ronnie-mancuzo-sub

Sou do tempo em que Rogério Ceni virou treinador.

Do tempo em que a esperança estava enfraquecida por conta de constantes fracassos em campo e fora dele. Mas a Fé, como sempre, permanecia intocada.

Para ajudar a F√©, Ceni se fez treinador. Ainda que talvez sem saber que nisso ele ajudava, trouxe algo de m√≠stico, talvez m√≠tico… Tudo junto num ato de assumir tal fun√ß√£o.

Fé intocada e fortalecida, esperança renovada em virtude de uma nova temporada. Novidade sem ser tão novidade assim. A interrogação permeando a rotina de treinos do novo velho funcionário da casa.

Como se no buscar de ref√ļgio em algum fator que proteja a esperan√ßa que surgiu, estou aqui, de alma aberta para felicidade √≠mpar junto ao novo ciclo que agora viveremos.

Sou do tempo em que Calleri se tornou ídolo.

Talvez por causa de algo que nos faltou durante algumas temporadas.

Ainda que Lugano tenha retornado para auxiliar a alma Tricolor, diriam que ídolos velhos não ocupam lugares de ídolos novos.

Calleri Boi Bandido, Calleri Maicon, Calleri Cueva, Calleri Lucas.. Calleri Colmán .. Calleri que seja Calleri, que venha a ser Calleri.. que pode não vir e se transforme em outro jogador assumindo o posto. Na falta de títulos e de personalidade e de identificação e de protagonismo e de direção, ídolos surgem do nada e para o nada se vão.

Gosto do jogador. Mas, tão pouco tempo ficou conosco. Se voltar, que fique por muito mais. A ponto de se tornar ídolo maior do que agora é.

Porém, pouco me importa quem seja de fato.

√ćdolos chegam mais facilmente com t√≠tulos, com identifica√ß√£o, com personalidade em campo.

E é assim que mais desejo ver surgir consolidado um novo e real herói Tricolor.

 

Sou do tempo em que, não importava onde fosse, se desse para ir ao estádio, era obrigação.

Por√©m, quando uma pessoa que sempre tratou com o m√°ximo de falta de respeito poss√≠vel nosso clube quer dele se aproveitar para autopromo√ß√£o, vejo natural o ‚Äėboicote‚Äô.

A estreia de Ceni como técnico acontecerá em torneios nacionais contra o time do eterno corinthiano que tem como ápice profissional uma cambalhota na rampa do Planalto. Em um programa da fatídica Jovem Pan, o presidente do Audax disse que aproveitaria a situação para explorar o torcedor que no estádio queira assistir à partida.

“Me ofereceram¬†R$ 700 mil¬†l√≠quidos¬†e mais mil ingressos.¬†N√£o aceitei!”, confirmou.¬†“Se eu n√£o conseguir botar¬†dez¬†mil s√£o-paulinos¬†na estreia do Mito…¬†Eu n√£o acredito que a torcida do S√£o Paulo n√£o v√° a Barueri para ver o Rog√©rio… Dependendo do lugar,¬†se voc√™ compra¬†tr√™s cervejas d√° R$ 60…”, argumentou.

http://jovempan.uol.com.br/esportes/futebol/nacional/clubes/sao-paulo/vampeta-encarece-ingressos-para-estreia-oficial-de-ceni-mas-promete-espetaculo.html

Em tempos de crise, seria interessante participar de uma ‚Äėfesta para o S√£o Paulo‚Äô oferecida por Vampeta a R$ 100,00?

Aparentemente, as organizadas est√£o se movimentando para um boicote. A n√£o ser que seja a √ļnica oportunidade em vida, recente, ou algo do tipo para ver o time de perto, apoio postergar ¬†para o Morumbi, na semana seguinte, contra a Ponte Preta, advers√°rio muito mais hist√≥rico, rival, jogo de grande impacto… certamente teremos festa. E uma festa bem melhor.. afinal de contas.. Morumbi, nossa casa, sem Vampeta.. olha..

 

Nova temporada, novo ano, aquela m√≠stica m√≠tica de novos caminhos que surgem a partir de uma data, sintonia com esse universo de possibilidades. Novo tempo… que no futuro me far√° dizer:

‚ÄúSou do tempo em que se iniciou a retomada das gl√≥rias que sempre fizeram do S√£o Paulo Futebol Clube ser o que √©.‚ÄĚ

 

Ronnie Mancuzo ‚Äď Sub

————————————————————————————————–

 

E por falar em Calleri, o vídeo de hoje mostra todos os gols do atacante pelo São Paulo em 2016.

Postado no YouTube pelo canal oficial, temos uma boa amostra do potencial do jogador que, quem sabe, poderá ser parte de grande destaque em nossa História. Talvez não tão já.. talvez, agora.