capa-do-blog

E aí, pessoal, tudo certo?

A prosa de hoje dificilmente seria outra sen√£o o assunto que toma conta do notici√°rio e de nossos cora√ß√Ķes, a maior trag√©dia da hist√≥ria do futebol.

Mas a nossa coluna procura não ser mais do mesmo, não ficar explorando a tragédia. Não há mais o que ser falado sobre dor e tristeza.

Todos nos solidarizamos com a Chapecoense, time alegre, uma equipe que muitos jogadores que não deram certo em outros clubes, vimos ser destaque na equipe. E, obviamente, queríamos muitos deles no nosso tricolor.

Sonhamos com muitos jogadores de l√°. Danilo era un√Ęnime, todo torcedor queria ele no tricolor, Dener era uma aposta com muita chance de dar certo. Quem nunca escalou Bruno Rangel, Neto, Danilo, Tiaguinho no seu cartola?

A Chapecoense era a nova Lusa. Time carisma que todos torc√≠amos pelo sucesso, como um segundo time, menos quando jogavam contra n√≥s. Na arena Cond√° era duro de jogar, o Palmeiras que o diga… A Chape √© grande e vai se reerguer.

Resultado de imagem para chapecoense sudamericana 2016

Além de tudo isso, ontem à tarde fomos surpreendidos com uma entrevista do Sr. Fernando Carvalho, presidente do Internacional, que gostaria de colocar em discussão aqui na nossa coluna. Antes de qualquer coisa, veja o vídeo:

√Č certo que o Inter est√° em uma situa√ß√£o complicada, constrangedora para fugir do rebaixamento, mas √© certo comparar com uma trag√©dia sem precedentes? Foi essa a inten√ß√£o do dirigente ou ele foi mal interpretado?

Há 2 semanas atrás, estava o mesmo Internacional revoltado com o canto da torcida do Corinthians que fez alusão à queda da equipe com o acidente do atleta Fernandão, que já vestiu nosso manto sagrado.

Como diz o titulo da nossa coluna, o que dizer quando nada deve ser dito? Com a palavra o presidente do Inter.

Intencional ou n√£o, mal interpretado ou n√£o, talvez n√£o fosse a hora dessa declara√ß√£o, afinal, como diz aquele velho ditado… ‚ÄúH√° tr√™s coisas na vida que nunca voltam atr√°s: a flecha lan√ßada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida.‚ÄĚ

Fernando Carvalho vendo o rumo que tomou sua declaração, logo se manifestou:

desculpa-fernando-carvalho

Isto posto, é hora de discutir isso em nossa velha e boa enquete:

E vamos falar de S√£o Paulo…

Para esgotar esse assunto da tragédia, gostaria de abordar a postura do São Paulo:

Segundo o site do globoesporte.com, o tricolor deverá usar um uniforme preto com detalhes verdes e realizar um posterior leilão com renda revertida às famílias das vítimas.

Leia a notícia aqui

E você, se fosse o diretor de marketing do São Paulo, o que faria?

Por fim, de minha parte, sigo o velho conselho de minha sabia avó que deve estar vendo o jogo da Chapecoense lá do céu:

‚ÄúNa vida, a gente nunca perde, ou ganhamos ou aprendemos‚ÄĚ

A tragédia nos ensinou a sermos mais humanos, ver que a vida pode se esvair em um instante e que o futebol não pode estar acima de qualquer sentimento de humanidade que ainda esta humanidade teima em não ter.

Para a trilha sonora dessa nossa prosa, vai aqui um clássico, de Sérgio Britto, na voz do grupo Titãs, Epitáfio: