JJ e Aidar: de m√£os dadas com a destrui√ß√£o do S√£o Paulo. O que antes parecia imposs√≠vel, agora est√° mais pr√≥ximo de ocorrer: a aproxima√ß√£o de Aidar e JJ. Uma conversa pode selar a paz entre os lados e recolocar a tropa de JJ de volta √† viv√™ncia importante no clube e at√© mesmo de JJ. O final desta hist√≥ria pode ser bom do ponto de vista da paz interna mas p√©ssima do conceito de futuro para o clube…

Os elogios em programas de TV, a ameniza√ß√£o interna do conflito entre eles, deve gerar em breve um aparecimento p√ļblico e at√© mesmo um retorno de JJ a um cargo no clube. A conferir…

Den√ļncia GRAVE! Uma den√ļncia grav√≠ssima de uma informa√ß√£o descoberta por Conselheiros do Clube no Contrato da Under Armour amea√ßa estremecer o Morumbi. Houve uma intermedia√ß√£o com 15% de pagamento a uma empresa com sede em Hong Kong chamada Far East. Total de R$ 18,3 milh√Ķes. O contrato, o questionamento e a situa√ß√£o, os conselheiros v√£o pedir explica√ß√Ķes. Quem ser√° que s√£o os envolvidos agora e por que tudo no S√£o Paulo √© assim?

Mais informa√ß√Ķes em breve…

Cinira no São Paulo. Kit’s da Under Armour foram cedidos aos conselheiros. Porém, Aidar não foi entregar aos conselheiros. Deixou para Cinira, aquela dos 20% de comissão e negócios cobertos por névoa, entregar os kit’s. Será que Aidar acha que todo mundo é burro e se acha acima de bem e do mal sem limites?

Novos Caminhos? Mais uma vez, chega o fracasso no planejamento, o fracasso no campo decorrente de escolhas, erros e gestão desastrosa mesclada com desempenho abaixo dos jogadores e teremos, de novo, uma reformulação no elenco.

A panela de Milton Cruz, com jogadores mais próximos do elenco, naufragou exatamente pelo motivo que a fez dar certo: não mexer nos nomes fortes do plantel e que possuem força no grupo. Reinaldo, um destes nomes, tem rendimento pífio e foi mantido comprometendo brutalmente o time na Libertadores, algo que todos viam mas que Milton não poderia alterar pois comprometeria seu acordo com os jogadores de fechar o grupo.

Milton que jogará agora jogo a jogo por sua própria sobrevivência já que sabe que Aidar que lima-lo do clube pela proximidade com Juvenal, é apenas mais um nome das antigas que está com os dias contados no São Paulo. Depois de Muricy, Ceni aposentará dia 06 de Agosto, Milton joga dia a dia por sua vida e Luis Fabiano, já pediu encontro para negociar saída imediata.

Com isto, podemos ficar tristes por perder referências de tanto tempo mas também pode-se enxergar com clareza que há um caminho novo a ser construído e escrito no clube e nisto, Aidar pensa correto. O São Paulo precisa se reconstruir, resetar e recomeçar algumas coisas sem perder o caminho que já existe. Jovens como João Paulo, Joanderson, João Schimdt, Boschilia, Hebling, Matheus Reis, Auro e outros precisam de mais oportunidades.

O que não significa que iremos só de jovens. Significa que devemos dar mais chances, contratar pouco e bem e seguirmos com responsabilidade financeira para não comprometer caixa e entrarmos melhores e mais sustentáveis em 2016.

Se pensarmos que apenas a sa√≠da de Muricy, Ceni, Luis Fabiano e Milton Cruz gerar√£o uma economia mensal de aproximadamente R$ 1,9 milh√£o na folha salarial que come√ßou o ano com R$ 8,2 milh√Ķes, nossa folha cai bruscamente e j√° significar√° muito ao longo do ano. Se somarmos aos R$ 12 milh√Ķes das dispensas e empr√©stimos, podemos projetar, descontando rescis√£o do Muricy e outros, um total de R$ 24 milh√Ķes at√© o final de 2015. Notemos que se vier um treinador e outros refor√ßos, a coisa j√° muda e os valores subir√£o, se muito ou pouco, depender√° da gest√£o de Aidar.

