Divisor de Águas? Ceni mudou após o clássico e time sofreu menos gols, mas marcou menos também

Dia 11 de março de 2017. Uma data que todo torcedor do São Paulo prefere esquecer. Marca a derrota de 3 a 0 para o rival Palmeiras, no Allianz Parque, pelo Paulistão. Mas não só. Foi também o início de um novo momento no trabalho do técnico Rogério Ceni, iniciado este ano. Um perfeito divisor de águas, que teve a melhora da defesa celebrada, mas resultados bem inferiores.

Até o Choque-Rei, o Tricolor de Ceni era uma máquina tanto de fazer quanto de sofrer gols. Em dez jogos até ali, havia marcado 29 vezes, média de 2,9 por jogo, e sofrido 17, média de 1,7 por duelo. Depois do doloroso revés, a situação se inverteu de maneira abrupta.

Foram sete partidas disputadas depois do clássico. E o ataque parou. Foram apenas sete gols, média de um por jogo. Mas a defesa se encontrou e sofreu apenas quatro, média de 0,57, ou um gol a cada dois jogos praticamente.

A situação soa como um cobertor curto. E a mudança de postura pesou consideravelmente nos resultados. Até o clássico, o São Paulo tinha sete vitórias, dois empates e apenas uma derrota: aproveitamento de 76,6% dos pontos. A queda é considerável. Depois, o time não perdeu mais, mas foram cinco empates e apenas duas vitórias: aproveitamento de 52,5% dos pontos.

Neste período, Ceni reclamou do desgaste físico dos atletas por conta da quantidade de jogos e acabou perdendo alguns por lesão. O principal foi o meia peruano Cueva, que disputou apenas dois jogos da sequência pós-clássico, fazendo dois gols. Ele serviu à seleção do Peru e voltou com uma lesão na coxa esquerda. O time sente muito sua falta.

Perto de jogos importantes, decisivos, Ceni tenta retomar o poder de fogo e seguir com a defesa alinhada, invicta nos últimos três jogos. A busca pelo equilíbrio sempre foi constante. Mas até o momento era a tática ousada de fazer e sofrer muitos gols deu mais resultado. Será?

O Tricolor volta a campo neste sábado, contra o Linense, pelo jogo de volta das quartas de final do Paulista. Fez 2 a 0 na ida e pode até perder por um gol de diferença que avança à semifinal. Depois, na quinta-feira, encara o Cruzeiro no jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil. Vai entrar turbinado ou mais devagar?

Lance!

Anúncios

119 comentários

  1. Difícil avaliar assim.

    Não acho que houve mudança, apenas troca de peças por razões diversas.
    Jucilei dá muito mais segurança que Schmidt, o que fortalece a defesa.
    E, por outro lado, a ausência do Cueva reduz a produção ofensiva. Seu substituto (W. Nem) compõe mais o meio campo (melhorando a marcação), mas não tem poder de criação e mostrou deficiência na conclusão das jogadas.

    Resultado: defesa mais segura, ataque menos eficiente.

    Curtido por 3 pessoas

    • A falta de um meia limita as jogadas ao lado do campo. Estamos jogando muito mais através de bolas aéreas do q antes, pq se depender de T. Mendes, Nem e LA armarem jogadas pelo meio, não faremos gol nunca mais.

      Curtir

    • Concordo plenamente, não vou nem ler os demais comentários, você falou tudo, é que as análises são muito feitas em cima dos resultados é como se os caras não enxergassem ou se não quisessem enxergar.

      Curtir

    • Michael Beale continua no clube e dando treinamentos normalmente, ele so se ausentou pra ver alguns jogos na argentina no mês passado, coisa de uma semana.
      Melhor se informar, antes de fazer perguntas tendenciosas nao?
      Intencionalmente ou nao vc ja deixa no ar q so o inglês é o responsável da boa fase do ataque e o Ceni o responsável pelo rendimento mais abaixo dos últimos jogos.
      Se for essa mesmo s critica, na minha opinião é um engano e um erro afinal todos trabalham juntos e planejam juntos os treinos.

