banner_sou_tricolor_2Fatos da semana – 04/02 a 10/02

As opini√Ķes deste colunista a respeito da semana que passou.

A palavra do ano: PRESS√ÉO ‚Äď Devido aos acontecimentos da √ļltima semana, vou praticamente repetir um t√≥pico escrito por mim na minha mais recente coluna.

A conta é simples:

Sete anos sem um título de expressão + Time mais promissor deste mesmo período, com base já testada em 2014 + Último ano de Rogério Ceni e provavelmente de Muricy + confrontos com o arquirrival na 1ª fase da Libertadores + guerra política nos bastidores = Bomba relógio

Por isso, a chave para o sucesso do São Paulo em 2015 está na tranquilidade. Em não se criar pressão além da já existente por natureza. Aquela inerente a um time grande e vitorioso como o Tricolor.

J√° vivemos sob a mira de uma imprensa esportiva em sua maioria pouco preparada para tratar os clubes com idoneidade. Uma imprensa capaz de endeusar um Paolo Guerrero bom, mas que nunca fez mais gols que Luis Fabiano em uma temporada normal; ou ‚ÄėMittificar‚Äô um dirigente que encheu a Barra Funda de craques do calibre de Ryder Mattos, Kelvin, Leandro Banana e Rafael Marques, entre outros.

Se criarmos ainda mais monstros, ser√° dif√≠cil sermos campe√Ķes de alguma coisa.

Fui ao Pacaembu na √ļltima quarta-feira, e antes mesmo do jogo come√ßar, ouvi a organizada gritando que a ‚ÄėLibertadores virou obriga√ß√£o‚Äô. N√£o, n√£o virou. A obriga√ß√£o desse time √© correr e se dedicar. Torneios de futebol, especialmente os mata-matas, s√£o definidos por detalhes, que nem sempre consagram o melhor time. Essa imprevisibilidade √© que faz esse esporte t√£o diferenciado com rela√ß√£o aos outros. Me senti mais tranquilo quando vi que o resto das arquibancadas n√£o aceitou as cobran√ßas da organizada.

Mas a press√£o que mais me preocupa mesmo √© aquela ainda mais interna, vinda da diretoria do S√£o Paulo. Esse blog j√° nos esclareceu a respeito do assunto algumas vezes. A alta c√ļpula da gest√£o Aidar n√£o gosta do tamanho do poder que pessoas como Muricy Ramalho e Rog√©rio Ceni exercem no clube. N√£o fosse o aval de elenco e torcida, provavelmente j√° n√£o estariam mais trabalhando no S√£o Paulo. Eu at√© consigo entender a dificuldade de se dirigir uma institui√ß√£o com subordinados t√£o grandiosos como nossos capit√£o e t√©cnico. Mas, uma vez decidido que estes s√£o os escolhidos, √© preciso dar retaguarda aos seus funcion√°rios. Com cobran√ßa sim, mas n√£o via imprensa. Ninguem trabalha em sua melhor condi√ß√£o se se sentir pressionado. Muricy √© macaco velho, e espero que tire essa de letra. Mas mesmo assim, pe√ßo aos caros diretores, que t√£o bem trabalharam na montagem do elenco, que deixem o homem trabalhar. Sejamos S√£o Paulo FC!

¬†D√≥ria ‚Äď Excelente refor√ßo!! Se tenho minhas d√ļvidas a respeito do rendimento de Centurion, sobre D√≥ria n√£o receio em dizer: √© um √≥timo zagueiro, e vai nos ajudar muito nesse primeiro semestre. Ser√° que o tal Vinicius Pinotti n√£o quer nos dar outro ‚Äėpresente‚Äô, mantendo o garoto por aqui em definitivo?

¬†Elenco cheio ‚Äď S√£o 4 goleiros (Rog√©rio, Denis, Renan e L√©o), 4 laterais (Auro, Bruno, Carlinhos e Reinaldo), 7 zagueiros (Rafael Toloi, D√≥ria, √Čdson Silva, Luc√£o, Paulo Miranda, Ant√īnio Carlos e Breno), 7 volantes (Rodrigo Caio, Denilson, Souza, Maicon, Thiago Mendes, Hudson e Wesley), 5 meias (Ganso, Michel Bastos, Boschilla, Centurion e Daniel) e 6 atacantes (Luis Fabiano, Alan Kardec, Alexandre Pato, Cafu, Ademilson e Ewandro). Um total de 33 jogadores para 28 vagas para inscritos no Campeonato Paulista e 25 na Libertadores.

