Sou, Sou Tricolor: Grupo da Vida

banner_sou_tricolor_2

E assim foi. Depois da cerimônia mais longa da história, mais chata inclusive do que qualquer coletiva do Felipão depois de derrota, ficou determinado: pela 2ª vez consecutiva, o São Paulo terá o grupo mais difícil da primeira fase da Libertadores.

Para quem não se lembra, na nossa última participação, em 2013, caímos na chave de Atlético MG (que se sagraria campeão, em uma jornada que contou com 4 jogos contra o Tricolor), Arsenal  de Sarandí (Primeiro representante argentino) e The Strongest (Primeiro representante boliviano).

A Conmebol parece ter lido direitinho o manual da Fifa sobre como não se escolher cabeças de chaves para seus torneios. Mas ao contrário da entidade máxima do futebol, que ao menos leva em conta o retrospecto das seleções durante o quadriênio da Copa do Mundo, a Conmebol prefere ignorar critérios técnicos, optando por realizar um rodízio entre os países do continente para protagonizar os grupos da Libertadores. Se já foi duro ver Bélgica, Colômbia e Suíça como cabeças de chave do último Mundial , o que dizer de times venezuelanos, peruanos e equatorianos como líderes de chave no ano que vem?

É exatamente essa falta de critérios que dá margem para a criação de grupos como o de Uruguai, Inglaterra, Itália e Costa Rica em 2014, ou do São Paulo na Libertadores de 2015.

O ideal seria uma escolha que levasse em conta o retrospecto histórico e o retrospecto recente ao mesmo tempo. Mas se a Conmebol prefere valorizar jogos da primeira fase em detrimento a fase de mata-matas, paciência. Voltemos a falar do grupo da morte.

Show de bola os milhares de comentários otimistas de torcedores e jogadores, ‘celebrando’ adversários mais difíceis na primeira fase. Dos atletas, não se podia esperar nada diferente do que um discurso de confiança. E a torcida seguiu a mesma linha, criando uma mistura de provocação com aceitação a realidade. Mas a verdade é uma só: grupos da morte não são o melhor jeito de se começar uma Libertadores.

Qualquer chave com 2 times brasileiros torna-se automaticamente candidato a mais difícil do torneio, apesar de que as equipes daqui costumam se virar razoavelmente bem nesta situação. Até 1999, os sorteios da Libertadores se limitavam a definir que países se enfrentariam na primeira fase. Isso é, como cada país indicava apenas 2 representantes, o sorteio definia que nações se cruzariam. Em 1999 por exemplo, os clubes brasileiros ficaram na chave dos paraguaios.

Desde que os grupos da Libertadores começaram a misturar os times, por seis vezes tivemos 2 brasileiros em confronto antes do mata-mata. Em quatro delas (2007 – Flamengo e Paraná; 2009- SEP e Sport; 2012 – Santos e Inter; e 2013 – São Paulo e Atlético MG), ambos passaram de fase, e em outras duas (2000- SEP e 2005 – SEP), pelo menos um deles se classificou.

Um gol do Internacional aos 49 minutos do 2º tempo definiu que nosso grupo será formado pelo atual campeão San Lorenzo, Danúbio e o vencedor do confronto entre SCCP e o terceiro representante da Colômbia.

O grupo é forte, mas em termos de tradição, não muito. Na mais provável das hipóteses, teremos 2 títulos na chave, dos recém-desvirginados San Lorenzo e SCCP (Poderá ser do Once Caldas também). Lembrando, como se fosse preciso, que o São Paulo sozinho tem 3 conquistas.

