Nesta tarde ensolarada de domingo , nosso Tricolor foi até a capital baiana encarar o Vitória. Com um time misto de titulares e reservas a expectativa era de trazer de volta a São Paulo os 3 pontos e continuar sonhando com o título do nacional.

O jogo começou movimentado e com muita marcação de ambas as equipes. Porém o primeiro grande lance de chute a gol foi do SPFC. E, em cobrança de falta de Osvaldo, Luis Fabiano saiu da marcação e marcou de cabeça. 1×0 TRICOLOR!

A frente no placar, o Tricolor soube se impor no jogo não dando muitos espaços ao rubro negro baiano, que perdido , deu muitas condições de ampliarmos o placar.

Mais para o final do primeiro tempo, o Vitória começou a chegar um pouco mais e levar perigo a nossa área. Porém, nossos zagueiros estiveram bem postados e impediram qualquer perigo maior. Além disso, participação especial do apitador que sequer marcou faltas claras a nosso favor. Bom , isso vem se tornando comum em jogos do Tricolor. Faltas, só contra nós!

E assim terminou o primeiro tempo. Destaque principal para Luis Fabiano que correu bastante, marcou, livrou-se de marcação e ainda fez o seu gol.

O segundo tempo começou com domínio total do Tricolor. Pelo menos duas chances claras de gol com menos de 5 minutos, desperdiçadas por Osvaldo e Ademilson. Uma pena.

Por volta dos 10 minutos, o Vitória quase marcou em dois lances impressionantes que foram lindamente defendidos por Rogério Ceni. Mas na sequência, Kadu aproveitou uma sobra e chutou de longe , marcando um golaço. A meu ver, dava para RC defender mas a falha maior não foi dele e sim da marcação.

Com a entrada de Michel Bastos o São Paulo conseguiu corrigir um pouco sua marcação , passando a levar mais perigo à área baiana mas ou faltava objetividade ou o goleiro defendia.

E então, aos  32 minutos, numa falha grotesca de Roger Carvalho, LF roubou e tocou para Kaká, que marcou e nos colocou à frente no jogo novamente. 2×1 Tricolor!

O SPFC continuou dominando mas sempre dava uma ou outra chance ao Vitória, que aos 46 minutos quase marcou mas foi parado com defesa (mais uma) espetacular de Rogério Ceni. E aos 48 o juiz apitou o final do jogo. Vitória importante, fora de casa e que nos coloca cada vez mais na briga pelo título. Ainda dependemos de falhas do Cruzeiro mas nossa parte fizemos.

Tem que ter fé. Eu tenho!

Avante meu Tricolor!

 

NOTAS 

Vitória 1×2 São Paulo

 

 Rogério –  Quase não foi incomodado pelo adversário no primeiro tempo, no segundo fez duas defesas extraordinárias em seguida.  NOTA – 8,0

Auro –  Bem, tanto ofensiva quanto defensivamente. Bons cruzamentos.  NOTA – 6,5

Lucão –  Teve uma bobeada no segundo tempo quando furou uma bola fácil, dando chance ao atacante adversário c=dominar e chutar, mas foi salvo pelo nosso goleiro que não deixou a bola entrar .   NOTA – 5,5

Edson Silva – Seguro. Teve boa  participação no comando da defesa tricolor.  NOTA – 7,0

Álvaro Pereira –  Precisa jogar mais para justificar sua condição de titular da seleção uruguaia.   NOTA – 6,5

Denílson – Fez a sua parte e sem erros.  Mandou uma bola na trave em boa participação no ataque.  No segundo tempo deu alguns passes errados, mas não comprometeu. NOTA – 7,0

Souza – Tomou conta do seu setor e ainda teve fôlego para participar de jogadas no ataque. Jogador com boa visão de jogo . NOTA – 7,5

Ganso – Visão de jogo impecável.  Boas articulações no meio do campo, colocando quase sempre o atacante em boas condições de arremate.  Evoluiu demais como jogador. NOTA –  8,5

Ademílson –  Jogo para ele mostrar seu futebol. Não aproveitou a oportunidade, mesmo frente a um adversário tecnicamente mais fraco.  NOTA – 4,5

Luis Fabiano – Boa participação. Não se limitou as jogadas de área, saiu para buscar o jogo e conseguiu bons lances.  Até deu assistência no gol do Kaka. Artilheiro.  NOTA – 7,5

Osvaldo – Algumas poucas boas jogadas no primeiro tempo, mas muito pouco para um jogador que um dia foi titular absoluto.  Péssimo nos cruzamentos e apático na maior parte do jogo.  Um segundo tempo ridículo.  NOTA – 4,5

Michel Bastos  –  Deu qualidade e opções ao time.  NOTA – 7,5

Kaka  –  Boa participação, belo gol.  NOTA –  8,5

Paulo Miranda – Pouco tempo em campo. Nem deu para comprometer .  Nota – Sem nota

 

Muricy Ramalho – O treinador pode não acreditar no “psicológico” para motivar seus jogadores, mas ao menos deveria colocar aos mesmos o quão importante são as vitórias. Muito da apatia do time em vários momentos de muitas partidas é motivado pela postura do treinador.

Não consegue fazer esse time jogar de forma consistente, convincente. Por mais fraco que seja o adversário, nem o mais eufórico torcedor pode apontar o time como favorito, já que o time não convence. NOTA –  4,5

 

Bola Cheia – As ausências do Sub e Vitão.

Os três pontos que são importantes para continuarmos na disputa e conseguirmos a participação na Libertadores.

 

 

Bola Murcha – Para a CBF que faz um time de ponta participar de uma verdadeira maratona em plena reta final de dois campeonatos.

Para a choradeira do Muricy que parece ser o perseguido do ano, como se as tabelas e os regulamentos fossem feitos para prejudicar apenas o SPFC.  Esquece-se o treinador que a desgastante viagem para o Equador só aconteceu porque o time foi desclassificado da Copa do Brasil pelo pífio Bragantino. Tivesse se classificado, as viagens seriam muito menos desgastantes.

Para o apagão que o time as vezes tem em campo, quando parece se importar pouco em ganhar, mesmo que a partida esteja fácil.

 

Análise: Kátia Firmino

Notas, BC e BM : Márcio Maciel

Anúncios