Se excluirmos Leo, Breno, Wesley e Daniel, ainda assim nos restam 29 atletas para as duas competi√ß√Ķes. Um elenco inchado. E antes que digam ‚Äúse n√£o contrata reclama, e se contrata reclama tamb√©m‚ÄĚ, afirmo que jogador no banco de reservas pode e muito atrapalhar o andamento do ambiente de um clube, al√©m de trazer gastos desnecess√°rios para a institui√ß√£o.

O elenco do S√£o Paulo precisava se refor√ßar, o que n√£o necessariamente significa aumentar a quantidade de atletas. A chegada de um bom zagueiro como o D√≥ria por exemplo, poderia muito bem acarretar na libera√ß√£o de um dos defensores que j√° estavam no Morumbi, como Paulo Miranda ou Ant√īnio Carlos. √Ās vezes, abrir m√£o de um jogador √© t√£o importante quanto trazer outro. Para n√£o falar do espa√ßo que abre para as categorias de base aos poucos irem subindo…

¬†Refor√ßos perdidos ‚Äď Nos refor√ßamos muito bem, mas gastamos bastante tamb√©m. √Č ut√≥pico pensar que se pode viver de contrata√ß√Ķes feita com jogadores em fim de contrato. Mas nesta janela de transfer√™ncias especificamente, perdemos algumas boas op√ß√Ķes a custo zero, ou quase zero. Para citar algumas: Vagner Love, Cleiton Xavier, Gabriel, Arouca, Guilherme (Atl√©tico MG), Joel (ex-Coritiba), Nen√™ (atualmente sem clube) e Ricardo Oliveira. Por falta de vis√£o, ou mesmo de necessidades no nosso elenco, estes n√£o vieram. Uma pena.

¬†Hipocrisia no futebol paulista- Em fevereiro de 2009, o nosso ex-presidente Juvenal Juv√™ncio anunciou que a torcida do SCCP teria direito a ‚Äėapenas‚Äô 10% dos ingressos, conforme estabelecido por lei, em todos os Majestosos com mando do Tricolor disputados a partir daquele ano. Foi o in√≠cio de uma s√©rie de cr√≠ticas e desaven√ßas envolvendo as diretorias dos dois clubes envolvidos.

Ignorando-se o fato de que um m√™s depois daquele an√ļncio de JJ, o nosso arquirrival tomou a mesma atitude em um cl√°ssico contra o santos, o assunto da divis√£o de ingressos veio a tona novamente nesta semana. Em entrevista coletiva concedida na sexta-feira, o agora ex-presidente do SCCP, M√°rio Gobbi, disse que o atual presidente da SEP, Paulo Nobre, arquitetou, junto ao Minist√©rio P√ļblico, um modo de fazer o cl√°ssico do √ļltimo domingo com uma torcida s√≥, sob a justificativa do medo da viol√™ncia. E l√° se foi o namoro entre o pessoal de Itaquera e da Barra Funda.

Na mesma entrevista, Gobbi revelou, entre outras coisas, que s√≥ n√£o levou Alan Kardec para Itaquera por respeito ao time verde, e que Paulo Nobre preferiu ‚Äėesquecer‚Äô a tal √©tica entre clubes, quando decidiu entrar na negocia√ß√£o entre SCCP e o craque Leandro Banana. O mesmo lapso de moral que parece ter afetado o presidente da Peppa Pig nas contrata√ß√Ķes de Aranha, Arouca e Gabriel (ex-Botafogo).

 Um tópico inteiro para citar alguns casos interessantes ocorridos recentemente no futebol paulista. Com uma conclusão: esse meio, e especialmente você, Sr.Paulo Nobre, é um puta de um hipócrita mimado, que adora se fazer de vítima. Além de um péssimo dirigente.

¬†Contra todos ‚Äď Notaram a gravidade do t√≥pico anterior? Segundo M√°rio Gobbi, Paulo Nobre tem um amigo no Minist√©rio P√ļblico capaz de atender a vontade da SEP, determinando a realiza√ß√£o de um cl√°ssico com torcida √ļnica. Com aval do palmeirense Marco Polo Del Nero, ainda presidente da Federa√ß√£o Paulista de Futebol que, semanas antes, j√° havia autorizado a SEP a fazer os seus 4 primeiros jogos do paulistinha no seu est√°dio.

Enquanto isso, o SCCP, ainda devendo dinheiro √† Uni√£o, consegue financiamento p√ļblico de est√°dio e patroc√≠nio federal. Com apoio cavalarmente desproporcional da TV Globo, que transmite seus jogos como se Roberto Marinho jogasse com a camisa 10.

