Milton Cruz está no comando do São Paulo há pouco mais de um mês. São sete jogos disputados, com seis vitórias e uma derrota – que custou a eliminação na semifinal do Paulista, para o Santos. O último triunfo aconteceu neste domingo, justamente contra o Flamengo, de Vanderlei Luxemburgo, um dos nomes que foram cotados para assumir o Tricolor após a saída de Muricy Ramalho. Embora já tenha rejeitado a ideia de efetivação, Milton, em entrevista ao “Bem, Amigos!”, afirmou estar preparado para o desafio e disse que conta com o apoio dos filhos(assista ao  vídeo).

РAgora, eles esṭo falando para seguir. Estou preparado. Muitos treinadores que passaram pelo Ṣo Paulo falaram que eu tenho capacidade para assumir. Mas eu nunca tive coragem de enfrentar Рadmitiu o t̩cnico do Ṣo Paulo.

A situação, porém, não é tão simples. O comentarista Marco Antônio Rodrigues chegou a cobrar, durante o programa, que a diretoria do São Paulo oferecesse um contrato de técnico para que Milton Cruz fosse realmente efetivado. Milton revelou que, embora tenha recebido a informação do presidente Carlos Miguel Aidar de que seria treinador, sua situação contratual com o Tricolor não foi alterada.

– Na terça-feira (véspera da vitória sobre o Cruzeiro, pela Libertadores) o presidente reuniu o grupo e me chamou. Falou que eu seria o treinador do São Paulo. Só que eu não assinei contrato. Não mudou nada (nem carteira assinada, nem salário) – revelou.

Milton Cruz está há 21 anos trabalhando no São Paulo. Ele afirmou que, durante esse período, recebeu propostas de outros clubes, mas sempre preferiu permanecer no Morumbi. Milton disse que as vitórias que tem conquistado à frente do time o motivam a seguir treinando a equipe tricolor.

– Estou gostando. Vamos ganhando, e essas vitórias motivam. Precisamos agora saber na hora das derrotas, né? O grupo tem me ajudado muito, temos conversado bastante durante esse tempo. Não mudei o meu jeito de ser, trato todo mundo igual a quando era auxiliar. Estou tranquilo, acho que tenho de ganhar jogos para ir seguindo – respondeu.

Mesmo com a boa fase, o clima no clube não é de total tranquilidade. O São Paulo voltou a atrasar o pagamento do direito de imagem para parte do elenco. Agora, são dois meses de débito. Por isso, o presidente Carlos Miguel Aidar fez uma reunião com os jogadores para dar uma satisfação. Em março, o clube também deixou de pagar os atletas.

Sportv