Em um momento de recuperação na temporada, o São Paulo terá, neste domingo, um dos desafios mais complicados de 2016. O time do Morumbi irá a Curitiba enfrentar o Atlético-PR, às 16 horas (de Brasília), pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena da Baixada, onde jamais venceu em toda a história do embate.

Embalado pela primeira série de duas vitórias consecutivas na competição – contra Figueirense e Cruzeiro -, o Tricolor contabiliza dez derrotas e cinco empates desde que o estádio do Furacão fora modernizado em 1999. Na edição do ano passado, o time paulista foi superado por 2 a 1.

No São Paulo, a partida é vista como um confronto direto, já que uma vitória faria com que a equipe ultrapassasse o Atlético-PR na classificação e integrasse o conjunto de times que brigam pelo G4 do torneio. No primeiro turno, a agremiação rubro-negra venceu também por 2 a 1, de virada, em pleno Morumbi.

“Precisamos conquistar pontos. Só pensamos nisso. Conseguimos duas importantes vitórias, mas domingo já teremos uma partida complicada pela frente. Só pensamos em vitória, e buscaremos isso”, afirmou o goleiro Denis.

Com os ares mais tranquilos em seu elenco, o técnico Ricardo Gomes não terá desfalques por suspensão para o compromisso na capital paranaense, tendo a oportunidade de repetir a equipe titular que venceu o Cruzeiro na última quinta-feira. A única novidade será o retorno de Michel Bastos, relacionado após três jogos fora. O jogador, no entanto, integrará o banco de reservas.

“Estamos nos 12º lugar e o Atlético-PR está na décima colocação. Então acredito que será mais uma partida dura, parelha, porque são duas equipes com campanhas parecida nos Brasileiro. Contra um rival direto, só a vitória nos interessa. Temos a oportunidade de superá-los na classificação, e vamos com o pensamento de conquistar um resultado positivo para tentar manter a nossa reação no campeonato”, avaliou o volante Thiago Mendes.

A derrota para o Santa Cruz deixou o Furacão exatamente na metade da tabela de classificação, pouco para quem esperava neste segundo turno embalar e voltar a figurar no G4. O ataque rubro-negro parou de funcionar e até mesmo a superioridade física mostrada muitas vezes, já não aparece mais, o que preocupa o técnico Paulo Autuori. Desta vez, aliás, um tropeço pode significar uma queda significava, com o adversário ultrapassando na tabela e a crise se instalando de vez na Baixada.

Para a partida, o comandante atleticano mais uma vez deve fazer mudanças. Porém, como de praxe, manteve o clima de mistério. Confirmado mesmo apenas o retorno do atacante André Lima. “A base da equipe é a mesma, não deve se alterar. A volta do André Lima é certa. Vamos ver como iremos em relação às duas posições que nos faltam. Vamos entrar dependendo daquilo que o adversário apresenta em termos individuais”, disse o treinador.

No meio-campo, Hernani, que sentiu dores musculares no Arruda e foi substituído, deve ficar normalmente à disposição e ir para o jogo. Nikão, que está em processo de transição e voltou a treinar, ainda não tem condições de atuar e segue vetado. A dúvida no ataque fica para o companheiro de André Lima, que pode ser Juninho, Lucas Fernandes ou mesmo Giovanny.

GE