      Curtir

  2. Claramente o time mudou o estilo ou se “ajustou” de uma forma mais segura.Acabou aquelas palhaçadas de brincadeira de saída de bola “bonita”.Quanto a falta de gols ponho mais na conta da ausência de Cuevas( insubstituível),a queda de rendimento de Luís Araújo (oscila basrtante) e a má fase do W Nem( espero que seja má fase e que não seja isso o normal dele).Mas em compensação Jucilei,Rodrigo e Maicon tem tudo pra ser um paredão.Mas claramente o estilo é diferente do início do ano,mas vai continuar sendo competitivo,apenas com uma cara diferente.

    Curtir

  3. Muita dessa mudança principalmente pela falta do Cueva, o time também teve de mudar a for ma de jogo.
    Mas não tem muito segredo, acho que já está claro para todos qual será o time.

    Renan
    Buffarini-Maicon-Rodrigo Caio-Junior Tavares
    Jucilei-Thiago Mendes-Cícero
    Cueva-Prato-Luiz Araújo

    Se o W.Nem tivesse melhor, era titular nesse time, ou no lugar do T.Mendes ou no lugar do Cícero.

    Curtir

  4. Se já mudou o estilo, prefere ser Muricy a ser Osório. E aí, sinceramente, não vale a pena. Se vai se queimar, que seja tentando atacar o tempo todo. A derrota para o parmera era previsível. Além de terem um melhor elenco, tem mais investimentos e os nossos rivais devem turbinar o vestiário pré jogo com bichos polpudos para a vitória contra o Tricolor. O próprio Andres já declarou isso, e depois da briga entre Aidar e Nobre, provavelmente a porcada também se utiliza dessa prática. O que interessa, é ver o Tricolor honrando suas tradições de vencer jogando bonito. Rogério, não se esqueça do lema: “Não basta conquistar os títulos, tem que merece-los”…

    Curtir

    • Muricy ganhou 5 brasileiros (2005 é do Inter) e 1 vice, 1 libertadores e 1 vice, vários estaduais, etc.
      Osório teve aproveitamento de 51%. Baixo.
      Acho que existe um meio termo entre Muricy e Osorio que deve ser buscado, mas se é pra escolher entre um e outro, não há nem dúvidas.

      Curtido por 1 pessoa

          • O Muricy teve vários momentos pelo SP. O SP do campeonato brasileiro de 2014 jogava um ótimo futebol sob seu comando, era muito bom de assistir, time com posse de bola e muitos recursos. Em 2015, provavelmente por sua saúde já debilitada, mandou mal mesmo.
            Agora se vc falar que não tinha alegria assistindo o time tri brasileiro, aí vai de gosto de cada um, eu me sentia muito bem assistindo um time competitivo q praticamente não perdia clássicos e vencia dentro e fora de casa, não tinha medo de adversário. Muito mais divertido do que ver um time largado em campo, com metade do time improvisado (como dava desgosto ver Carlinhos de meia/ponta, Auro de ponta, Lyanco de lateral) em campo, e q pelo menos era regular, não se impunha nem fora de casa e nem no Morumbi.

            Curtir

    • Não gostei da mudança, daqui a pouco vamos estar jogando como os escrotos, jogando por uma bola. Espero sinceramente que Rogério reflita e volte à quele futebol entusiasmante

      Curtir

  5. Eu quero é ver esse time ser campeão. Sei que isso demanda tempo e um certo amadurecimento, mas pouco importa se vai ser na base do estilo Muricy ou do estilo Osório.
    Precisamos de um título rápido. Muita coisa está em jogo.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Essa observação de ausência dos gringos e só o Pintado na beira do campo é pertinente. Deve ter caroço nesse angú. Acho que o Araruna na lateral vai bem, pois é marcador, tem boa noção de passe e cobertura nos deslocamentos do lateral oposto.

    Curtir

  7. Amanha tem que ser time reserva. Da para ganhar do Linense apenas com os reservas. Iria com esse time:

    Renan
    Araruna Lugano Lucão Buffarini (fazer o que né?)
    Welligton e Shimitd
    Shaylon
    Welligton Nem Gilberto Neilton

    Curtir

  8. Em minha humilde opinião …, apenas minha opinião.

    O time busca um equilíbrio …, tínhamos “ataque” e nossa “defesa” não existia.
    Hoje a “defesa” apresenta estabilidade e o ” ataque” não é tão efetivo.