O cabeça da chave, depois do maior título de sua história, não vive bom momento. É apenas o 9º colocado do campeonato argentino, embora há de se fazer um desconto: todo time vencedor da Libertadores invariavelmente acaba abrindo mão dos campeonatos locais do segundo semestre, para se concentrar para o Mundial de clubes. Pobre San Lorenzo, que chegará a 2015 com um atropelo do Real Madrid. Podem apostar. Sinceramente, não se trata de um time para ser temido. O próprio título deste ano me parece uma daquelas histórias épicas, que só ocorrem de décadas em décadas. Em um grupo fraquíssimo (Union Española, Botafogo e Independiente del Valle), só se classificou em 2º, com um gol de saldo a mais do que o 3º e apenas um ponto a frente do lanterna. Foi o penúltimo melhor classificado para os mata-matas, onde aí sim teve que mostrar qualidade para eliminar grêmio e cruzeiro. A semifinal contra o Bolivar e a final contra o Nacional do Paraguai não foram tão difíceis quanto os jogos contra os brasileiros. Como o raio não cai duas vezes no mesmo lugar, não creio que o time argentino vá muito longe nesta competição.

A segunda bolinha do sorteio colocou o Danúbio no nosso caminho. O time uruguaio se classificou para a Libertadores depois de ser campeão do primeiro turno do torneio nacional, no fim de 2013. Depois do feito, eles acumulam um 5º lugar no segundo turno daquele mesmo campeonato, o título uruguaio 2013-2014, e uma atual 10º colocação na edição em disputa. Não se trata de um dos grandes do país, nem em termos de torcida, nem em número de títulos (o uruguaio do ano passado foi apenas o 4º de sua história). Internacionalmente, o desempenho é ainda mais modesto. Sua melhor colocação na Libertadores foi em 1989, quando atingiu o 3º posto do torneio. Em suma, deve ser a baba do grupo. Sempre é difícil se enfrentar times uruguaios, mas nossa experiência histórica com os gringos do país tem que nos ajudar.  Aliás, Diego Forlan, filho de nosso ex-lateral-direito da década de 70, foi revelado pelo Danúbio, tal qual jogadores como Cavani e Recoba, por exemplo. Mas hoje, sua principal esperança de gols é outro atacante, com bem menos história e qualidade: Ernesto Farias, ex-cruzeiro e River Plate. Azar deles, sorte nossa.

O terceiro e último integrante da chave será também nosso adversário da estreia, longe do Morumbi. Apesar da ascensão e do bom momento do futebol colombiano, infelizmente e muito provavelmente teremos que ir a Itaquera na primeira rodada. Se por um lado poupamos uma viagem, por outro enfrentaremos um clássico, muitas vezes mais desgastante do que qualquer voo. Além disso, derrotas contra arquirrivais são sempre possibilidades para abertura de crises, desconfianças e críticas. É torcer para que o SCCP não esteja tão encaixado, mediante a troca de presidente e técnico, que devem ocorrer nos próximos dias.

Caso o efeito Tolima ocorra novamente, o quarto integrante deste grupo será Independiente de Santa Fé, Indepediente de Medellin ou Once Caldas. Se não for campeão do 2º turno colombiano, o Santa Fé estará na pré-Libertadores. Caso consiga o título, o classificado passará a ser quem tiver acumulado mais pontos no agregado, entre Medellin e Once Caldas. O nosso algoz de 2004 tem atualmente 2 pontos a mais que o rival, mas este, ao contrário do Once, já esta classificado para a finalíssima.

Um destaque rápido de cada um dos times: o Santa Fé foi semifinalista da Libertadores do ano passado, torneio que teve como campeão o Atlético MG. O Indepediente de Medellin aposta no atacante argentino Germán Cano, artilheiro do atual campeonato colombiano. O Once Caldas ainda conta com o goleiro Henao, 42 anos, ex-santos e carrasco do Tricolor em 2004.

Enfim, esclarecido parte do nosso caminho para o tetracampeonato. Grupo da morte? Se é duro para nós, é ainda mais difícil para eles. Com a mesma disposição mostrada no segundo semestre deste ano e mais alguns reforços, temos tudo para voltarmos a fazer história na América. Que os jogadores deem o sangue e façam deste o grupo de suas vidas.

 

Página do Carlos Miguel Aidar – Curtam a página do nosso presidente no facebook:

https://www.facebook.com/pages/Carlos-Miguel-Aidar/745533575534551?ref=aymt_homepage_panel

 

Wagner Moribe

wmoribe@hotmail.com

twitter.com/wmoribe

 

75 comentários

  1. Excelente coluna moribe, é exatamente o que venho falando, grupo da morte se for para os adversários, unico time realmente bom que teremos é o que vem da pré.

