São Paulo está perto de renovar os contratos de Rodrigo Caio e Araruna

Depois de concretizar as renovações de contrato de Thiago Mendes, Cueva e Lucas Fernandes e de encaminhar os acertos com Bruno e Luiz Araújo, a diretoria do São Paulo conversa com mais jogadores para acertar novos vínculos: o zagueiro Rodrigo Caio e o volante Araruna.

O atual compromisso de Rodrigo Caio vai até outubro de 2018. O camisa 3 é um dos jogadores mais valorizados do atual elenco. No ano passado, a diretoria chegou a conversar com três equipes interessadas no atleta, mas não houve acerto financeiro: Sevilla, Hamburgo e Valencia.

O jogador já discute a renovação de contrato com o Tricolor há meses e, no novo acordo, vai se aproximar do teto salarial do clube. Sua multa rescisória também subiria.

O defensor vê com bons olhos a permanência na equipe do Morumbi, principalmente porque luta por uma vaga na seleção brasileira que vai disputar a Copa do Mundo de 2018. Ele já foi convocado pelo técnico Tite e fez parte do grupo que conquistou a medalha de ouro na Olimpíada do Rio em 2016.

Já o volante Felipe Araruna foi um dos jogadores promovidos pelo técnico Rogério Ceni para a equipe profissional no início do ano. Seu vínculo vai até março de 2019 e deverá ser prorrogado por mais dois anos. O meio-campista de 20 anos esteve presente em nove das 12 partidas do time na temporada.

Globo Esporte

45 comentários

  1. Leco …, lero leco.

    Apesar de seus muitos e recorrentes erros, vem apresentando uma ótima sequência de acertos.

    A relação com o período pré-eleitoral não é apenas uma mera coincidência, mas assim mesmo, parabéns.

  2. Isso aí, tanto o Salsicha qto o João Doria merecem essa renovação… bora valorizar os jogadores para deixa-los mais motivados ainda dentro de campo

  3. Essa ascensão rápida do Luiz Araújo será que já é fruto do trabalho do Beale?
    Em sendo, e ele fazendo com que ao menos um jovem tenha ascensão semelhante por ano e se destacando, já tem que pensar em renovar o contrato do inglês também!

  4. Tenho o costume de me preocupar em excesso com as finanças do clube, mas se isso se traduzir em conquistas ao longo dos anos, não me importo se a folha salarial subir, desde que isso seja feito com planejamento.

  5. Sobre Luiz Araújo:

    “Ain, vende esse moleque, ninguém sabe no que pode se tornar, vinte milhões é muito dinheiro”.

    E bastou esperar um mês de temporada, e o moleque já vale quase R$70 milhões.

    De fato, aquele ditado cabe: “Paciência é uma virtude”.
    ==
    Isso também serve para o Neres. Tivesse nesse time hoje, meu amigo… Ia embolsar muito, mas muito mais dinheiro no meio do ano.

  6. Se o Leco só trabalha bem em período eleitoral, deveria ter eleição para presidente todo ano hehehe
    Mas o ideal seria que pudéssemos manter esse time, sem vendas de jogadores até o fim do ano….

  7. Só tenho receio do Ceni escalar o Breno contra as pepas,pois a jogada forte dos caras é o jogo aereo e o Breno está péssimo nesse fundamento…tomara que o CEni o ” preserve”.

    • Infelizmente como todas as outras leis regentes no país, a trabalhista também é muito falha.
      Não duvido que o advogado dele consiga o que ele deseja – vide o caso de um motorista de BH que durante anos trabalhou com a uber e os processou e o juíz deu ganho de causa a seu favor.
      Pelo que eu li no blog do birner, ele cobra horas adicionais de quando assumiu o cargo como técnico interino sobre o valor de quem ele substituiu. Isso está na lei. Quando vc substitui alguém de cargo superior ao seu, durante esse período vc deve receber o mesmo salário do substituído.
      Agora, resta saber se o advogado do clube vai ser tão bom quanto o dele para argumentar melhor com o juíz.

  8. Se o SPFC ganhar das pigs rósea… juro que não vou cornetar ninguém mais do elenco esse ano.
    Ex.: Denis, Bruno, Douglas, Neilton se ainda ficar…etc. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

  9. Tem que renovar mesmo com os garotos, que desde o ano passado vem jogando muito e nos salvaram de qualquer risco de rebaixamento.
    O que não ppde é ter um medalhão como o Wesley ganhando 400 mim pra não fazer nada enquanto tem jogador comendo a bola ganhando 17mil, como o Luiz Araújo.
    Isso é uma disparidade perigosa.

  10. Sobre a matéria do valor de mercado do Luiz Araujo, o jogador mais rápido que imediatamente, se a diretoria souber negociar, tem que pedir 90 milhões por ele pra alguém pagar esses 70, porque se disserem que ele vale “só” 70 milhões, o primeiro que oferecer 50 leva.

    • Ele vale 70 hoje. Se nas primeiras 5 partidas do Brasileirão jogar essa bola vai valer 100. Se mantiver esse nível durante todo o Brasileirão no final do ano vai valer mais de 100.

  11. Pensando aqui, tive uma certa “ideia” de uma forma de segurar os jogadores no clube por mais tempo. Principalmente a base. Poderia ser criado um método de elevação de salário por metas a serem atingidas.

    Por exemplo: Jogou e foi aproveitado no profissional durante o primeiro ano? Salário mensal R$100 mil.

    Segundo ano no profissional e também rendeu a ponto de ficar? Salário mensal R$ 200 mil.
    Terceiro ano no profissional e ainda rendendo o esperado? Salário mensal R$ 300 mil.
    E assim, sucessivamente. Sobe 100 mil por ano.. Ou 80 + 20 por metas individuais, como artilharia, titularidade, entre outros.

    Mas e se ficar 8 anos (dos 18 aos 26, por exemplo), vai pagar 800 mil? Se o cara ficar 8 anos no clube é porque está dando retorno dentro de campo e será um bom negócio para venda, consequentemente.

    Mas imagine 30 jogadores ganhando 500 mil por mês: R$ 15 milhões de folha. Isso é um absurdo!
    Depende. Imagine também o que fariam 30 jogadores bons (por esse salário tem de ser bons), jogando juntos por 5 anos seguidos. Entrosamento, união, parceria, conhecimento por parte do técnico. Isso gera títulos.

    O retorno no campo é incomparável ao de um time que vive em reformulação. Nós somos prova disso com as baciadas todos os anos e não ganhamos nada nas últimas temporadas.

    Menos comissões para empresários com tantas compras de jogador, maior expectativa (e certeza) de valorização de quem fica, muito menor investimento em contratações como a do Pratto (por melhor que ele seja) e maior valorização dos destaques da base.

    Um garoto de 21 anos ganhando 300 mil não faria tanta questão de ser vendido logo. Mas repito, fica quem deve ficar e compensa o investimento. Os que não servem, empresta ou vende.

    Imagina um time hoje com: Sidão, R.Caio, Breno (bem fisicamente), Buffarini, Júnior Tavares – Casemiro, Hernanes, Cueva, Lucas, Luís Araújo e Pratto.

    Com opções como: Oscar, Bosquilia, David Neres, Shaylon…

    É só analisar o quanto perdemos em contratações que não deram certo, jóias que saíram (de graça, ou baixo custo) por não serem utilizados, e que saíram por salários levemente maiores em outros clubes.

    • É uma faca de dois gumes. Vejo com receio a produtividade atrelada a gols, assistências e metas individuais. O futebol é coletivo e jogador forçaria muitas vezes jogadas pensando nisso.
      Gosto de metas coletivas, como: melhor defesa do campeonato, melhor ataque da competição, melhor aproveitamento de passes da competição, maior número de finalizações certas, maior número de desarmes etc.
      Outra forma de valorizar é atrelar um percentual do passe do jogador a alguma meta do time, como vaga na Libertadores, títulos de expressão. Por exemplo, se o time ganhar vaga na libertadores, título de expressão nacional ou internacional o SPFC concede entre o 2%-5% dos direitos econômicos ao próprio jogador, podendo ele em caso de não ter propostas naquele momento, revender ao tricolor.

Deixe uma resposta