banner_sou_tricolor_2

Fatos da semana ‚Äď 21/08 a 27/08 – ESCRITA POR ¬†WAGNER MORIBE

As opini√Ķes deste colunista a respeito da semana que passou.

Fim da linha ‚Äď O que vi na √ļltima semana me fez ter a plena convic√ß√£o de que Juan Carlos Os√≥rio n√£o pode mais ser o treinador do S√£o Paulo.

O time est√° perdido. N√£o jogamos bem na quinta passada, n√£o jogamos bem domingo e n√£o jogamos bem ontem, apesar do resultado.

Ali√°s, se a classifica√ß√£o n√£o tivesse vindo no Cear√°, eu provavelmente n√£o externaria esta opini√£o nesta coluna, para n√£o soar ‚Äúchute em cachorro morto‚ÄĚ.

Não vou me aprofundar novamente sobre os erros que Osório vem cometendo, e que venho listando há semanas aqui.

Certos ou errados, os métodos do treinador definitivamente não estão dando certo, seja por incompetência de Osório, seja por falta de entendimento ou vontade dos jogadores.

Tirando-se Rog√©rio Ceni e Pato, o elenco parece n√£o estar a vontade com o t√©cnico. O plantel atual do S√£o Paulo √© cheio de jogador mimado, mas neste caso, qualquer ‚Äėbirra‚Äô com o treinador chegaria a ser compreens√≠vel. Carlinhos n√£o joga na posi√ß√£o na qual foi bicampe√£o brasileiro e que o fez chegar at√© a sele√ß√£o; Michel Bastos n√£o atua na meia, que lhe consagrou na Fran√ßa e nos seus primeiros meses de S√£o Paulo; Thiago Mendes nem sempre atua de volante, como foi destaque no Goi√°s, e Centurion nunca mais foi ponta esquerda com Os√≥rio, como fazia na Argentina.

Os jogadores de defesa se veem jogados na fogueira pelo esquema ultraofensivo do técnico. Tolói virou bola da vez, e Lucão e Auro, dois garotos, começam a ser precocemente postos em cheque.

Dá para se dizer que nenhum jogador, com exceção de Pato, passou a jogar melhor desde a chegada de Osório ao Morumbi. Em casos como o de Lucão, Hudson, Michel Bastos e Centurion, a queda de rendimento é notável. Enfim.

Ao contrário de grande parte dos jornalistas esportivos, setoristas do São Paulo, e torcedores tricolores, este colunista é contra a permanência de Juan Carlos Osório no Morumbi. Como tenho certeza de que o treinador não sairá do Tricolor tão cedo, continuarei torcendo para que ele me prove que eu esteja errado.

Uma pena porque, de verdade, a cada entrevista que vejo o técnico conceder, fico mais impressionado com seu conhecimento teórico sobre futebol e, especialmente, com a postura do nosso comandante.  Mas está faltando converter a teoria na prática.

Simplificando ‚Äď Enquanto voc√™, Juan Carlos, √© nosso treinador, sigo preocupado com o presente do nosso time. Deixo aqui, algumas sugest√Ķes:

Professor, vamos no b√°sico. Chama o Capit√£o, d√° a bra√ßadeira, e deixa ele comandar a defesa, como tem sido nos √ļltimos 18 anos.

Na direita, p√Ķe o Bruno, que tem sido uma agrad√°vel surpresa para mim nesta temporada. Na minha opini√£o, est√° no mesmo n√≠vel dos melhores laterais do pa√≠s, como Marcos Rocha, Fagner e Lucas. Quando Bruno n√£o estiver apto, vamos de AURO, que √© um LATERAL de futuro.

Na zaga, o problema √© dos mais complicados. Rodrigo Caio vai bem tanto na defesa, quanto no meio, mas como temos melhores op√ß√Ķes para volante, escala o ex-quase jogador do Val√™ncia/Atl√©tico de Madri de beque. Do seu lado, n√£o h√° d√ļvidas de que Breno ser√° o dono da vaga. Enquanto o monstro se recupera, eu iria de √Čdson Silva, porque Luc√£o anda sofrendo da irregularidade t√≠pica dos jovens e Luiz Eduardo √© fraco pra burro. No fundo, pode escolher qualquer um dos tr√™s, que a diferen√ßa n√£o ser√° tanta.

Na esquerda, não tem o que pensar. Carlinhos marca pouco, mas é bem melhor que Reinaldo. Mas tudo bem, se você acha que o adversário ataca demais pela direita, escala o Reinaldo (embora Marquinhos, do Cruzeiro, não concorde que Carlinhos marque tão pior assim).