  2. Bem que poderia trazer o Tardelli de volta para o lugar do Kaká, ele evoluiu muito do lado profissional e tático, está jogando muito.

      • falta essa outra parte aqui..
        “Em contato com a reportagem, a diretoria do Atlético disse estar tranquila quanto à situação de Tardelli, que tem mais dois anos de contrato e afirmou que se ele quiser ir embora, é só apresentar uma proposta que o clube julgue suficiente para vendê-lo.”

  3. FCSãoPaulo ‏@BlogdoSaoPaulo agora Rio de Janeiro
    Sueliton não renovará com o Atlético PR e existe uma disputa entre São Paulo, Grêmio e Palmeiras pelo jogador. Mais informações 12h no Blog!

  4. Zanca, a info que tenho é que o Tardelli está descontente com uns pontos da diretoria. Parece q prometeram algo em seu contrato mas não cumpriram…

  5. CAso o Tardelli, saia do galo, vai chover proposta de outros clubes do BR, seria fantastico, poderia dar a taça da Libertas para nós e ja era hahahaha, mas creio ser bem dificil isso ocorrer.

    Iria dar um nó na cabeça do treineiro kkkkkk.

    BOm dia galera :DDDD

  6. bom dia

    apesar de achar o Tardelli um bom atacante, não vejo o menor sentido trazer hoje para o SPFC, temos o Kardec, LF e o Pato

    precisamos de um atacante velocista, técnico e se não for pedir demais inteligente.

  7. e menguinho já cresceu o zóio em cima do dudu do grêmio, já ofereceu 3 milhões de euros para o clube dele lá da Europa.

    vejo o SPFC querendo CX, dudu, tardelli mas to achando q no fim não vai vim nenhum dos 3 rsrs..

  8. lá no site da fox sports na parte dos vídeos do SPFC, só do Citadini acho q tem uns 4 vídeos dele falando alguma do Tricolor, impressionante a obsessão q essa gente tem de nós, não tem um programa esportivo q os dirigentes dos gambás não fala algo do SPFC

    nem perdi o meu tempo vendo os vídeos mas fica aki o relato.

    • Eu vi alguns trechos da entrevista dele ontem e apesar de não gostar nem um pouco dele tem alguns momentos que e inevitável não rir diante de tanta asneira que ele fala. rs rs rs

  9. Bom dia pessoal,

    Muito boa coluna Moribe realmente é uma várzea alguns critérios adotados pelas entidades reguladoras do futebol.

    Com relação à tradição do grupo eu até concordo mais dos últimos 10 campeões da LA só tiveram 4 campeões com tradição no Torneio (São Paulo, Boca, Estudiantes, Santos) no meio do caminho o Inter venceu duas vezes se tornou um time de tradição na competição talvez, todos demais não tinham tradição e conquistaram seu caneco….

    Fosse em outros tempos não encararia nosso grupo como sendo da morte do ponto de vista Tricolor mais nos tempos atuais todo cuidado é pouco, no entanto estou certo de que os torcedores dos outros clubes estão com pé atrás por estarem em nosso grupo…

    Sobre essa especulação do Tardelli eu acho pouco provável que o Atlêtico-MG libere ele para um clube no brasil, ele está jogando muita bola desde o ano passado tem sido convocado para a seleção é conta com prestigio do treinador, sinceramente para o Galo liberar ele hoje para um clube no Brasil me parece meio descabido…Ouvi uns dias atrás que sua esposa via com bons olhos uma saída do país…

    VAMO SÃO PAULO!

  10. Bom dia galera
    Posso esta doidão, mas para mim o Roni, do proprio SPFC joga o mesmo ou um tikito menos que o Dudu
    Acredito que repatriar o muleque seria a melhor opcao
    A nao ser que esteja doidão mesmo e falando asneira

  11. Bom dia galera,

    Boa coluna Wagner, acho que os sorteios de qualquer competição sempre haverá desequilíbrio em determinado grupo com relação a outro não tem jeito. Copa do Mundo e Champions League são bons exemplos disso.

    Antigamente a LIbertadores tinha muito menos time e obrigatoriamente caíamos com um time brasileiro no grupo (Criciúma em 92). Depois com o aumento de números de times praticamente é inevitável pegar algum time brasileiro tanto em fase de grupo ou fase mata-mata.

    Particularmente acho importante cair em um grupo forte pois faz o time entrar ligado logo o começo da competição. Tivemos em grupos fracos em anos anteriores e logo depois ao pegar um time mais preparado, perdíamos. Um grupo forte já faz a diretoria correr atrás de reforços já no começo da competição e não no meio dela e fora que o Muricy já vai ter que fazer o time mostrar serviço logo de cara.

    Vamos ter que entrar com sangue nos olhos e a faca nos dentes neste grupo!

    • Concordo com esse seu pensamento!

      Um grupo forte já faz a diretoria correr atrás de reforços já no começo da competição e não no meio dela e fora que o Muricy já vai ter que fazer o time mostrar serviço logo de cara.

      Vamos ter que entrar com sangue nos olhos e a faca nos dentes neste grupo!

    • Posso estar falando besteira mais acho que atuam em posições distintas..

      Dudu é um atacante/segundo atacante de lado de campo velocista de dribles curtos o Boschilia joga mais centralizado, eu diria que o Boschilia é um meia-atacante não tem tanta velocidade como o Dudu mais tem muito mais visão de jogo e bom passe, considero características bem distintas!!!

      Falando por posicionamento é função dentro de campo acho que o Osvaldo chega mais próximo do Dudu mais apenas no posicionamento é função o futebol está longeeeeeeeeeee..

  12. O Tardeli vai para o time do Cuca, vai ganhar muita grana.

    Entrar em leilao pelo Dudu ñ vale a pena, como disseram, é o Roni um pouco melhorado.

    • Até acho que o Roni possa ter potencial para atuar em nível semelhante/melhor que o Dudu mais hoje não vejo dessa forma não!!

      Acho que o Roni ainda precisa atuar em bom nível numa competição de maior prestigio para que possamos fazer uma comparação entre um é outro…

  13. Legal a entrevista do Falcão, vale a pena conferir…

    http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2014/12/09/falcao-faz-intercambio-no-real-e-ve-ancelotti-e-cia-intrigados-sobre-7-a-1.htm

    Uma de minhas críticas ao Muricy é isso, se atualizar procurar fazer intercambio com treinadores de ponta na Europa. Depois de sair do Santos o que o Muricy fez?

    Ficou de férias até ser chamado de volta ao São Paulo.

    OBS. Não estou falando que quero o Falcão como técnico do São Paulo.

      • O nome do Erick eu considero uma excelente aposta não uma realidade!!!

        Jogar em time médio/pequeno é uma coisa, atuar em time gigante é outra!!!
        Mais eu acho que valeria uma tentativa SIM só não tenho convicção que os especialistas do Morumbi aprovem esse tipo de negócio…

        Ele apareceu bem na Copa São Paulo do ano passado é nesse ano se firmou nos esmeraldinos, só acho que ele deve estar super valorizado é como o time goiano não tem nada de bobo já devem estar pedindo cifras altíssimas pelo atleta…

  14. Olhei o Dudu jogando o Mundial SUb-20 e sendo o 12º jogador, quando o ataque tinha nada menos que Lucas, Neymar, Oscar e Willian José.

    Sempre o Ney Franco o colocava no 2º tempo, pra infernizar o jogo e colocar correria com qualidade pra cima dos adversários.

    Daí porquê o Ney Franco o indicou ao São Paulo quando foi treinador, tempos depois.

    Ao meu ver, quem conseguir contratá-lo estará fazendo um baita negócio. É muito melhor que Osvaldo, Ademilson e Roni, juntos. Boschilia ainda tem que mostrar muito mais pra ser comparado também.

Deixe uma resposta