    Buscamos um time …, que funcione coletivamente.

    Estamos no caminho certo.

    Deixem o Ceni e sua comissão técnica trabalharem em paz.

    Curtido por 2 pessoas

  9. Vamo la. Houve uma queda de rendimento ofensiva ? Sim.
    Houve alguma mudança no trabalho de treinamento no clube? Pelo oq acompanho em sites, twiters de jornalistas… nao houve.
    Entao essa queda ofensiva tem nome: CUEVA.
    So reparar, Cueva teve a lesao no jogo do ABC e nao jogou o classico, depois so jogou mais 1 ou 2 jogos pelo clube provavelmente ainda se recuperando, ai foi pra seleção peruana e la se lesionou de vez.
    Sem Cueva é nitido a queda de rendimento, Ceni nao conseguiu achar o substituto ideal, W. Nem esta sendo a primeira tentativa, porem nao esta rendendo, Thomaz foi contratado e em breve deve receber sua chance e provavelmente ate o Shaylon deve ganhar chances caso ninguem ainda dê conta do recado.
    Com Cueva a qualidade de passe e movimentação d time é outra, ele sempre escolhe a melhor jogada, seja conduzindo em drible ou dando um passe curto q deixa na cara do gol. Sem ele perdemos isso e dessa forma a qualidade de ataque caiu e por consequência o numero de gols diminuiu, tenho certeza q ele voltando 100% voltaremos a jogar o mesmo futebol ofensivo do começo do ano.

    Curtido por 4 pessoas

    • Shimidt não era pra jogar, vai embora daqui dois meses e depois vamos ter que dar ritmo de jogo e conjunto ao seu substituto durante as competições, ilógico isso!
      Na ausência do Cueva e Fernandes machucados, escalaria e apostaria na seguinte formação:
      Renan;
      Araruna, Maicon, R.Caio, Júnior T.;
      Jucilei e recuava Tiago Mendes;
      Cícero e Shaylon;
      Araújo, Pratto/Gilberto.

      Com todos a disposição:

      Renan;
      Araruna, Maicon, R. Caio, Jr. Tavares;
      Jucilei e Cícero;
      Cueva, Fernandes;
      Araújo, Pratto
      Temos dois garotos nas laterais pra marcar e atacar, um cão de guarda e três meio-campistas para fazer o jogo ser jogado.

      Curtir

  10. Queria deixar uma pergunta…
    Qual é o pecado do Rogerio e equipe se eles, por algum motivo, acharem que devem mudar algo em relação a proposta de jogo ou postura da equipe?
    Sério, não consigo entender isso…é uma obrigação do treinador enxergar falhas e fraquezas e tentar, de alguma forma, corrigir isso.
    Pode ser problema de preparação física, função tática que os jogadores não conseguem desempenhar, característica do elenco…até mesmo o adversário.

    Curtido por 4 pessoas

  11. O que mudou foi:
    1- Jucilei ganhou ritmo de jogo e se tornou titular (melhora da defesa);
    2 – Renan Ribeiro foi promovido a titular (melhora da defesa, parte II)
    3 – Cueva foi poupado, seleção peruana e DM (piora do ataque)…
    4 – Luiz Araujo teva queda de rendimento (piora do ataque II)
    Infelizmente, nosso time ainda depende muito da individualidade de alguns.. nos libertarmos dessa dependência é o desafio do M1to.. com o tempo temos de conseguir equilibrar o time, independentemente de quem estiver em campo… o sistema de jogo tem de prevalecer!

    Curtir

  12. Jogo passado contra o Linense com o time descansado foi a mesma tatica do começo do ano, time roubou varias bolas e ficou o jogo todo no campo de ataque, só nao criou mto pq estava acéfalo.

    Curtido por 1 pessoa

  13. “PSBarbosa” quantos anos você tem? Pelo que escreve é da nova geração de torcedores, para esse time ser campeão demanda tempo.
    Quando o Telê chegou no nosso tricolor vínhamos de dois vice campeonatos Brasileiros 89 Vasco e 90 Corinthians(em ambos eu estava no estádio) depois você ja sabe a história.
    O Cuca veio do Goiás e ajudou a remontar o time que perderá para o Santos e Atletico paranaense e perdeu para o Once Caldas(em todos eu estava no estádio) depois você já sabe a história… TRI Campeão.

