O argentino mais tricolor de todos os tempos, José Poy

Chegou ao São Paulo em 1948, vindo do Rosário Central.

Sua primeira partida no tricolor foi em 14 de junho de 1949 durante um amistoso no Pacaembu frente uma seleção paulista, quando ainda era reserva do arqueiro Mário.

Ainda como reserva foi bicampeão paulista em 1948 e 1949.

Assumiu a titularidade em 2 de abril de 1950 na vitória frente ao Ypiranga por 2 a 1, posição que ocupou até 16 de dezembro de 1962 na vitória por 3 a 0 frente a Esportiva de Guaratinguetá, no Morumbi.

Deve tanto destaque no futebol brasileiro, que chegou a ser consultado quanto a possibilidade de ser naturalizado, por que?

Havia uma clara intenção de convocá-lo para defender a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1954.

Em 1953 e 1957 voltaria a ser campeão paulista.

Como jogador, foram mais de 12 anos como titular absoluto do tricolor, algo superado apenas por Rogério Ceni.

Deixou de ser jogador de futebol para ser treinador.

Em 1975, como técnico tricolor, foi campeão paulista.

Como técnico também foi vice-campeão brasileiro em 1971 e da Taça Libertadores em 1974.

A relação de Poy com o São Paulo, no entanto foi muito além das 4 linhas.

Durante o processo de construção do estádio do Morumbi, uma das formas encontradas pela diretoria para arrecadar recursos era solicitar aos jogadores que vendessem cadeiras cativas e carnes.

Sim, construir estádio com recursos próprios é algo para poucos.

Pois bem, Poy foi um dos jogadores que mais venderam.

Sua associação com o São Paulo era tão grande que costumava ser chamado de “embaixador tricolor” na Argentina.

Em 1992, às vésperas da final da Taça Libertadores, Poy que tinha jogado no Rosário Central, rival do Newells Old Boys, acompanhou a delegação tricolor.

Chegando em Rosário, Poy usou os órgãos de imprensa locais para convocar os torcedores do Rosário para torcer para o São Paulo.

Dito e feito, quem esteve lá, deve lembrar… tínhamos muitos “canallas”, como os torcedores do Rosário são conhecido, conosco.

Poy foi chamado para o andar de cima em 8 de fevereiro de 1996.

 José Renato  Santiago

Anúncios

21 comentários

    • Fico imaginando quantos ídolos temos, são muitos enquanto outros times tem tão poucos.
      No ano novo conversei sobre isso com um amigo e comentamos que nenhum outro clube no mundo iria conseguir fazer o que foi feito na despedida do Rogério, ao reunir vários jogadores entre eles vários ídolos ou no mínimo símbolos de respeito e amor a camisa.

      Espero que deste elenco surjam novos ídolos.

      Vamos São Paulo

      Curtir

      • Realmente somos privilegiados. Nossa história é repleta de ídolos e com o clube sendo colocado novamente nos trilhos, a tendência é aumentar, com mais, mais e mais ídolos para serem eternamente lembrados.

        Curtido por 1 pessoa

  1. A primeira partida de futebol que eu assisti na tv foi são Paulo x esportiva de guara em 1963.. estava ate assustado por que nunca tinha visto um jogo de futebol na vida, so no radio ,acompanhando o Fiori Gillioti..
    Num dado momento, o Parada , que era centro avante da Esportiva entrou sozinho na área do São Paulo,, e tocou a bola no canto , rasteira,,,, o Poy saltou e com a ponta dos dedos jogou a bola pra escanteio. O parada olhou pra ele e fez aquele gesto com as duas mãos: LAARGO.. Levei um susto por que aos 10 anos aquele gesto era um palavrão dito com as mãos. Ai o Poy olhou pra ele e deu uma risada.

    Curtido por 3 pessoas

  2. Sobre o Neilton… pena q nao vingou mas a saida dele pod abrir um espaço ainda maior para a volta do “Rogerinho”. Tomara q o Sport nao pague por ele e q ele, por sua vez, queira voltar.

    Curtir

  3. http://blogs.diariodepernambuco.com.br/esportes/2017/03/01/os-patrocinios-privados-e-estatais-dos-clubes-da-serie-a-de-2017-via-ibope/

    16 (DEZESSEIS) clubes da Série A patrocinados pela Caixa. Se somar o Banrisul, são 17 clubes patrocinados por bancos, ou seja, dinheiro público. É uma vergonha (by Boris Casoy).

