1957

No dia 29 de dezembro de 1957, o tricolor comandado pelo Mestre Ziza conquistava o magistral campeonato paulista daquele ano, ao derrotar o grande rival Corinthians naquele que segundo os torcedores alvinegros sempre foi seu estádio, o Pacaembu.

Aquele campeonato paulista entrou para a história do futebol mundial por ter sido a primeira competição disputada pelo Rei Pelé, cuja performance foi tão destacada que propiciou sua convocação para a Copa do Mundo de 1958. Aliás, o Santos com Pelé, naquele ano, foi atropelado pelo Tricolor, em plena Vila Belmiro, após levar uma sapecada por 6 a 2. Coisas de São Paulo!!!

Pois bem, após alguns dias da grande conquista, o Tricolor começou uma excursão ao nordeste, que mudaria de vez uma família. Ainda em janeiro de 1958, com o plantel cansado, o São Paulo enfrentou em Fortaleza, o Ceará, que para se fortalecer, contou com a participação de alguns jogadores de outras equipes da cidade. Um desses jogadores era Fernando Sátiro um franzino volante que tinha sido campeão estadual em 1956 pelo pequeno, e atualmente extinto, Gentilândia.

Sátiro, como era conhecido, não queria jogar aquela partida, pois tinha viagem marcada para ir ver uma namorada no interior cearense. Convencido, teve a infelicidade de marcar um gol contra logo aos 5 minutos do primeiro tempo. Passou a temer por seu futuro, uma vez que pensou que “ia apanhar dos companheiros no intervalo”.

Resolveu correr como ninguém naquele primeiro tempo, para tentar deixar a impressão a seus colegas de equipe, que não estava fazendo corpo mole, tamanha era sua falta de vontade de estar ali. Realmente jogou muito e, conforme tinha sido combinado anteriormente, saiu da partida ainda no intervalo.

Foi ao encontro da namorada, quando recebeu um recado urgente de uma amigo que, de bicicleta, chegou as pressas em sua casa, para avisar que um tal de Raimundo estava procurando por ele, juntamente com seu pai, Mair.

O tal Raimundo era Manoel Raymundo Paes de Almeida que procurara seu pai, Mair, para lhe propor que fosse se juntar a delegação tricolor durante aquela excursão. Novamente, Fernando foi convencido a ir, e novamente deixou a namorada de lado.

Jogou as demais partidas do tricolor, e quando foi se despedir do tal Raimundo, recebeu o convite de vir a São Paulo, jogar pelo atual campeão paulista. Desta vez, a barreira passou a ser seu pai Mair, que não admitia deixar o filho vir a São Paulo apenas para, jogar futebol, tinha que estudar.

Foi quando Manoel Raymundo lhe deu a palavra que seu filho iria estudar em São Paulo. Fernando foi para São Paulo e com ele, toda uma legião de cearenses passou a nascer com o coração tricolor, entre eles, eu, seu sobrinho, que nasceu e, 13 de setembro de 1970, ano do fim do tabu tricolor, de 13 anos, em uma vitória justamente frente o nosso eterno freguês, Corinthians, por 1 a 0 com gol de Terto.

José Renato Santiago