    Moral da História vamos deixar o Rogerio trabalhar, vamos apoia-lo, vamos ao estádio empurrar o time…

    Prefiro comemorar mais uma Sulamericana, Brasileiro e Copa do Brasil que não temos do que Paulista.

    E se não ganharmos nada esse ano, estaremos montando um time para o Futuro.

    PS frequento o estadio desde 1984.

    VAMOS TRICOLOR, Não para de lutar…

    Curtir

    • Ué…mas onde eu não estou apoiando o Ceni?
      Voce não vai encontrar um comentário meu aqui cornetando ou criticando o treinador. Muito pelo contrário, estou até defendendo se realmente ele resolver mudar algo em sua filosofia de jogo. Estou deixando o meu apoio explícito, optando por um estilo Osório ou optando por um estilo Muricy.
      Já ví esse time ser campeão jogando bonito e jogando feio, e comemorei do mesmo jeito. O título tem o mesmo gosto. Brasileiro de 77, dirigido pelo Minelli, um time duro, cascudo, teve o mesmo gosto e importância do que o título de 86, quando tínhamos um time mais técnico.
      Minha idade? vou dar uma dica…comemorei os meus 10 anos no Morumbi na final do Paulista de 75….hehehe
      E quando eu falo que precisamos ganhar um título urgente, não é imediatismo, querer que o Rogerio apresente resultados rápidos, é mais pela importância para a instituição SPFC. Precisamos voltar a ser protagonistas.

      Curtido por 2 pessoas

      • PS Barbosa peço desculpas, posso ter interpretado o seu comentário errado, posso ter me deixado levar por inúmeros comentários aqui no blog de quem nem sequer foi ao sacrossanto Morumbi, alguns mal acostumados.

        O que eu mais quero e que o SPFC tenha uma filosofia de jogar futebol e que de continuidade na mesma… à algum tempo que não temos uma…

        Infelizmente o brasileiro de 77 foi o único que não vi em loco… Sorte a nossa ter presenciado todos esses títulos…

        Att.

        Curtido por 1 pessoa

        • Nem tem o pq de se desculpar. Em nenhum momento voce foi agressivo, desrespeitoso ou algo parecido.
          Quanto a filosofia, eu acho que o Rogerio tem sim uma filosofia, mas pode ser que ele esteja em dúvida se essa filosofia pode ser implantada na sua plenitude nesse momento. Alguns podem achar isso uma falta de convicção, mas acho salutar, pois mostra que ele, apesar de ter uma filosofia, está atento a eventuais fatores que podem atrapalhar e atropelar o processo nesse início de jornada. Veja bem, estou colocando tudo na esfera das possibilidades.
          O importante é que o time se encontre.
          Acho injustas as críticas que ele tem sofrido quanto a mudança do jeito do time jogar.

          Curtido por 1 pessoa

      • Caramba! Queria eu ter assistido a tantos jogos decisivos quanto o psbarbosa! Pela idade dele, me parece que acompanhou até o início da carreira do Paulo Baier (mas não vamos exagerar também a idade dele, né!) rs

        Curtir

  14. Só faltou mencionar no texto que após a derrota para as peppas o time jogou quase todos os jogos desfalcado , e alguns desses jogos sem os principais jogadores time, como Maicon, Cueva e Pratto , e tirando o Gilberto que substitui bem o Pratto, os outros não tem reposições à altura.
    Temos um ótimo time titular mas não existe reposição equivalente, e isso é fato.

    Curtido por 1 pessoa

        • Então vc teve mais “sorte” do que eu.
          Teve a oportunidade de ver e poder lembrar de grandes jogadores da nossa história, principalmente os do bi paulista (70 e 71).
          Certamente eu tb os vi jogar, mas não tenho a mínima lembrança disso. Uma pena…
          O meu marco zero realmente é a final de 75. E na minha inocência, não entendia como um time podia perder um jogo e ainda poder ser campeão…ao final do jogo chorava a derrota e meu pai tentava me explicar que ainda tínhamos esperança…sempre lembramos desse dia.
          Foi o meu presente de aniversário. 17/08/1975.