    Se desconsiderar o patrocínio mafioso da Crefisa, restam 2 clubes, ambos sem patrocínio: SPFC e Flu.

    Pessoal, o futebol brasileiro faliu. FALIU!!! É igual a Argentina e seu futebol estatizado. Ninguém enxerga isso, mas o 7 a 1 não foi nada perto do que virá.

    Curtir

  4. E eu me lembro que na época do nosso primeiro Mundial, em 1992, ele foi demitido da Portuguesa pq declarou torcida para o Tricolor contra o Barça….
    Parabéns por essa coluna, nos faz relembrar o quanto somos grandes!!!!

    Curtir

  5. Não vi o Poy jogar, só como técnico. Se eu não me engano ele era o técnico do São Paulo em 1975, quando o São Paulo foi campeão em cima da Portuguesa.

    Curtir

    • Nada a ver. A Crefisa é empresa privada, suspeita, se a dona quer sustentar a porcada, sorte deles assim como o palmerinhas se vendeu, quebrou estatuto legalizando-a como conselheira é problema deles.
      Pior é a Caixa, banco estatal, sem concorrente, torrar a rodo com o governo apertando os cintos.
      Ultimamente vejo muita queixa sobre mídia tendenciosa, favorecimentos aos rivais em detrimento tricolor. Sinceramente, o São Paulo é enorme, picuinhas e provocações são tudo que eles querem. A melhor resposta são vitórias de preferência acachapantes e muitos gols.

      Curtir

  6. só agora pude ver as matérias no blog e vi a matéria sobre o leco

    eu não sei o email do Zanca e se o blog vai conseguir entrevista-lo mas se conseguir tenho apenas uma pergunta q gostaria q fizessem a ele, se a moderação por gentileza quiser repassar minha pergunta a ele fico AGRADECIDO desde já.

    lá vai

    Porque no SPFC tudo é feito com intermediação se tem um monte de advogados e pessoas q se dizem “capacitadas” para gerir o clube ?

    explicação da minha pergunta q tbm gostaria q fosse dita ao Leco

    eu não sou contra a comissão desde q seja dentro da REALIDADE do mercado, oq fico “encafifado” é q temos pessoas lá dentro do clube q recebem salários (apesar do clube ainda não estar totalmente profissionalizado) apenas para fazer o seu trabalho, e mesmo assim não conseguem fazer sem intermediários.

    portanto está FALHANDO no trabalho e isso prova q tem pessoas INCOMPETENTES nos cargos, ou tem MARACUTAIA por trás e as diretorias do SPFC anos após anos vem fazendo vista grossa, oq o Leco acha sobre isso ??

    por favor se alguém puder repassem essa pergunta ao Leco

    Curtir

  7. Sobre Neilton,, não boto fe na veracidade dessa noticia.parece comentário de jornalista,
    Primeiro – O Jogador foi analisado e referendado pelo Rogerio Ceni e pela comissão. Não foi imposto ao SP pelo cruzeiro, isso significa que a comissão técnica do SP viu no jogador potencialidade pra pertencer ao grupo
    Segundo – O Jogador esta no elenco do São Paulo a apenas 60 dias , sendo 30 dias de pré-temporada, não há tempo hábil pra avaliar o desempenho nem positivo nem negativo do atleta.
    Terceiro – Avaliação de grupo. Nenhum gestor com conhecimento da função vai reprovar um subordinado em tão pouco tempo, no sentido de dizer que não serve ao grupo – Isso é ruim não pro avaliado, mais sim pro avaliador junto aos demais participantes do elenco.
    Quarto – O Jogador esteve em campo 3 ou 4 vezes apenas – Também e muito pouco tempo para avaliação, Alguns jogadores não tem capacidade mental para assimilar algumas orientações técnicas do treinador, e começam a render menos. Cabe a comissão técnica, reorientar o individuo, retirar das partidas por um tempo e mudar o procedimento para que ele possa assimilar de outra forma os princípios táticos que a comissão quer.

    Curtir

Comente aqui, Tricolor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s