ronnie-mancuzo-sub

 

Três Pontos

Amigos tricolores.

Diante da complexidade da vida que nos √© imposta, tenho pouco participado dos coment√°rios aqui no Blog, mal tenho conseguido informa√ß√Ķes atualizadas sobre nosso Tricolor.

Leio com certo atraso as postagens, acompanho os jogos pelo r√°dio (n√£o consigo ter canal pago, e aqui em Goi√°s, nem sempre temos o S√£o Paulo transmitido). Links ‚Äėa la gato‚Äô me salvam vez ou outra.

Por√©m, os sinais d√£o conta de que as coisas permanecem da mesma forma, seguindo a toada do que de pior tem acontecido no clube nos √ļltimos tempos.

 

Herança

Causa-me espanto ainda hoje vermos jogarem as gest√Ķes anteriores como raz√£o para tantas complica√ß√Ķes, como se delas os mesmos que agora administram n√£o fizessem antes parte.

√Č um termo perigoso, utilizado muitas vezes com a pior das inten√ß√Ķes. Na tentativa de diminuir o peso das responsabilidades gigantescas que trazem as posi√ß√Ķes que ocupam no clube (e que tanto almejaram e tramaram para conseguirem ocupar e permanecer nelas), auxiliados talvez por pessoas alocadas em lugares de relativa import√Ęncia na imprensa, acusam um passado inventado de ser o grande inimigo a ser enfrentado.

Herança ruim terão os torcedores, que permanecerão com o time, estarão são-paulinos após a saída dessa gente que há anos tem sabotado o clube em troca de status, benefícios quaisquer, bajulação e, não difícil, retornos pessoais muito gratificantes financeiramente.

Heran√ßa ruim ter√° o S√£o Paulo Futebol Clube ap√≥s a passagem desse ‘arrast√£o’ transfigurado de diretores, administradores, (ir)respons√°veis, incompetentes e de car√°ter duvidoso, mentindo ao falarem que o mais importante √© o clube, mentindo ao falarem que est√£o preocupad√≠ssimos com a sa√ļde da entidade (como se mais do que com suas pr√≥prias ambi√ß√Ķes ego√≠stas).

 

Jogadores

Após a fatídica derrota (que acompanhei pelo rádio) em pleno Morumbi para um time da Série C, vi alguns lances e claramente podemos constatar que a sabotagem implementada na diretoria chega rapidamente em campo quando no elenco temos figuras de índole questionável.

Jogadores que desistem de jogadas com extrema neglig√™ncia, rendendo oportunidades perfeitas para o advers√°rio que for. Queda absurda de qualidade individual e t√©cnica. Elenco doente, outrora abandonado, resolveu tamb√©m se tornar problema, buscando holofotes negativos. Talvez por possu√≠rem um lado extremamente individualista, insistem no ‚Äėquanto pior melhor‚Äô, como se um rebaixamento fosse rem√©dio.

Mimados, esses ditos profissionais não se preocupam um mínimo sequer se fizerem parte de um elenco fracassado, que conseguiu levar à queda um dos clubes mais importantes do mundo e que nunca antes sofreu tal revés. Sabem que sairão deste e irão pra outro time, com salários próximos aos atuais, como esperança para outros torcedores. Talvez na China até sejam ídolos. E o passado, quando estavam atuando pelo São Paulo, será uma página a ser virada. Alguns vão tratar como superação. Esse é o tipo mais comum de jogador brasileiro atualmente. E esse é o tipo de ídolo que nossas crianças NÃO DEVEM TER.

 

Diretoria

Para alguns com certa expressão na mídia e nos meios de informação, Gustavo é só um funcionário e não deve ser responsabilizado totalmente.

Pouco sei dos detalhes de sua função. Espero que não seja somente negociar. E, mesmo se for, por que a vinda, e/ou permanência, de jogadores que em campo demonstram clara falha de personalidade, além de técnica e histórico questionáveis? E, mesmo se for, é realmente sadio o valor de seus ganhos para o clube (que sempre é colocado pelos próprios diretores como grande devedor e exigente de máxima cautela nos gastos)?

Se é de outros a responsabilidade de extrair dos atletas os seus respectivos melhores desempenhos, por que estamos por temporadas seguidas lidando com a transformação automática de possíveis forças dentro de campo em fracassados do pior tipo, onde aqui no São Paulo encontram suas fases mais negras da carreira?

Onde est√° o indiv√≠duo, ou o grupo determinado, que exerce a fun√ß√£o de trabalhar com o elenco montado, com os ‚Äėfuncion√°rios‚Äô contratados, e neles instaurar o significado de ser parte do clube mais vencedor do pa√≠s, de expor o que realmente √© atuar pelo S√£o Paulo Futebol Clube?

Desviar desses jogadores (que em boa parte têm demonstrado possuir grave fraqueza de personalidade e dignidade) as imundices já conhecidas de anos seguidos de deterioração e sabotagem interna entre os que ocupam a gestão e seus conselheiros é somente um dos objetivos.

Claro, √© poss√≠vel enxergar a vinda de Ricardo Gomes como uma esp√©cie de escudo tentando blindar Leco e os demais (na coletiva ap√≥s o jogo de quarta-feira, o t√©cnico disse n√£o ver responsabilidade na diretoria com rela√ß√£o aos fracassos ‚Äď ainda que n√£o pudesse isso dizer, j√°¬†que sua posi√ß√£o de subalterno exige o cuidado, excluir da gest√£o a responsabilidade √© ERRADO, j√° que TODOS precisam se olhar no espelho e se colocar como PARTES RESPONS√ĀVEIS pelos acontecimentos).

Também é possível enxergar em Ricardo Gomes o típico boi de piranha, que ao final da passagem pelo rio fatal trará um pouco mais de oxigênio para os verdadeiros CULPADOS por toda a patifaria instaurada.

Ronnie Mancuzo – Sub

 

Twitter

@SaoPauloFC

@BlogdoSaoPaulo

@Senhor_Mancuzo