          Curtir

  15. Não vejo o jogo contra Crefisa, resultado diretamente relacionado com estilo de jogo , mais ou menos ofensivo.
    Tomamos 2 gols de fora da área , sendo 7m do meio de campo……..
    Vejo o time atual mais conservador, mas temos que levar em conta, q sempre estamos com time mesclado, em razão do calendário.
    Com o time completo, com ascensão física de Jucelei e bom desempenho de Araruna, voltaremos a ser ofensivo, sem prejuízo à parte defensiva, seremos mais equilibrados.

    Curtir

  16. Eu não acompanho nada de outros times, mas a exigência é tanta também?

    O São Paulo faz muitos gols e toma também é ruim. Não toma gols e faz menos é ruim.

    Deixa pra lá. O negócio é torcer.
    Vamos São Paulo!

    Curtir

    • Até 1997 era um ritmo alucinante. Não interessava se era fim de semana, meio de semana, chuva, sol…era doentio. tinha que ir pro Morumbi.
      Não conseguia me segurar. Era exagerado. Se eu não fosse batia um sentimento de culpa.
      Só foi melhorar depois que a minha filha nasceu. Aí tive que dar uma diminuída.
      Hoje vou só de fim de semana, e não são todos os jogos. Estou devendo viu…

      Curtido por 1 pessoa

      • Entendo perfeitamente. Antigamente eu não perdia um jogo sequer. Além de que, Campinas, Sorocada, Taubaté e outras cidades próximas eu não perdia um. Mas ai vem os filhos, familia, a gente diminui o ritmo. É normal. Mas o amor pelo time não diminui em nada.

        Curtir

        • Nunca. No sofá, no estádio, no carro…o amor e o sofrimento são os mesmos.
          Por isso não gosto quando tentam rotular torcedor. Como mensurar o que cada um sente pelo seu time?
          Lembro do meu avó por parte de mãe, corinthiano, acho que nunca foi a um estádio, mas no leito da UTI, praticamente no seu último dia de vida, quando fui visita-lo, ele só me perguntou uma coisa: “E o Curintcha, como está?”

          Curtir

  17. A verdade é que perdemos para os reservas das porcas porque o time deles é muito superior ao nosso (ainda mais quando jogamos sem o Cueva e com o Dênis).

    Não perdemos os demais jogos porque os outros times que enfrentamos são muito ruins. Por isso tb tomamos poucos gols.

    Por fim, a redução na média de gols marcados, para mim, se deve à ausência das assistências do Cueva.

    Curtir

  18. Nitidamente houve uma mudança e os números mostram que foi para pior.

    Pelo menos o Jucilei se mostrou um baita reforço e deu um equilíbrio ao meio campo, que sofria com o técnico, porém avoado, João Schimdt.

    Ainda acho que o nosso time joga muito espaçado, todos longes um do outro, mas acredito que isso se resolva conforme o entrosamento aumente.

    Ceni ta passando pelas indagações normais de um iniciante, seus resultados nao sao ruins, mas acredito que possa fazer melhor e conto com isso.

    Curtir

  19. A verdade é a seguinte, o que iludiu todo mundo foi o jogo contra o Santos, só!!! Tirando esse jogo só pegamos perebas, sofremos muitas vezes com esses perebas, empatamos com o pior Corinthians dos últimos tempos em casa e tomamos uma piaba do Palmeiras. O verdadeiro teste será agora contra o Cruzeiro e a realidade será mostrada no Brasileirão. Opinião pessoal..não tenho muita esperança pelo que vi friamente até agora.

    Curtir

  20. Falta informação nessa matéria: o time do São Paulo não treina. Joga meio e fim de semana ininterruptamente.
    E para o ataque funcionar tal qual funcionava, tanto no volume de criação quanto na marcação pressão (“linha alta”) eu entendo ser necessário muito treino e repetição.
    Já a correção da defesa pode ser feita na base de ajuste de posição, recuo das linhas e tudo o mais com uma conversa objetiva e bem descritiva do que o técnico quer. Não que o treino de defesa seja desimportante, mas é mais simples corrigir, sem treinos, erros defensivos, de atletas que já jogam juntos há tempos e tiveram uma das melhores defesas do campeonato passado, que corrigir o ataque sem tempo de prática.

