenha sido tão fácil quando o placar demonstra, uma vez que Zetti foi um gos melhores em campo.

 

Eis a ficha técnica:

 

São Paulo 5×1 Universidad Católica

Local: Morumbi

Data: 19 de maio de 1993

Árbitro: José Joaquin Torres

 

Gols: Lopez (contra) aos 30’, Vitor aos 40’ do Primeiro Tempo; Gilmar aos 9’, Raí aos 15’, Muller aos 25’e Almada aos 40’do Segundo Tempo.

 

São Paulo: Zetti, Vitor, depois Cate, Gilmar, Válber e Ronaldo Luis, depois André Luis; Dinho, Pintado, Raí e Cafu; Muller e Palhinha. Técnico: Tele Santana

 

Universidad Católica: Wirth, Andrés Romero, Sergio Vasquez, Daniel Lopez, depois Barrera, Contreras, Lunari, Lepe, Parraguez, Tupper; Luiz Perez, depois Gerardo Reinoso e Almada.

 

Mas ainda tinha o jogo de volta, que aconteceu em 26 de maio.

 

Em partida nervosa, realizada no estádio Nacional de Santiago do Chile, a Universidad Católica marcou 2 a 0 logo no primeiro tempo e assustou.

 

No entanto, o Tricolor se refez, manteve o jogo sob controle e conquistou o bicampeão da Taça Libertadores.

José Renato Santiago