De volantes, as op√Ķes tamb√©m n√£o s√£o muitas. Vamos no cl√°ssico cabe√ßa-de-√°rea que marca junto a outro com mais sa√≠da, como era o SCCP de Ralf e Paulinho, o Fluminense de Diguinho e Jean, e o Cruzeiro de Nilton e Lucas Silva, os √ļltimos campe√Ķes brasileiros. Com Rodrigo Caio na zaga, Hudson √© basicamente o √ļnico primeiro volante de oficio do elenco. Ao seu lado, Thiago Mendes ou Wesley s√£o boas op√ß√Ķes. Eu ia com o ex-jogador do Goi√°s, que com Muricy e Milton Cruz era meia, e com voc√™ joga mais de lateral.¬† Surpresa: o ‚Äėnovo Ramires‚Äô √© segundo volante, e dos bons!

Do meio para frente, sua tarefa fica mais fácil. Nada de Carlinhos (tá na lateral, lembra?) de ponta, nem de Centurion de centroavante. Vamos no que já deu certo: Michel Bastos na MEIA/PONTA direita, Ganso centralizado e Alexandre Pato, na esquerda (faz de conta que é mérito seu). Na frente, Luis Fabiano. Enquanto ele e Kardec estão no REFFIS, fique a vontade para escolher entre deslocar o Pato pra frente com Centurion na esquerda (onde fez sucesso na Argentina), e começar a dar chances pro João Paulo, mantendo Pato onde quer.

Vai dar certo, eu não prometo, mas tenho fé. Bruno sobe, Thiago Mendes cobre; Carlinhos sobe, Hudson fecha a esquerda. Sem a bola, Michel e Pato te ajudarão marcando lateral adversário, eu garanto. O primeiro porque vai querer se manter como meia (e não volante ou lateral) e o segundo porque te admira.

Faz o simples, e n√£o se preocupe em ‚Äėrevolucionar o futebol brasileiro‚Äô. As vit√≥rias lhe dar√£o esse r√≥tulo…

A culpa √© dos cartolas ‚Äď Quando se critica os resultados recentes obtidos pelo S√£o Paulo, a resposta mais recorrente vinda de quem defende Juan Carlos Os√≥rio √© de que a culpa pelo momento do Tricolor √© da diretoria. De fato √©. Como comandante da nave, √© quem deve responder, tanto por acertos quanto por trope√ßos.

O que não significa que o técnico não possa estar pecando na tarefa que lhe cabe, que é a de treinar e escalar o time.

Não conheço, não sou fã e muito menos advogado de Carlos Miguel Aidar, Ataíde Gil Guerreiro e companhia. Mas chega a ser sacanagem atribuir a atual gestão toda a carga de problemas atuais.

Aidar peca ao falar demais na imprensa, ao externar intriga pol√≠tica. Lhe falta clareza para esclarecer casos escusos, como a tal comiss√£o para a namorada e a demiss√£o de Gustavo Vieira. Foi ing√™nuo ao trazer Alan Kardec, j√° que a ‚Äėd√≠vida do clube era muito maior do que pensava‚Äô, como ele mesmo revelou poucos meses depois de assumir a presid√™ncia, e voltou a ser ing√™nuo na montagem do elenco deste ano, uma vez que deveria ter previsto que a conta viria salgada neste meio de ano.

Mas o grande erro cometido por Aidar foi cometido quando este ainda nem era presidente: armar a reelei√ß√£o de Juvenal Juv√™ncio. Toda a derrocada do S√£o Paulo, rumo ao caminho da vala comum de mediocridade do restante dos clubes brasileiros, come√ßou no 3¬ļ mandato de JJ.

Quem critica o desempenho da equipe atualmente parece ter se esquecido do que passamos em 2013, disparadamente a pior temporada de nossa história, anos-luz abaixo da situação atual.

Me assustei ao ver torcedores pedindo a volta de Juvenal, ap√≥s a derrota para o Cear√°, no Morumbi, na √ļltima quinta-feira. Me lembrou esse povo que critica a Dilma pedindo a volta da Ditadura.

Financeiramente, o momento atual √© complicad√≠ssimo. Mas nem que Aidar fosse Eike Batista, teria havido tempo h√°bil para que ele fosse o maior respons√°vel pelo rombo de nossos cofres. Meses depois daquela discuss√£o via imprensa, sobre a d√≠vida real do clube, fica claro que Aidar tinha raz√£o. Encontrou o clube QUEBRADO, ou prestes a quebrar. Ainda n√£o encontrou um patroc√≠nio-master, mas fechou o maior contrato do Brasil com fornecedor de material esportivo, reduziu o n√ļmero de garotos em Cotia, alavancou o programa de s√≥cios torcedores, e limpou a folha do clube de tranqueiras deixadas por JJ como Luis Ricardo, Caramelo, Roni, e etc…

Repetindo: não sou fã de Aidar, nem acho que ele é isento de culpa do momento do time. Só me irrita ver comentários sem reflexão como os que pipocam por aí, especialmente em tempos de crise, que andam cada vez mais constantes pelos lados do Morumbi.

Cobremos, mas saibamos o que e porque estamos cobrando.

‚ÄúDesmanche‚ÄĚ ‚Äď Bipolaridade que impera.

Em dezembro de 2014, tínhamos um bom time, com Ganso craque, Tolói bom zagueiro e Souza seleção brasileira.

A intertemporada veio e, mesmo com as sa√≠das de √Ālvaro Pereira, Kak√°, Osvaldo e Ademilson (com gente comemorando estas vendas), t√≠nhamos o melhor elenco do pa√≠s com as contrata√ß√Ķes de Bruno, D√≥ria, Carlinhos, Thiago Mendes, Centurion e etc.

Derrota em Itaquera, na estreia da Libertadores, e de repente o elenco já estava em cheque. O bom futebol não veio pelo restante do semestre, e de repente, ninguém mais prestava, com exceção de Michel Bastos.

A janela europeia se abriu e, com a crise financeira do clube, perdemos 9 jogadores outros clubes. E, de repente de novo, aqueles jogadores que n√£o prestavam, agora s√£o a causa do momento complicado do time.

Torcedor é passional, mas precisa aprender a diferenciar jogador ruim de jogador bom em má fase. Foi graças a críticas impulsivas que perdemos bons jogadores como Kaká (1ª passagem), Jean, Arouca, Rhodolfo e etc.

Desmanche?? Perdemos de fato três titulares (Denilson, Souza e Tolói), embora este papo de debandada já exista desde antes da saída do zagueiro. Denilson nunca foi unanimidade e maioria da torcida comemorou sua saída. Souza não repetia a boa temporada de 2014, e também houve quem comemorasse sua ida para a Turquia.

Pode-se questionar as saídas de Boschilia e Ewandro(eu questiono), apesar de se tratar de jogadores que mal vinham tendo chances com nossos treinadores. Pode-se dizer que ambos eram nosso futuro, mas jamais que suas saídas comprometeram o futebol da equipe.

Restam Paulo Miranda e Jonathan Caf√ļ, que j√° faziam hora-extra no Morumbi.

Ao meu ver, jogadores menos essenciais do que eram Guerrero, Sheik, F√°bio Santos e Petros para o SCCP, ou J√ī, Guilherme, Andr√© e Maicossuel para o Atl√©tico MG, respectivamente l√≠deres e vice-l√≠deres do Brasileir√£o.

O problema do São Paulo não foram as perdas, e sim a reposição. Luiz Eduardo, Wilder e Rogério não suprem, nem qualitativamente e nem quantitativamente as saídas.

Compramos mal, e pouco. Mas vendemos (quase sempre) bem.

Rafael Tol√≥i ‚Äď Do atual ‚Äėdesmanche‚Äô, a sa√≠da de Tol√≥i foi a exce√ß√£o. Uma coisa √© vender jogador para fazer caixa e diminuir a d√≠vida do clube. Outra coisa √© liberar jogador sem retorno ao clube.

A quest√£o √© matem√°tica. Se considerarmos que o S√£o Paulo era dono de apenas 25% dos direitos de Rafael Tol√≥i, R$ 3,4 milh√Ķes pode at√© ser considerado uma boa grana, apesar do clube ter desembolsado R$ 4,5 milh√Ķes pela mesma fatia em 2012.

O problema é que com esse dinheiro, dificilmente encontraremos algo melhor no mercado, especialmente com a janela fechada. Quando se tem um percentual baixo dos direitos de um atleta, raramente vale-se a pena vendê-lo, justamente por conta do custo de se trazer uma reposição.  Na maioria das vezes, o melhor a se fazer é esperar seu contrato vencer e torcer para que o dinheiro investido na contratação tenha trazido retorno com futebol dentro de campo.