    Curtir

  21. Olha essa. Que fase. Léo( goleiro) faz sucesso no Paraná. Já é conhecido como TAFFALEO. To preocupado. Conforme nosso nobre diretor “futebol é negócio”, quais os termos do contrato de empréstimo? Igual do Rogério?. Vamos ver.

    Curtir

  22. Acho que não só a falta do Cueva mas também a do Sidão que dava mais qualidade na hora de repor a bola.
    Talvez a parte física tenha sua contribuição para isso também.

    Só não acredito nessas teorias conspiratórias que já começam a brotar por aí 😉

    Curtir

  23. Que o time mudou, mudou, mas só o mau resultado no chiqueiro por si só não explica essa transformação.
    A entrada do Jucilei e do Renan Ribeiro ajudaram a estabilizar a defesa e os desfalques de Cueva e Pratto derrubaram os números do ataque, mas parece-me um time mais equilibrado!!!!

    Curtir

  24. Concordo com a apiniao geral, que a presença do Jucilei mudou o perfil do setor defensivo. O negócio agora é ir juntando alguns milhoes de dólares para te-lo em definitivo. Senao…

    Curtir

  25. O SPFC estreou – oficialmente – em 2017 no dia 05 de fevereiro, exatamente 2 meses atrás, com derrota para o Grêmio Osasco Audax (1-4).

    Amanhã, dia 8/4, completará contra a Linense a sua 19ª partida oficial no ano, em um período de exatas 9 semanas, ou 62 dias.

    Façam as contas, não é difícil. São dois jogos por semana. Média de 1 partida jogada a cada 3,2 dias.

    Contando as viagens, concentrações, necessidade de recuperação dos atletas após as partidas etc., como se treina uma equipe sem tempo para tal?

    Por exemplo, essa semana: jogamos no domingo contra a Linense. Na 2ª feira, reapresentação a tarde (ou seja, não houve folga). Regenerativo para os atletas que jogaram na véspera. Terça, treino de manhã e concentração para viajar pra Argentina. Treino de reconhecimento do gramado após a viagem, no máximo.

    Então, jogamos 4ª feira à noite na Argentina, saímos de lá e chegamos no Brasil durante a madrugada. Ou seja, nada de treinos pela manhã seguinte (quinta, ontem). À tarde, reapresentação e trabalho de recuperação.

    Sexta-feira, hoje, treino em 2 períodos. De manhã é possível fazer algum trabalho específico. À tarde, tem que ter um coletivo pra treinar a formação que entrará em campo amanhã contra a Linense.

    Como fazer trabalhos específicos durante a semana para corrigir erros jogando toda quarta e domingo? E ainda viajando!

    Não venham me falar de treinar em 3 períodos, horários alternativos, cancelar folgas etc.
    1- As relações trabalhistas não funcionam assim. 2- Falar algo assim mostra completo desconhecimento de conceitos mínimos de esforço e recuperação física, overtraining etc.

    Muito mais que uma mudança de postura, o resultados mais recentes vêm – a meu ver – da mudança/ausência de peças. Principalmente a entrada do Jucilei no lugar do Schmidt e a saída do Cueva, por lesão.

    Wellington Nem cria muito menos e perde todas as poucas chances que tem, ao contrário do peruano.

    Bruno, também lesionado e por quem não morro de amores, também produz muito mais ofensivamente que Buffarini e Araruna. Não à toa é um dos líderes em assistências desde o ano passado.

    Isso se reflete também nas oportunidades geradas para Gilberto ou Pratto, afinal são duas “fontes” de passes para gol a menos.

    Defensivamente, não tem nem o que falar. O posicionamento e a combatividade do Jucilei estão solidificando a defesa do SP. Embora, ainda haja espaço para melhorar, pois seguimos cometendo erros de posicionamento, com laterais indo dar o bote na frente porque meias e atacantes não voltaram pra compor o espaço; zagueiros saindo pra cobrir esses laterais etc.

    Enfim, deixem Rogério e sua comissão trabalharem em paz. O aproveitamento nas primeiras 18 partidas do ano é superior ao do Bauza (que tinha um time pior) e próximo ao do Muricy em 2014-15 (com elencos infinitamente melhores que o atual).

    Galera tá tentando achar pelo em ovo. Reclamar das substituições erradas, ok. Concordo que algumas mexidas dele não estão atingindo o potencial, mas pixar o trabalho dele é sacanagem. Talvez seja saudade do Ricardo Gomes ou do Doriva, que trocavam lateral por lateral, meia por meia e atacante por atacante.

    Curtido por 2 pessoas

  26. Enquanto o Cueva nao volta, o tricolor tem que aprender a jogar sem ele. Talvez insistir com o Wellington Nem. Perdeu tres boas oportunidades, mas sempre esteve presente nos lances críticos. Vai que numa dessas…

    Curtir

  27. Sem meia em campo, os pontas perdem oxigenação ofensiva e o centroavante perde poder de pressão.

    A ausência do Cueva é muito sentida, mas a ausência de um meia em campo é muito maior.

    Curtir

  28. Creio que as mudanças estão ocorrendo por vários fatores, como exemplo: lesões, convocações etc.
    Com todos a disposição saberemos o real time do SP.

    Curtir

  29. Eu não vejo como problema o que ocorre.

    Isso porque Ceni tem quatro meses como técnico profissional e fará testes durante os jogos e competições. Melhor que seja agora durante o Paulistinha.

    Erramos nós em assumir que ele jogaria com aquela filosofia a vida toda. Talvez um dia volte, talvez adapte, evolua ou mesmo sofra deterioração. Tudo é possível, quando o nosso técnico é tão jovem na profissão.

    Portanto, o que posso querer nesse momento é que ele vença os jogos (essencial, rs.) e que estabeleça uma filosofia antes do brasileiro começar, porque os adversários serão consequentemente mais cascudos.

    De resto, é testar mesmo e ver no que dá.

    Mas, há que salientar algumas coisas: Denis e Sidão deram lugar ao Renan pelos percalços da vida. Jucilei está cada vez mais em forma e consequentemente o time melhorou defensivamente e, por fim, Cueva foi desfalque (poupado/Peru/lesão) e o time perdeu um pouco de força ofensiva.

    Curtido por 1 pessoa

    • O time continua com a filosofia de marcação pressão, defesa alta e muita posse de bola. Falta uma solução pra substituir o Cueva e – por isso – perdemos em qualidade de passe agudo (assistência) e finalização. Por isso criamos menos e fizemos menos gols. Mas o volume de jogo em si ainda é parecido, porque a concepção de jogo do RC segue a mesma.

      Um pouco mais de pontaria do Nem e do Thiago Mendes nos últimos jogos e a média de gols não teria caído tanto sem o Cueva.

      Curtido por 1 pessoa

  30. Uma adição ao elenco que seria muito útil é o Auro.

    No sistema de 3 zagueiros, ele e o Junior de alas cairiam MUITO bem.
    Serviria também para descansar o Araújo e o Nem, já que pode atuar como ponta.

    Para o Brasileiro e sequência da temporada me parece muito interessante.

    Curtir

  31. Não vejo tanta mudança assim , a defesa melhorou com o Jucilei , e o time parou com os erros bobos e frangos , já no ataque ainda que o time tenha criado menos chances , ainda assim é um numero considerável chances e de gols perdidos , chances claras de gols que vem sendo perdidas , ainda que seja considerada uma mudança ela é causada pelas faltas de peças no elenco , e não por uma mudança planejada no estilo de jogo , um exemplo é que muitos criticam a utilização do Tiago Mendes , mais a frente improvisado , mais é por falta de jogadores com características especificas pra manter o estilo de jogo , precisamos de trazer 2 jogador com a força fisica do Tiago ou velozes , mais que seja goleador , não precisa nem ser abilidoso , mais com o porte fisico do Tiago e que jogue pelos lados e que seja goleador , um exemplo estilo do Aloisio boi bandido , tirando Araujo e Cueva que joga por dentro e pelos lados , nossos jogadores de lado estão rendendo muito pouco , abaixo do esperado , Neiton ainda não vi jogar nada , Wellitin Nem , esta se recuperando jogando abaixo , Shaylon é lento , Mesmo o Lucas Fernandes é mais um jogador de toque de bola e de segurar o jogo .
    Para manter o time rendendo jogando bem precisa ter no elenco 4 bons atacantes de lado de campo ou meia atacante como o Cueva , é criatividade do Cueva faz falta , mais não ter jogadores do lado do campo que preocupa o adversário também é um fator que complica . pega o time do cruzeiro campeão brasileiro , tinha jogo que o time titular não estava bem o treinador mudava o jogador , e oque entrava ia la e fazia os gols , o Alexandre Mattos , quando tem dinheiro trabalha com qualidade e quantidade , quando não tem trabalha com quantidade baseado na características dos jogadores . não ter um jogador por ter , mais ter um jogador com característica que pode mudar o panorama do jogo . o são paulo se não pode contratar um craque , tem que contratar um jogador com as características do Aloisio .

