banner_sou_tricolor_2

Fatos da semana ‚Äď 05/06 a 11/06

As opini√Ķes deste colunista a respeito da semana que passou.

Juan Carlos Os√≥rio ‚Äď √ďtimo inicio de Juan Carlos Os√≥rio no comando do S√£o Paulo. N√£o tanto pelo trabalho feito dentro de campo, j√° que ainda n√£o houve tempo h√°bil para grandes altera√ß√Ķes t√°cticas, mas sim pela mudan√ßa no ambiente do clube.

Com menos de duas semanas no cargo, o treinador colombiano, que j√° havia conquistado a simpatia de imprensa e torcida em sua apresenta√ß√£o, parece agora j√° contar com o carinho de dire√ß√£o e atletas. O efeito disso pode ser visto no √ļltimo s√°bado, depois do jogo contra o Gr√™mio, na s√©rie de elogios feitos pelos jogadores ao nosso novo t√©cnico.

Dentro de campo, o principal ganho até agora foi no comprometimento dos atletas na marcação (incluindo Luis Fabiano), conquistado através da humildade, simpatia e demonstração de conhecimento de Osório.

No mais, poucas diferen√ßas puderam ser notadas entre os jogos contra o Santos, ainda sob comando de Milton Cruz; e Gr√™mio, j√° sob dire√ß√£o do colombiano. Duas partidas muito parecidas, com o Tricolor dominando as a√ß√Ķes e tomando sustos na defesa apenas com erros individuais isolados.

Além da marcação pressão na saída de jogo do adversário, Osório destacou dois meias do antigo esquema Muricy/Milton Cruz para serem quase que pontas mesmo, especialmente quando em posse da bola. Souza também foi destacado para uma linha a frente da de Denilson, fazendo com que o Tricolor atuasse em um 4-1-2-3 atacando e 4-1-4-1 defendendo. Isso na visão deste colunista, presente ao frio e vazio Morumbi (para minha surpresa), no sábado.

Outras mudan√ßas positivas foram as voltas ao time titular de Rodrigo Caio, t√£o cobrada por esta coluna e ocasionada tamb√©m por conta das aus√™ncias de Luc√£o, Tol√≥i e Paulo Miranda; e do lateral-esquerdo Carlinhos, muito bem nos √ļltimos 2 jogos.

De negativo, a desnecess√°ria entrada de Reinaldo no lugar do cansado Michel Bastos, quando se tinha Centurion e Jo√£o Paulo no banco de reservas. Carlinhos pode jogar mais a frente sem problemas, desde que n√£o haja solu√ß√Ķes melhores. N√£o era o caso. Carlinhos pode, e n√£o deve jogar na meia. Continuo temendo o potencial Carpegianni existente em Os√≥rio.

Enfim, apesar da pulga atrás da orelha, reconheço, foram muito promissores os primeiros dias de Juan Carlos Osório no Maior do Mundo. Caberá ao colombiano agora um desafio muito difícil, do qual Muricy e Milton Cruz não foram capazes de resolver: fazer esse time do São Paulo aprender a ganhar jogos fora de casa.

A primeira chance está aí, contra a Chapecoense, 100% de aproveitamento na Arena Condá, no sábado. Boa sorte, Osório.

Evolu√ß√£o ‚Äď Imposs√≠vel determinar se um time vai bem porque os jogadores tem boas atua√ß√Ķes, ou se os jogadores tem boas atua√ß√Ķes porque o time est√° bem. √Č o dilema do ovo e da galinha.

Fato √© que a mudan√ßa de postura do S√£o Paulo nas √ļltimas semanas coincide com boas fases de 4 jogadores: Bruno, que desde a vit√≥ria contra o SCCP vem tendo √≥timas atua√ß√Ķes; Souza, que depois de um p√©ssimo come√ßo de ano, vem melhorando aos poucos seu n√≠vel de atua√ß√£o; D√≥ria, que parece ter precisado de uns meses para enfim retomar o ritmo de jogo; e Carlinhos, que depois de sofrer com les√Ķes, finalmente estreou pelo Tricolor no cl√°ssico contra o Santos, para alegria de quem, como eu, n√£o aguenta mais ver o Reinaldo jogando.

