Meias Pretas

Há alguns anos frequento o Blog do São Paulo (que ainda era Blog do Zanquetta quando eu comecei a acompanhar). Durante todos esses anos, nunca usei outro “nick” que não fosse meu primeiro nome, Lucas, simples como deve ser. Contudo, os anos passam, o blog foi ganhando o merecido reconhecimento e cresceu, e passou a abrigar os mais variados Lucas. Do Lucas (Jogador) ao Lucas (este que vos escreve), passam uma variedade de jogadores, comentaristas, cornetas, cavaleiros do apocalipse.

Durante anos resisti com meu “nick” intacto. A foto escolhida para ser avatar do wordpress me parecia suficientemente distinta para não gerar confusões, e apesar do nome Lucas ser o decimo mais comum das terras brasileiras, no blog eu sentia como se o nome Lucas fosse de minha propriedade inalienável.

Claro, o dia da mudança chegou. A quantidade de Lucas no blog aumentou tanto que me senti na obrigação de me distinguir um pouco mais. Talvez o avatar das tirinhas do Cyanide & Happiness vestido de tricolor ainda fosse suficiente, mas isso é debate para outro dia. Escolhi adotar, na sequência do meu nome, um pedido eterno – Meias Pretas

“To lendo uma coluna sobre o por que ele mudou o nick dele?” O leitor pode estar pensando. Admito, a deixa para entrar no real assunto desta coluna pode não ser das melhores ou das mais interessantes, mas agora é tarde demais para voltar atrás. “ Mas afinal de contas colunista, por que a fixação com as meias pretas? ”

Não é tão difícil explicar. O pessoal do blog que tiver uma memória melhor, lembrará de minha coluna de alguns meses atrás, onde eu defendia um conceito singular e um tanto controverso de que não existe absolutamente nenhuma diferença esportiva entre o C. A. Paulistano e o São Paulo F.C. e, portanto, deveríamos considerar toda a história conjunta do Paulistano e do São Paulo como uma única história de um time nascido da elite paulistana de origens brasileiras ( e não estrangeiras, ponto fundamental que diferenciava o Paulistano dos outros clubes na fundação da primeira federação paulista).

Há muitos elementos que argumentam a favor da minha “tese”: os jogadores que compunham o time, como se deu a formação do São Paulo, a própria escolha do nome do clube, e principalmente, o fato da torcida do Paulistano ter se tornado a torcida do São Paulo. Mas há ainda, um outro ponto de ligação ainda mais sutil. Qual? As meias pretas.

O uniforme do Paulistano consistia de uma camisa branca (camisa mesmo, com botões), um short branco amarrado com o um cordão vermelho e meias pretas. Não diferente disto, o primeiro uniforme do São Paulo consistia de Camiseta branca cruzada por faixas vermelha, branca e preta, um short branco e meias pretas. A intenção do clube ao meu ver sempre foi óbvia: Era nítido que o São Paulo queria ser reconhecido como o Paulistano repaginado, ou como defendi em outra coluna, o Departamento de Futebol do Paulistano que ganhou vida própria.

As tradições do Paulistano viviam no recém fundado São Paulo. O novíssimo clube tricolor projetava uma enorme sombra alvirrubra por trás de si. Uma sombra que invocava os 14 títulos paulistas, o futebol galante de ídolos como Prado Junior e Fried, a sombra do primeiro clube a ser campeão nacional. Era a invocação constante do passado dos Reis do Futebol.

Mais do que um simples capricho, as meias pretas eram também um símbolo de continuidade. O tricolor manteve-se com o mesmo uniforme durante uma década e meia. As meias pretas sobreviveram a extinção do São Paulo em 1935 por motivos políticos (Não, o São Paulo não faliu), voltaram junto com o São Paulo na refundação do clube. As meias pretas estavam nos títulos de 1931 e 1943. Nos vices de 1930, 1932, 1933, 1934, 1938 e 1941.

Até que de repente, e não mais que de repente, o uniforme se tornou semi monocromático. Um branco da gola ao último fio dos pés, quebrado apenas pelas faixas tricolores. O ano do abandono das meias pretas foi em 1944. Procurei o Michael Serra, historiador do São Paulo, para procurar mais informações sobre o porquê da mudança: “ Até hoje, nunca descobri” disse ele. Aparentemente, não há algum motivo consistente. Talvez tenha sido apenas algum capricho dos dirigentes. Talvez tenha faltado meião preto na loja naquele dia. Talvez eles tenham chegado à conclusão que “ Da para lavar meia branca agora, os gramados não são mais tão lamacentos. ” A verdade? Esta meus amigos, está perdida no tempo.

