null
Desejo do treinador é deixar o país de origem

Diante das especula√ß√Ķes sobre o substituto de Muricy Ramalho, o nome de Alejandro Sabella ganhou for√ßa j√° na √ļltima segunda-feira entre os dirigentes do S√£o Paulo. E pensar em ter o atual vice-campe√£o da Copa do Mundo no Morumbi n√£o √© algo t√£o distante, pois pessoas pr√≥ximas ao treinador argentino afirmam que o desejo dele √© encontrar um clube fora de seu pa√≠s natal para trabalhar.

A reportagem, então, entrou em contato com o empresário de Sabella, Eugenio López. Depois de desligar o telefone na primeira tentativa, o agente atendeu à ligação e falava normalmente até saber que se tratava da imprensa brasileira. Quando o assunto São Paulo foi mencionado, López se agitou, negou-se a fazer comentários e logo desligou o telefone.

– N√£o, n√£o, n√£o posso falar disso, me desculpe. N√£o posso falar desse assunto, realmente me desculpe – disparou.

Trabalhar no Brasil n√£o seria nenhuma novidade para Sabella, de 60 anos de idade. Ainda como jogador, defendeu as cores do Gr√™mio e levantou a ta√ßa do Campeonato Ga√ļcho de 1986. Como auxiliar t√©cnico de Daniel Passarella, integrou a comiss√£o t√©cnica do Corinthians montado pela MSI em 2005, mas o trabalho n√£o chegou a durar um semestre.

Sabella est√° sem trabalhar desde a final da Copa do Mundo de 2014, quando a Argentina foi derrotada por 1 a 0 para a Alemanha no Marcan√£, gra√ßas ao gol marcado pelo meia Mario G√∂tze. No S√£o Paulo, a busca por um novo t√©cnico come√ßou na tarde da √ļltima segunda-feira e o discurso pregado √© de velocidade, mas n√£o de desespero para substituir Muricy Ramalho.

Fonte: lancenet