Com todas essas evolu√ß√Ķes, vejo que o √ļnico jogador que continua devendo futebol em 2015 √© Paulo Henrique Ganso. Quem sabe Os√≥rio n√£o d√° um jeito?

Rog√©rio Ceni ‚Äď Um zero a zero contra o Inter em Porto Alegre, com direito a duas defesa√ßas, uma delas lembrando aquela feita na falta batida por Gerrard, em 2005. Uma falha contra o Santos, compensada por uma defesa de p√™nalti e o gol da vit√≥ria. E para fechar a semana, outro gol de p√™nalti contra o Gr√™mio, em jogo em que foi um mero espectador.

Lembrando que Rog√©rio Ceni j√° havia tido boas atua√ß√Ķes contra Flamengo e Ponte Preta.

Se Bruno, Dória, Carlinhos, Michel Bastos e companhia vem jogando bem, o que dizer do M1to??

Um belo final de carreira para nosso capit√£o, e um belo chupa para quem tanto pediu sua aposentadoria, por achar que ele est√° ‚Äėvelho‚Äô.

Campeonato Brasileiro ‚Äď Atl√©tico MG, Cruzeiro (reanimado por Luxemburgo) e Inter (se n√£o vencer a Libertadores), s√£o os nossos advers√°rios na luta pelo heptacampeonato. A SEP, agora comandada por Marcelo Oliveira, tamb√©m entra na briga, na minha opini√£o.

O time verde tem um elenco recheado de jogadores de n√≠vel razo√°vel para bom, sem grandes destaques. Mas o que era o Cruzeiro, campe√£o brasileiro nas √ļltimas duas temporadas e dirigido pelo mesmo Marcelo Oliveira, se n√£o exatamente um time de jogadores de n√≠vel razo√°vel para bom, sem grandes destaques?

Santos e Fluminense tamb√©m tem bons times titulares (apesar do Santos ainda poder perder Lucas Lima e Robinho) mas, al√©m dos elencos n√£o terem reposi√ß√Ķes a altura, os seus atuais treinadores n√£o possuem compet√™ncia para levar as equipes a sonhar com algo maior.

Palpite: título entre São Paulo e mineiros.

Rodrigo Caio ‚Äď Nosso camisa 3 est√° de sa√≠da. N√£o se trata exatamente de um craque, mas Rodrigo Caio √© muito bom jogador e, aposto e ganho, tem futuro vitorioso na Europa e com a camisa da Sele√ß√£o Brasileira.

Cria da base e s√£o-paulino de cora√ß√£o, o volante/zagueiro foi, ao meu ver, o √ļnico que se salvou daquela desastrosa temporada de 2013, ao lado do Aloisio Boi Bandido. Muito da nossa perman√™ncia na S√©rie A se deve a Rodrigo Caio.

Agora, justamente no período em que vem recuperando seu espaço no time, terá que sair para salvar os cofres do clube. Que assim seja. Boa sorte, Rodrigo Caio!

Jo√£o Paulo ‚Äď Se um vai, o outro parece que fica. A proposta, aparentemente ainda n√£o concretizada, de 4,5 milh√Ķes de euros, n√£o dever√° ser aceita pela diretoria Tricolor.

Eu sinceramente n√£o tenho opini√£o formada sobre o assunto. O clube precisa de dinheiro, e Jo√£o Paulo ainda n√£o passa de uma promessa. J√° vimos recentemente casos de ‚Äėjoias‚Äô que n√£o vingaram, como Henrique, Lucas Gaucho e Lucas Farias, por exemplo. Al√©m disso, continuar√≠amos com boas apostas para o ataque no elenco, como Ewandro e Joanderson.

Por outro lado, João Paulo me parece realmente a melhor entre todas estas promessas. E segurar um atacante de salário baixo no plantel, apostando em seu sucesso e evitando gastos com uma contratação de fora, que fatalmente viria para o seu lugar, pode ser uma boa.

O neg√≥cio √©, caso se opte pela perman√™ncia de Jo√£o Paulo, seguir dando oportunidades ao jogador. N√£o se pode desanimar e descartar o jogador por causa de meia-d√ļzia de partidas ruins, como j√° foi feito por exemplo com Casemiro, Jo√£o Schmidt e, mais recentemente, Auro.

Brasileiro Sub-20 – Falando em promessas, quem tem acompanhado a campanha do Tricolorzinho no Campeonato Brasileiro sub-20 deve estar frustrado.

Com um empate em Curitiba contra o Atl√©tico PR, e uma derrota por 3 a 0 para o Inter no Morumbi, o S√£o Paulo est√° praticamente eliminado da competi√ß√£o. O t√©cnico Juan Carlos Os√≥rio e o agora assistente Milton Cruz inclusive estiveram no Templo Sagrado na √ļltima ter√ßa-feira para ver nossos meninos serem massacrados pelo time de Porto Alegre. Vale lembrar que o S√£o Paulo utiliza jogadores mais jovens do que as demais equipes da competi√ß√£o, al√©m de abrir m√£o da regra que permite escalar 3 jogadores com idade acima dos 20 anos.

Mas se muitos defeitos foram apresentados pela equipe diante do Internacional, um jogador especificamente h√° de se exaltar. O atacante Luiz Ara√ļjo, que j√° tinha chamado minha aten√ß√£o na Copa S√£o Paulo, foi bem de novo na ter√ßa. Ele tamb√©m j√° havia sido o artilheiro do S√£o Paulo e 3¬ļ maior da √ļltima Copa Ouro, esp√©cie de campeonato paulista da categoria. H√°bil e veloz, o canhotinho j√° demonstrava que poderia ter uma chance no time de cima, especialmente na escassez de atacantes de lado do elenco profissional. N√£o deu outra. Nesta quarta-feira, Os√≥rio convocou o garoto para treinar no CT da Barra Funda e integrar o elenco profissional. Boa, Os√≥rio!!

Mundial Sub-20 ‚Äď Qual a chance de algum clube brasileiro ter enviado olheiros para acompanhar o Mundial Sub-20 in loco na Nova Zel√Ęndia?

Já falei sobre isso em outras colunas: a necessidade das equipes nacionais (ou melhor, o São Paulo) estar atento aos campeonatos internacionais das categorias de base. Acho válido abrirmos os olhos ao mercado sulamericano e passarmos a enxergar Centurions e Buffarinis (como se tem comentado), mas quão mais barato nos sairia trazê-los quando ainda jovens em potencial??

S√≥ para citar alguns exemplos: De Arrascaeta, hoje no Cruzeiro, foi destaque na campanha do Uruguai, vice-campe√£o mundial de 2013, quando ainda jogava no Defensor; Lamela, ainda no River Plate, foi bem no Mundial Sub-20 de 2011; enquanto que o torneio de 2007 revelou ao mundo craques como Di Maria (ainda no Ros√°rio Central), Arturo Vidal (Colo-Colo) e Cavani (√† √©poca no Dan√ļbio).

Minha sugest√£o de ‚Äėgarimpagem‚Äô de jogadores ali√°s, vai al√©m das categorias de base. Na minha opini√£o, o Tricolor deveria manter olheiros permanentes, viajando entre Am√©rica do Sul e √Āfrica, reconhecidos ber√ßos de craques. H√° muitos casos de jogadores que acabam vingando mesmo sem passagens por sele√ß√Ķes de base.

Os europeus j√° aprenderam isso: a facilidade de se descobrir um Suarez, um James Rodriguez e um Falc√£o Garcia nos nossos vizinhos, ou um Eto¬īo, um Drogba e um Yaya Toure em terras africanas. Observar, comprar barato, e vender caro. Isso √© moderniza√ß√£o de gest√£o…

P√°gina do Carlos Miguel Aidar ‚Äď Curtam, comentem e compartilhem a p√°gina do nosso presidente no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Carlos-Miguel-Aidar/745533575534551?ref=aymt_homepage_panel

Wagner Moribe

wmoribe@hotmail.com

twitter.com/wmoribe