Não mais curioso que o abandono das meias pretas, foi seu resgate em 1993: Também sem nenhum motivo aparente, o São Paulo readotou as meias pretas durante o primeiro semestre daquele ano, eternamente lembrado pelo título da Libertadores. Porém, o resgate não foi mais do que um sonho de verão, e tão logo como voltaram, foram embora.

Existe outro episódio também que gera uma baita duma confusão: No ano 2000, ano do centenário de nossa história, o São Paulo entrou em campo durante o torneio Constantino Cury com o uniforme do Paulistano, para homenagear os 100 anos do clube. Porém, há algo no mínimo intrigante nessa homenagem: O São Paulo utilizou meias vermelhas durante a homenagem. Questionei o Michael sobre este episódio também, e indaguei se teria sido um erro ou seria proposital. A resposta não foi muito conclusiva “ não se sabe, pode ser um erro ou pode ter sido proposital. Alguns livros constam que o paulistano usava meias vermelhas, apesar de na maioria das fotos, ser evidente que eram pretas”.

Talvez nunca descobriremos o porquê das mudanças, e agora também, não importam tanto assim. Mas eu me manterei firme em meu pedido: Voltemos a usar as meias pretas! Um sinal de respeito com nossa própria história. Não a que dizem ter começado em 1930, mas sim toda a nossa história, que começou naquele distante ano de 1900.

Lucas
O das meias pretas

Em tempo: Obrigado ao Michael Serra por ter sido tão solicito no Twitter!

Link das imagens

http://cacellain.com.br/blog/?cat=51

http://noticiasspfc.com.br/a-fundacao-do-sao-paulo-futebol-clube/

 

Anúncios

71 comentários em “Meias Pretas

  1. Lucas, vc teve tanto trabalho a toa… bastava perguntar ao Vitão, pois naquela época ele já desfilava pelos estádios de São Paulo. Certo é que era “palmeirista”, mas deve se lembrar.

    Curtido por 8 pessoas

    1. Sinceramente, quando SP usa o uniforme 2, todo listrado, os meiões pretos caem bem,
      também com calções pretos.
      Para mim deu um ar de força, poder, de time que tem autoridade! Mas, claro, com a
      nossa gloriosa camisa!
      Vi os meiões e calções pretos a 1a vez no final do torneio Tereza Herrera ou Ramón de
      Carranza, não me lembro ao certo (contra o Real e foi 4×0) em 92.
      Achei muito bacana o uniforme, bonito mesmo!!

      Curtir

  2. Parabéns Lucas, belíssimo post. Ah…já ia me esquecendo: PRIMO, tô rindo até agora de seus coments a respeito do VITÃO….rs. O Vitão deve ter assistido a primeira missa no Brasil kkkkkkkk

    Curtir

  3. Qto a data da fundação do SP, lembro que nos anos 60 e 70, o SP comemorava com jogos amistosos, alguns internacionais, como seleção da Hungria, FC Porto e Sport Lisboa.

    Curtir

  4. Gol do Sport… pênalti no Rogério.
    “Com ordem não se negocia”, e com jogadores efetivos se negocia ?
    Ainda bem que ele foi apenas emprestado..
    Outra coisa será que ninguém nessa diretoria tem moral pra falar pro treineiro..centurion não joga.. tá sendo negociado ponto final…simplesmente perdeu uma semana de treinamento com o jogador errado.

    Curtir

    1. Por favor, nao compare o Sao Pauo com o Sport.
      La o Rogerio nao precisa marcar e aqui, de acordo com a tatica de nosso tecnico ele precisaria.

      Nao foi o Paton que pediu pra ele sair, o fato dele ter saido foi por sua propria decisao em que ele alegou pronlemas em sua familia.