√Č claro e not√≥rio: o S√£o Paulo FC, por burrice ou mesmo altivez de seus √ļltimos dirigentes, comprou e compra briga com muita gente (leia-se Globo, FPF, CBF, Conmebol, SEP e etc). Mas √© inaceit√°vel que a diverg√™ncia de ideias se transforme em jogo pol√≠tico de influ√™ncias que altere as condi√ß√Ķes naturais do espet√°culo futebol em si.

Contra tudo e contra todos. Esse parece ser o cen√°rio do Tricolor para um longo tempo.

¬†Conmebol ‚Äď Uma retrospectiva:

07/03/2013- Luis Fabiano reclama do árbitro e é expulso em jogo contra o Arsenal -ARG

22/03/2013- Conmebol suspende LF por 4 jogos

30/09/2014- Luis Fabiano disputa jogada com adversário e é expulso contra o Huachipato

08/10/2014- Conmebol suspende LF por 3 jogos

04/02/2015- Guerrero d√° cotovelada em advers√°rio, F√°bio Santos sola a canela do advers√°rio, e ambos s√£o expulsos contra o Once Caldas

10/02/2015-

Estamos de olho, viu Conmebol?

¬†Michel Bastos ‚Äď Continuarei batendo nesta tecla at√© que sejamos atendidos. Diretoria, por favor, renove o contrato de Michel Bastos. N√£o √© craque, mas √© incrivelmente eficiente, e est√° totalmente adaptado ao clube e ao resto do elenco. Estendam o seu contrato, antes que o S√£o Paulo inicie efetivamente uma grande temporada, e os valores da renova√ß√£o fiquem impag√°veis.

(Luis Fabiano e Breno também ficam sem contrato ao final de 2015)

¬†Rog√©rio Ceni ‚Äď Em 12 de dezembro de 2012, o S√£o Paulo se sagrava campe√£o da Sulamericana, depois do encerramento precoce do jogo contra o argentino Tigre, no Morumbi. O nosso √ļnico t√≠tulo desde o tricampeonato brasileiro 2006, 2007 e 2008. Na festa de entrega das medalhas, nosso goleiro e √≠dolo Rog√©rio Ceni se prontificou em emprestar sua faixa de capit√£o para que Lucas, em sua √ļltima partida antes de seguir rumo a Paris, pudesse erguer a ta√ßa, e eternizar uma √ļltima imagem com a camisa Tricolor.

Em 30 de julho de 2014, Alexandre Pato, rec√©m chegado ao S√£o Paulo, j√° convivia com a desconfian√ßa da torcida, mesmo com pouco mais de dez partidas disputadas em sua nova casa. Uma modorrenta partida contra o Bragantino, v√°lida pela 3¬™ fase da Copa do Brasil, seguia para seu final quando, aos 32 minutos do segundo tempo, o √°rbitro assinalou p√™nalti em √Ālvaro Pereira (‚Äėem‚Äô e n√£o ‚Äėde‚Äô). Rog√©rio atravessou o campo e deu a bola nas m√£os do atacante, que converteu a penalidade. Nos 9 jogos seguintes √†quela partida contra o Bragantino, Pato balan√ßaria as redes por 7 vezes.

Em 7 de fevereiro de 2015, o São Paulo enfrentou o XV de Piracicaba no Pacaembu. O mesmo estádio em que, três dias antes, o volante Maicon havia sido vaiado pelas pouco mais de 7 mil pessoas presentes em jogo contra o Capivariano. Maicon não havia sido brilhante, mas tinha participado de 2 dos 4 gols são-paulinos daquela noite. Nosso capitão, que fez questão de defender o trabalho do camisa 18 nas entrevistas pós-jogo de quarta-feira, para a partida contra o XV, concedeu a faixa de capitão a Maicon.

E assim Rog√©rio Ceni j√° fez com √Ālvaro Pereira, quando o lateral se colocou a disposi√ß√£o de Muricy, horas depois de servir a sele√ß√£o uruguaia; com Kak√°, em sua √ļltima partida pelo Tricolor; e com Luis Fabiano, Ganso, e at√© √Čdson Silva.

Isso é Rogério Ceni. Se não tem a mesma qualidade de 10 anos atrás, ainda mostra a mesma dedicação ao trabalho e amor ao clube de sempre. Um goleiro para o time, um exemplo para o elenco, um ídolo para a torcida, e um M1to para nossa história.

¬†P√°gina do Carlos Miguel Aidar ‚Äď Curtam, comentem e compartilhem a p√°gina do nosso presidente no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Carlos-Miguel-Aidar/745533575534551?ref=aymt_homepage_panel

Wagner Moribe

 wmoribe@hotmail.com

 twitter.com/wmoribe