Além de pedir a cabeça do treinador à Leco, alguns conselheiros que vem cada vez mais incomodados com o desempenho e principalmente com o estilo do argentino, hoje se irritaram profundamente com Patón. A forma que lida com peças como Wesley, Bruno, Michel Bastos mais ameno quando eles sabidamente precisam ser mais cobrados, mudança de posição de alguns atletas e escalação em posições distintas das características originais dos jogadores e a teimosia com outros é a principal causa da irritação.

Muitos entendem que Bauza não tem a mente aberta como tinha Osorio para entender os jogadores e para se adequar ao futebol brasileiro e que até ele encontrar o ponto do time, muito já terá se perdido. A demora em conseguir consistência e estilo de jogo é cada vez mais preocupante realmente.

 

Hoje em um grupo de whatsapp a crítica foi ostensiva pela colocação de Rogério como meia novamente no lugar de Ganso. Muitos comentaristas vem tripudiando do treinador pela forma que enxerga a posição do jogador e colocando ainda mais lenha na fogueira. Alguns setoristas vem intensificando as críticas pela insistência. Para piorar, Milton Cruz deu entrevista neste domingo afirmando que a importância dele com estrangeiros é exatamente esta, a adaptação e informações, mas como todos sabem, ele está afastado da comissão técnica.

Em conversa com o grupo a meta de 6 pontos foi estabelecida por Bauza e o grupo consentiu. Agora é fundamental conseguir vitórias para amenizar o clima e o time seguir mais forte e preparado. para o jogo contra o River. Dar mais moral a Patón e ao grupo. Reduzir a cornetagem e achar a liga do time é o desafio agora.

Blog do São Paulo 

Anúncios