      Curtir

    2. Ricardo,

      O Rogério várias vezes não foi “efetivo” como vc citou… é um bom jogador, incisivo, mas muitas vezes
      jogou ciscando, driblando, mas não sendo efetivo. Além do mais, pelo que ficava evidenciado, ele não
      era de cumprir taticamente o que era determinado. Em algumas situações, irritava os companheiros,
      tanto é que o Maicon num determinado jogo, trocou “gentilezas” com o Rogério.
      Então, por favor, não queira transformá-lo em vítima suprema do “algoz” treinador…
      Bauza tem seus conceitos e, gostemos ou não, resgatou coisas que não víamos há tempos!
      Se erra? Claro que erra! E quem não erra?
      Fora suas teimosias (se bem que Centurión fez sua melhor partida como centroavante, posição que
      ocupará amanhã). Porém, lembre-se: ele o faz porque não tem opção amanhã…
      Ele ainda é o técnico que mais utilizou garotos nos últimos 10 anos (me diga qual outro treinador o fez,
      nesse período, por favor).
      Repito: Rogério é bom, e penso que possa voltar em um momento que poderá ser útil de novo ao clube.
      Como entendo que Centurión deve ir respirar novos ares, pois a sua cabeça continua com problemas
      particulares que o afetam…
      Quanto a negociar o Centurión, simples: está sendo negociado, mas ainda não o foi… estando disponível
      e o técnico precisando, tem mais é que usá-lo. Amanhã temos que ganhar de qualquer jeito…

      Curtido por 2 pessoas

  5. Eu acho o uniforme 1 o mais lindo do mundo, todo branco.
    Mas a teoria do Vitão de que em alguns jogos o SPFC foi campeão ou fez grandes partidas com o meião preto tem fundamento.
    Não sou adepto do terceiro uniforme, a não ser o lançamento do mesmo e jogar apenas um único jogo com ele e ainda mantendo as 3 cores tradicionais ,mas respeito à opinião de quem gosta e acha legal.

    Curtir

  6. muito lega a sinopse do meião…também gostei da ilação sobre o Paulistano, pois a travecada adora contar os campeonatos que tiveram quando eram amadores, inclusive disputando duas ligas…deveríamos também contar as do Paulistano, pois foi o Departamento de Futebol, deles, bem lembrado, que deu surgimento ao SPFC…teríamos 33 títulos…só da fase profissional, estamos na frente do clube sem cor….

    Curtido por 1 pessoa

  7. Mais um lance do Rogério…gol do Sport.
    “Com ordem não se negocia” e com bom futebol se negocia?
    Retranqueiro e ultrapassado me faz um argentina leva ele por favor ? O voucher do táxi até o aeroporto deixa comigo.. blz.

    Curtir

  8. Gabriel Fuhrmann ‏@gabrielfuh_ 20 hhá 20 horas
    Isso é terrorismo político, parte da manobra de quem atrelou a modernização do estatuto, a validação dos próprios erros. Manobra suja.

    Gabriel Fuhrmann ‏@gabrielfuh_ 20 hhá 20 horas
    O São Paulo não vai perder contrato de jogadores, da Under Armour ou qualquer coisa assim se o “Não” vencer. Não acreditem nesse terrorismo

    Arnani meu voto é não!!!

    Curtido por 1 pessoa

  9. E você que está pensando em me criticar claro..tem todo o direito…amanhã à gente conversa no intervalo do jogo…quando o time não jogar nada porque com a escalação que vai…não sai cachoro desse mato.teve u.a semana desde o jogo contra o grêmio e não vai aprimorar nada..falta de visão do treineiro.

    Curtir

  10. Boa Luquinha, excelente coluna.

    Em relação as meias pretas não é que eu não gosto das meias brancas, mas já percebi que muitas vezes o São Paulo fez grandes partidas usando as meias pretas, exemplos:

    São Paulo 4×0 Real Madrid – Ramón de Carranza em 1992 – calções brancos, camisa listrada, meias pretas.

    São Paulo 5×1 Universidad na 1ª final da Libertadores de 1993 – calções brancos, camisa branca e meias pretas.

    São Paulo 6×1 Santos na despedida do Raí em 1993 – calções brancos, camisa branca, meias pretas.

    Lazio (Itália) 1×3 Expressinho do São Paulo em 1993 – Tereza Herrera – calções pretos, camisa listrada, meias pretas.

    Grêmio 0x4 São Paulo – Brasileirão de 1999 no Olímpico – calções brancos, camisa branca, meias pretas.