OBS: Gustavo Vieira e Ataíde correm riscos e podem sair do futebol.

Reforço? Depois de Jean Patrick, destaque da Copa São Paulo, o Tricolor quer fechar com Claudinho, promessa do Santos. O Tricolor oferece chance na Copa SP de 2016 e efetivação concreta para o próximo ano.

Gest√£o? Na √ļltima 6¬™ feira, mais uma not√≠cia que se torna repetitiva no S√£o Paulo: promessas n√£o cumpridas. Douglas, VP de marketing e comunica√ß√£o, tinha prometido o lan√ßamento do novo plano para at√© no m√°ximo, dia 15/05. N√£o aconteceu.

Teve gente pensando que n√£o saiu porque poderia vir em momento da elimina√ß√£o. N√£o. N√£o foi. N√£o findaram o trabalho mesmo…

Como não aconteceu o patrocínio, como não aconteceu nada na gestão como deveria.

Veja matéria aqui: https://saopaulo.blog/2015/05/15/novo-plano-socio-torcedor-do-spfc-prometido-para-hoje-nao-saiu/

Mas, o aumento da folha administrativa s√≥ da equipe de gest√£o do Aidar em R$ 4 milh√Ķes em 2014, saiu…

Direitos de Imagem de Março quitados.  Agora, faltam os direitos de Abril. Os de Maio podem ser pagos até o dia 15/06 sem configurar atraso. Mais uma bola fora da gestão.

Milton, a incompetência e a covardia. A grande diferença entre os grandes, os bons e os esforçados fica exatamente nos detalhes. Milton fez um bom trabalho, agiu pela união entre o grupo de jogadores que ele tinha proximidade e confiança e os deu força. Ganhou jogos, moral e a impressão de que estava pronto e preparado. Sua amizade com jornalistas, passou a pesar na análise de seu trabalho e os 17 anos de São Paulo ajudaram dando a entender que não precisaríamos mais de treinador. No jogo contra o Cruzeiro, Milton conseguiu ser pior que Muricy no jogo contra o Grêmio em 2007 na Libertadores em que fomos eliminados covardemente.

No jogo de quarta, Milton não só foi covarde na orientação da equipe como foi covarde em todos os sentidos, provando que nunca pode ser efetivamente treinador do São Paulo pelo medo de perder, pela postura comum, sem grandeza digna de um clube vencedor como o nosso. Escalou o time com 3 volantes e o pior, deixou 3 zagueiros no banco para o jogo. Não rompeu sua aliança com os jogadores, colocando o clube a perder por isso. Provou que por mais que entenda de futebol, por mais que conheça o São Paulo e ganhe jogos, consiga bons resultados, não é merecedor de ser nosso treinador. Provou a todos porque sempre não passou de interino e sempre foi sombra, nunca foi luz. Nunca foi, nem como jogador nem como treinador, protagonista. E de novo, provou que nunca será nada além de um coadjuvante.

Reinaldo. Ninguém neste grupo merece mais ser negociado, encostado, emprestado ou liberado que o lateral esquerdo. Precisa ser o símbolo deste novo caminho de mudança.

Independente proibida de ir a estádios. Por 4 meses, a torcida organizada está proibida de utilizar uniformes e vestes que tenham menção à mesma. O presidente, está proibido de frequentar eventos seja com a roupa que for. Espero que seja o começo do fim de vez.

Alexandre Zanquetta

alexandrezanquetta@uol.com.br

twitter.com\blogdosaopaulo

facebook.com\blogdosaopaulo