    Curtir

  32. Perdemos daquele jeito pras Peppas Saltitantes pela ausencia do Cueva e pq o Ceni resolveu inventar bem naquele jogo.
    Mudou o q estava dando certo, deve ter batido um medinho, rs … normal no inicio de carreira.
    Vale o aprendizado.
    Mas de qq forma continuo e continuarei apoiando esse novo e promissor trabalho, e tenho absoluta convicção q o Ceni foi a melhor escolha para o nosso SPFC !
    Sabadão partiu pra Vermelha !!!
    Sou, sou Tricolor, sou, sou Tricolor …

    Curtir

  33. eu acho que foi divisor de aguas sim, comentei isso algum tempo atras. mas a ausencia de cueva também ajudou em relação a baixa de gols. ainda assim mostramos boa produção em alguns jogos, é uma questão de ajuste, quem acha que 3 meses é suficiente para implementar um sistema de jogo complexo como o nosso, ainda mais com esse calendário está sonhando.

    Curtir

  34. Parece que nada está bom no ponto de vista da mídia. No jogo de quarta o W. Nem perdeu 2 gols, sendo que um foi bisonho ter desperdiçado, contra o Linense foram 2 gols. A defesa melhorou graças ao Jucilei que pelo jeito amanhã não começará como titular, veremos o João Molengão Schmidt na função de 1° volante, haja paciência. O ataque vai melhorar com o retorno do Cueva, não tem quem faça a função dele, por isso o ataque está menos operante, mais não vejo que parou de funcionar.

    Curtir

  35. Parece que nada está bom no ponto de vista da mídia. No jogo de quarta o W. Nem perdeu 2 gols, sendo que um foi bisonho ter desperdiçado, contra o Linense foram 2 gols. A defesa melhorou graças ao Jucilei que pelo jeito amanhã não começará como titular, veremos o João Molengão Schmidt na função de 1° volante, haja paciência. O ataque vai melhorar com o retorno do Cueva, não tem quem faça a função dele, por isso o ataque está menos operante, mais não vejo que parou de funcionar.

    Curtir

  36. Não sei se alguém comentou aqui, mas acho extremamente necessária a liberação do J. Schmidt por dois meses para procurar casa na Itália, fazer aulas de italiano e conhecer melhor a cultura do país…

    Curtir

      • Passagem bem salgada…rsrsrs…alvez façamos uma “vaquinha online” para isso..

        Não gosto de chegar nesse nível de corneta, mas ele tá fazendo hora extra aqui. Os passes para trás dele, no último jogo, mataram nossos contra-ataques. Falta-lhe coragem também, além de não ter essa qualidade toda que compense. Na minha opinião foi o pior em campo na Argentina.

        Nos últimos tempos, me lembra muito o Maicon que foi para o Grêmio.

        Curtir

  37. Foi o divisor de águas também para o futebol jogado, antes dava gostos assistir os jogos do Tricolor, a audiência confirma isto, depois do trágico encontro, que por sinal já foi pobre de futebol por parte do São Paulo,
    paramos de jogar, de envolver, de propor o jogo. Não sei o que acontece ou aconteceu, mas tenho certeza que deixamos de ter um futebol que encantava para um que enerva o torcedor.

    Curtir

Comente aqui, Tricolor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s