    Grêmio 0x4 Mistão do São Paulo – Sulamericana de 2003 no Olímpico – calções brancos, camisa branca, meias pretas.

    Atlético MG 0x5 São Paulo no Independência pelo Brasileirão de 2004 – calções brancos, camisa branca, meias pretas.

    Corinthians 1×5 São Paulo – Brasileirão 2005 no Pacaembu – calções brancos, camisa listrada, meias pretas.

    Obs: O Cruzeiro é um dos nossos maiores fregueses principalmente jogando no Mineirão, em mais de 90,09% destas vitórias jogamos de calções brancos, camisa branca e meias pretas.

    Se alguém duvidar é só conferir estes jogos no Youtube, tem todos.

    Tem muitos outros jogos e grandes vitórias, só citei alguns.

    Curtido por 1 pessoa

  11. Essa é a prova que qualquer assunto pode gerar um bom texto, mesmo os aparentemente mais banais, parabéns Lucas, muito embora eu pessoalmente goste mais do segundo uniforme do São Paulo do que o primeiro, e achei até interessante, o time usar, nem que seja por uma temporada, as citadas meias pretas, ou então, vermelhas, pq não?

    Curtido por 1 pessoa

      1. Verdade Vitão , nossos dois uniformes são lindos, como aliás, tudo em nossa história grandiosa, é que, até por gosto pessoal mesmo, no futebol, gosto mais das camisas listradas, sejam elas verticais ou horizontais, do que as lisas ou aquelas em que uma cor predomina perante as demais…

        Curtido por 1 pessoa

  12. 皆さん今日は!!!

    Belo post como sempre, ainda mais vindo do Lucas Silva Silva do Mundo da Lua da TV Cultura-canal 2 com Antonio Fagundes como uma das atrações do seriado a qual passava nos anos 90 rs… O São Paulo é um dos poucos clubes que ainda mantiveram sua tradição entre os clubes paulistas no tocante ao uniforme e as cores que representam. Para ser honesto, nunca reparei que as meias pretas eram usadas pelo Paulistano naqueles tempos. Se não me engano o AA das Palmeiras que também faz parte da história do SP também usava meias pretas.

    Embora o clube hoje possui uma torcida variada em classes sociais que vem desde os pobres aos membros da elite, o clube continua representando a elite paulistana, elite essa que contribuiu muito para crescimento da cidade de São Paulo.

    Da história do São Paulo alguns clubes merecem destaque pelo que é hoje o São Paulo:

    -Tietê
    -Estudantes
    -Paulistano
    -AA Palmeiras

    Embora seja um clube não centenária em sua fundação, ele possui mais história que muitos centenários.

    Curtido por 2 pessoas

  13. marciotricolor
    30 de julho de 2016 às 18:07 Responder
    Lucas, vc teve tanto trabalho a toa… bastava perguntar ao Vitão, pois naquela época ele já desfilava pelos estádios de São Paulo. Certo é que era “palmeirista”, mas deve se lembrar.

    ———————————————————————–

    Se eu tivesse um genro cúrinthiano ou parmerense eu bateria nele e na minha filha.

    Curtido por 1 pessoa

  14. As cores pretas e vermelhas são usadas em sinal de alerta, perigo, atenção.

    Na tarja dos remédios, nos avisos dos bombeiros, no farol, no cartaz que chama a atenção, no sinal de proibido, no sinal de perigo, de atenção, etc….

    A cor branca é neutra, não chama a atenção.

    Numa jogada rápida ou se o jogador tiver de cabeça baixa ou precisar de dar um passe ou lançamento com rapidez, vai ser mais fácil ele enxergar as meias pretas ou vermelhas do que as meias brancas por que as pretas e vermelhas chamam mais a atenção, fica mais fácil a visualidade.

    Isso não significa que vai ganhar ou perder por causa disso, mas pode ajudar e facilitar, é só um dado que pode ajudar mais na perfeição principalmente quando tem que pensar ou agir com rapidez.

    Curtir

  15. A rivalidade São Paulo x Palmeiras mais conhecido como Choque Rei é uma das rivalidades que posso dizer ser mais amistosa em meu ponto de vista.