O esquema maluco de Os√≥rio tem queimado jogadores, e Tol√≥i era uma das maiores v√≠timas. Mas √© preciso lembrar que o zagueiro, que tinha ainda 2 anos de contrato, era titular, e h√° 8 meses ganhava o Bola de Prata da Revista Placar. N√£o era um primor de beque, mas para mim estava sim entre os cinco ou 10 melhores do pa√≠s. A se lamentar…

Auro ‚Äď Outro que lamentavelmente pode sair sem retorno ao clube, outro que se queima por conta do esquema de Os√≥rio e da falta de reposi√ß√£o da diretoria. Jogando em posi√ß√£o errada, falhou contra o Flamengo e foi massacrado por torcedores.

√Č apenas um garoto, com bom futuro pela frente. Me espanta a diretoria cogitar liber√°-lo, diante de um elenco t√£o enxuto e por causa de um aborrecimento juvenil do menino. Nossas joias precisam de blindagem da diretoria, e de um time forte para poder entrar aos poucos. Mas falta gente que pense na alta c√ļpula…

Denilson ‚Äď Execrado durante 90% de sua passagem pelo S√£o Paulo. Hoje, os que o criticavam vem (espero que j√° vejam) a falta que Denilson faz. Longe de ser craque, mas o volante era apenas o l√≠der de desarmes e passes certos da equipe. O que temos tomado de gol por falha de cobertura e erro em sa√≠da de jogo…

Ilsinho ‚Äď Um nome que andou circulando pelos sites e f√≥runs de not√≠cias nesta semana foi o de Ilsinho. Sem clube ap√≥s o fim de seu contrato com o Shakthar Donetsk, o meia poderia ser inscrito para o Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, mesmo com o fechamento do mercado brasileiro para contrata√ß√Ķes internacionais.

Ilsinho foi muito bem em sua 1¬™ passagem pelo Morumbi. Em pouco mais de um ano, ajudou o S√£o Paulo a faturar os t√≠tulos brasileiros de 2006 e 2007, antes de partir rumo a Europa, em transa√ß√£o que rendeu quase R$ 30 milh√Ķes aos cofres do Tricolor.

Em agosto de 2010, Ilsinho retornou ao São Paulo emprestado por um ano. Já atuando de meia, o jogador não foi nem sombra do bom lateral bicampeão nacional 3 anos antes. Foi tentar a sorte em Porto Alegre, antes de retornar ao Shakhtar, onde permaneceu até julho.

Existe algo constante em todas as temporadas da carreira de Ilsinho: o baixo n√ļmero de partidas, fruto das excessivas les√Ķes. Nunca fez mais do que 36 jogos em nenhum dos seus 10 anos de carreira.

Não virou o jogador que poderia ter virado, um dos mais habilidosos que já vi passar pelo Tricolor. Mas com a debandada recente de jogadores do Morumbi, e a dificuldade de se contratar jogadores após o fechamento da janela de transferências internacionais, poderia até ser uma boa. Melhor do que Wilder, Rogério, ou qualquer outra opção fora da Série A, eu garanto que Ilsinho é.

Ao contr√°rio do que parece, o jogador ainda n√£o entrou na casa dos 30 anos, e n√£o feriria a tal politica de contrata√ß√Ķes de veteranos de Ata√≠de. Com sal√°rios adequados, seria bem vindo…

Lucas Zelaray√°n ‚Äď J√° falei sobre este jogador nesta coluna, e pretendo continuar falando de vez em quando, pelo menos at√© o final do ano, quando provavelmente dever√° partir do modesto Belgrano para um time maior da Argentina, da Europa, ou mesmo do Brasil.

N√£o costumo dar bola para jogador de DVD/Youtube. Mas √© que este realmente √© de se chamar a aten√ß√£o. Olho nele, Aidar…

Para quem n√£o viu, lances de Zelaray√°n: https://www.youtube.com/watch?v=adCcXp2Omjw

S√≥cio-Torcedor ‚Äď O momento atual do clube √© de apoiar. Apoio, com benef√≠cios em troca!!

Às 00h01 desta quinta-feira, o São Paulo tinha exatamente 74.763 sócios cadastrados, 10.441 atrás do programa do Grêmio, nosso próximo adversário a ser superado. Acima deles, temos SCCP (112.963), SEP (129.493) e Internacional (146.909).

P√°gina do Carlos Miguel Aidar ‚Äď Curtam, comentem e compartilhem a p√°gina do nosso presidente no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Carlos-Miguel-Aidar/745533575534551?ref=aymt_homepage_panel

Wagner Moribe

wmoribe@hotmail.com

twitter.com/wmoribe