    Embora sejam rivais, ao longo da história entre esses clubes nem um nem outro tentaram acabar com outro ou jogar trapasseando para conseguir vitória ou titulo.

    Pelo contrário, quando o São Paulo foi campeão no periodo Varguenha o Palmeiras saudava o campeão com faixas, inclusive há duas fotos com essas faixas nas páginas de historiadores tricolores.

    Somando a esse fato, a amizade entre jogadores dos dois clubes sempre foram fortes e o respeito entre eles sempre foram bem destacados.

    O Palmeiras cedeu Julinho Botelho na inauguração do Morumbi em 1960.

    Somando a esse fato, teve várias duplas de amigos envolvendo esses dois clubes.

    Serginho Chulapa e Cesar Maluco

    Pedro Rocha e Adhemir da Guia

    Bernardo e Careca

    Evair e Rai

    Rogério e São Marcos.

    O Julinho Botelho já mencionado por mim até o tempo que ele morreu era sempre convidado especial em jantares no hall do São Paulo em grandes eventos de final de ano.

    Curtir

    1. O Palmeiras sempre teve inveja do São Paulo, principalmente seus torcedores, considero eles mais inimigos do que o Cúrinthia.

      Seus torcedores fazem teorias da conspiração contra o São Paulo, coisa que os cúrinthianos não tem inteligência para fazer.

      São Paulo só se tornou “inimigo” do Cúrinthia após 1998 por causa de Vampeta, Citadini e etc….

      Curtir

  16. Excelente texto. Parabéns ao autor. Acho que deveríamos ter um terceiro uniforme, ou variações no atual. Poderíamos ter uma excelente fonte de renda. Claro, nada carnavalesco, nada que fuja das nossas tradições. Mas vejam quanto os times europeus faturam com camisas.

    Sempre fomos um clube de vanguarda. Deveriamos voltar a ser. Ao mesmo tempo, deveríamos olhar nosso passado com carinho. Vendo esse texto sobre nossa tradição, eu fico me perguntando porque não usamos os grandes atletas que tivemos.

    Poderíamos utilizar grandes jogadores do passado, para ensinar os jovens, desde as categorias de base. Eles podem ensinar os garotos posicionamento, como bater na bola, antecipação, lançamentos, etc..

    Curtido por 1 pessoa

  17. Falando um pouco sobre a rivalidade São Paulo e Curintias, eu posso dizer algumas coisas.

    Até meados da década de 20 o rival Curintia tinha sucesso no tocante a titulos até aparecer um clube chamado São Paulo FC no início da década de 30.

    Como sabemos, o Coritians já naceu na pobreza, nem luz elétrica eles tinham no dia de sua fundação e em poucos anos veio sua primeira de várias crise que teve chegando a beira da falência.

    Não se sabe quando realmente se tornou uma rivalidade o chamado Majestoso, mas logo nos primeiros anos da década de 40 o São Paulo já demonstrava que seria um clube de conquistas e temendo isso os dirigentes do Corinthians pediram a FPF criada em 1942 para que titulos da era amadora fosse reconhecido como Paulistas a qual eles contam com orgulho.

    Ao contrário que o Vitão diz a qual gosto muito de seus comentários, o Corinthians desde tempos antigos já moviam dedos nos bastidores para prejudicar o São Paulo seja via reclamações a FPF, seja via mídia, ou seja via governo. Inclusive um dos titulos do Corinthians veio sob uma arbitragem bem suspeira nas primeiras decadas após a profissionalização do futebol paulista.

    Durante a época que o SP buscava um terreno para fazer sua nova casa, governantes e políticos torcedores e sócios do Corinthians tentaram de várias formas impedir que tal obra gigantesca fosse feitos. O local onde foi feito o Center Norte era um dos lugares que o SP queria fazer o estádio, mas foi impedido pelo Janio Quadros e outro local era o que é o Parque Ibirapuera a qual novamente foi impedido por ele.

    Em 1957 na véspera do clássico conhecido como “tarde das garrafadas” jogadores do Corinthians fizeram emboscada para machucar jogadores do SP afim de deixar o time desfalcado, teve até tijolada do Luizinho no hospital e na hora do jogo deixavam o pé fazendo faltas para prejudicar o clube de qualquer forma. Após o SP ter ganho o jogo e o campeonato torcedores corintianos inconformados jogaram garrafas no campo a qual poderia machucar os jogadores do SP.

    Nos anos 60 Monsenhor Bastos foi alvo de ataques da torcida corinthiana e quase que houve problemas mais sérios. O meu professor da época do ginásio foi no Morumbi nessa época e jogaram laranjas nas costas dele e como ele era grandão e forte, saiu correndo e bateu nos caras.

    Nos anos 70 mecheu os dedos novamente nos bastidores na semi-final de 1977 impedindo o SP de estar na final daquele ano contra a Ponte. Enfim, são vários relatos que comprovam que o SP era para os corintianos assim como é até hoje inimigo deles.

    Por isso que respeito mais o Palmeiras que o Corinthians pois se mostram diferentes quando se fala em rivalidade. Enquanto um é rivalidade saudavel, outro é rivalidade de medo que precisa trapassear para conquistar algo.

    Curtir

    1. o Odio entre São Paulo x Corintia vem de longe, desde a epoca do Paulistano
      o racha de federaçoes na decada de 10 foi causado pelo Paulistano, que nao aceitava que clubes populares como a galinhada entrasse no campeonato.
      A questao entre São Paulo x Corintia sempre puxou mais pro lado do odio do que pra rivalidade esportiva

      em tempo: A rivalidade com a porcada nao foi assim tao suave. durante a decada de 40 foi o auge: O Palestra, italianinho vs o São Paulo e sua torcida extremamente nacionalista. Da até pra lembrar o episodio da suposta tentativa do tricolor de tomar o parque antartica para si, em retaliaçao aos italianinhos que apoiavam o Eixo na guerra.
      Relembrando a frase de Oberdan Cattani ” O corintia é rival. o São Paulo é inimigo”

      Curtir

  18. Resumindo, nem porcada e nem curica são coisa que preste.

    Times ou seleções que mais odeio pela ordem:

    1º Parmera

    2º Curica

    3º Alemanha

    4º Itália

    —————————————————————–

    Qualquer um da face da terra que joguem contra esse eu torço contra.

    Outra coisa:

    Os parmerenses tem tanta inveja do São Paulo, que antes do São Paulo ser Campeão Mundial e principalmente Bicampeão Mundial quase ninguém tinha ouvido falar da Copa Rio de 51, nem a maioria absoluta de parmerenses, bastou o São Paulo ganhar para aparecerem com essa história de transformar Torneio de Verão em Mundial.

    Eita dor de cotovelo danada.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Parabéns pelo post Lucas. Muito bem escrito. É preciso ter uma boa dose de inteligência e bom gosto para apreciar. Infelizmente nem todos tem. Mas é o tipo de leitura que nos faz viajar no tempo e sentir ainda mais orgulho de ser o que somos. Tricolores.

      Curtido por 1 pessoa

  19. Olá Vitão! Espero que vc não pense que estou te convencendo que o Palmeiras é santo e Corinthians é vilão. Considero ambos rivais, mas não dá para respeitar o Corinthians especialmente depois de muitas coisas que eles fizeram para prejudicar não somente o São Paulo como também o futebol Brasileiro. Se hoje o futebol brasileiro está nessa lama, todos devem “agradecer” eles pela fama do futebol brasileiro hoje ser uma piada.

    Lucas, eu sei que o Palmeiras não foi esse soft, sei desse conto da suposta tomada do Parque Antartica ou do suposto amor por completo por Mussolini, mas isso nada compara em termos de sentimentos de ódio quando se fala em magestoso. Ao mesmo tempo que há atritos sobre esses pontos mencionados por ti, há também fatos positivos já mencionados por mim no meu segundo comentário. Mas repito, o meu intuito não é colocar o Palmeiras como “amigão” ou “soft”, mas sim de destacar alguns pontos que muitos não falam.

    Eu já sou frequentador de blogs e fórum já de um tempão e diferente do que muita gente diz eu percebo que há mais discursos de ódio vindo de corinthiano que inventam estorinhas ficticias sobre o SP do que de Palmeirenses e Santista(pelo menos é isso que tenho observado até hoje). Sou usuario do youtube e tenho visto mais videos de canais de corinthianos defamando o SPFC do que de demais rivais. De um palmeirense só vi um tal de “cruz de savoia” já de corinthianos vi um monte fazendo videos falando de suposto rebaixamento, falência, ou coisa do tipo.

    Nos videos de Libertadores nota se grande presença de torcedores do Corinthians tentando menosprezar, minimizar ou demonstrar sua pequenês. Não vejo tantos outros rivais tentando de alguma forma menosprezar os titulos como vemos curicanos fazendo em videos de Libertadores e Mundiais.

    Respeito quem tem opniões diferentes da minha, mas pela minha experiência na net e discussões é isso que tenho observado. Considero ambos rivais, respeito torcedor verdadeiro dos times deles, mas não dá para colocar no mesmo patamar.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Acho uma pena…o prass é um bom goleiro e merecia essa convocação pelo que vem jogando…

      E Lucas meias pretas muito bom seu texto hoje fiquei conhecendo um pouquinho mais a rica história do nosso tricolor, obrigada!

      Curtir

  20. Lucas, embora vc sendo jovem, percebo que já é adulto em atitude e isso que é bom.

    Uma pessoa madura não se abala com ofensas ou indiretas, sabe responder de modo sereno a todos.

    Sobre o jovem que disse que seu texto é “chato”, eu não culpo ele não pois infelizmente ai no Brasil os pais, governo e professores não incentivam os alunos a ter interesse em conhecer a história seja de seu país, seja de suas origens, seja de tudo. Simplesmente eles doutrinam um assunto e pronto, vc tem que acreditar naquilo que dizem para vc.

    Particularmente não gosto dos Brasileiros dessa geração a chamada geração modinha ou geração mimimi… Cheio de não me toque que qualquer coisa acha que é preconceito, que é ofensa, que é racista, ou coisa do gênero. Costumo chamar essa geração de hoje de Geração Mulherzinha ou Geração Menininha. Só de falar isso os cara já piram kkkkkkk Se acham intelectuais só porque faz uma Federal, chegam já desafiando qualquer um pensando que são phodas ou gênios, mas quando é confrontado por alguém experiênte são os primeiros a fugir dos debates ou perder a linha. Batem no peito e se dizem orgulhosos de serem brazukas, mas nem conhecem a história de seu próprio país rs…

    Colocando torcedores do SP nessa analogia vemos a mesma coisa. Tem sãopaulino especialmente dos tempos atuais que dizem ser sãopaulinos, mas nem tem interesse pela sua história.

    Curtir

  21. Gustavo Vieira, você que é gerente de futebol do São Paulo e não contrata meia e atacante, por falta de opções, têm mais um, para a sua lista:
    Róbson, atacante do Paraná Clube, com 8 gols e que vem fazendo bons jogos.
    Se o problema e falta de opções , a torcida do São Paulo te ajuda.

    Curtir

  22. Belo texto. Eu particularmente gosto das meias pretas no uniforme 2. O uniforme 1 todo branco é elegante, apenas as listras horizontais marcando nossas cores. E o 2o uniforme é uma vestimenta mais “da noite”, mais malvadão, cores mais fortes. Pra mim os dois juntos representam o que é o nosso time, elegância, futebol bem jogado, raça e luta.

    Curtir

  23. Uma coisa q reparei q mudaram na camisa do SPFC desde sua fundação, é as listras verticais na camisa, q antigamente era bem mais acima, na altura do peito. As de hoje é quase no umbigo !!

    Curtir

  24. sobre as meias, eu prefiro mais as brancas, combina melhor ! Não sei quem teve a ideia mas ficou bem melhor assim. Só acho q deveria usar as pretas em casos especiais, ou em jogos pra diferenciar de outros times q tiverem a mesma cor.

    oq eu tenho birra é com as listras da camisa, essa sim quem teve a ideia de baixar na altura do umbigo tava bêbado no dia. Não sei como esses cardeais deixaram aprovar uma coisa dessas.

    e as listras na minha opinião pra manter a tradição, tem q se encontrar nas costas aonde fica o número, outra coisa q tbm me irrita quando vejo uma patrocinadora de material esportivo fazer fora do tradicional. Como está agora da Under de 2016, as de 2015 estavam certas, só falta subir as listras.

    por isso q não compro a camisa numero 1 do SPFC, apenas a 2, eu sou muito tradicionalista nesse quesito da camisa do SPFC.

    Curtir

Comente aqui, Tricolor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s