Coluna do José Renato: 15 de agosto, 50 anos atrás o Tricolor fez o Santos de (e com) Pelé fugir de campo.

Jos+® Renato

image001

A década de 1960 ficou marcada para o futebol brasileiro pelo grande domínio do Santos de Pelé.
Durante este período o Alvinegro da Vila Belmiro conquistou todas as edições do campeonato paulista, com exceção de 1963 e 1966.
Foram poucas derrotas.
Por goleada, então, menos ainda.
Agora surras, mesmo, raríssimas.
Com direito a fuga de campo e tudo mais apenas uma.
Coube ao Tricolor impor ao Santos de Pelé a sua situação mais vexatória.
Ela aconteceu em 15 de agosto de 1963.
Naquele dia, o São Paulo entrou em campo com Suli, Deleu, Bellini e Ilzo; Dias e Jurandir; Faustino, Martinez, Pagão, Benê e Sabino.
Já o grande Santos, que seria bicampeão mundial pouco mais de dois meses depois, entrava com todo o favoritismo e escalado com Gilmar, Aparecido, Mauro e Geraldino; Zito e Dalmo; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe.
O estádio era o Paulo Machado de Carvalho, o mesmo que anos antes tinha presenciado o mesmo goleiro Gilmar e todo o time corintiano, correr atrás de Maurinho, após ser inapelavelmente vencido por 3 a 1, nas finais do Paulista de 1957.
Logo aos 5 minutos, Faustino abriu o placar para o Tricolor.
Para o Santos, isto não era nada.
Pelé igualou a partida aos 21 minutos, 1 a 1.
E logo os alvinegros partiram para a virada…
Esqueceram de avisá-los que quem estava do outro lado era o São Paulo.
Em 5 minutos, aos 37´ e 40´, Benê e Sabino marcaram e ampliaram para o Tricolor, 3 a 1.
O futebol do São Paulo atordoou os santistas, e Pelé e Coutinho foram expulsos por reclamação.
Veio o segundo tempo e Aparecido, jogador santista, sequer voltou a campo.
Prenúncio que algo já tinha sido planejado.
O Santos entrava com 8 jogadores em campo.
Aos 7 minutos, Pagão, ex ídolo santista marcou o quarto gol do São Paulo.
Até que veio o maior papelão que uma equipe pode fazer.
Pepe e Dorval começaram a simular contusões.
O atual campeão mundial mostrava ao mundo que sabia ganhar, mas perder…
O árbitro precisou acabar a partida no principio do segundo tempo por falta de jogadores santistas.
Uma vergonha para aqueles que amam o futebol.
Para o Santos de Pelé, bem? Melhor mudar de assunto, não é mesmo?
Para o São Paulo, apenas mais uma lição de que jogo se ganha em campo.

Por: José Renato

76 comentários

  1. Quem viveu esse dia, disse que foi magnifico.

    Alias, o Santos poderia ter saído de campo há algumas semanas atrás contra o Barcelona, porque o negócio foi feio … rsrsrsrsrsrsrs

  2. Sub disse:

    Vitão, você sabe muito bem que posso também creditar a ele algumas eliminações. Aliás, o número de eliminações causadas é maior que o número de títulos conquistados por mérito dele.
    Mas, o problema maior está na não existência de algum goleiro que pegaria a responsa de jeito em nosso elenco
    Ele, por mais que não seja mais o ideal, é o melhor que temos para agora.

    ————————————————————–
    Discordo completamente, vc falou besteira.
    Todos os times em grande fase ou não são mais eliminados do que ganham títulos, salvo raríssimas exceções como o São Paulo de Telê e o Barcelona de Messi no ano retrasado.

    Aqui no Brasil um time disputa em média 4 campeonatos por ano, ou dependendo até 5.

    Se ganhar só a Libertadores e o Mundial ganhará 2 títulos, se for um time paulista terá perdido o Paulistão, o Brasileirão e talvez outro torneio que disputar.

    Isso aconteceu com o São Paulo de 2005, com os travecos o ano passado e com vários times, se 1 time não ganhar todos os campeonatos que disputar no ano, automaticamente terá uma, duas, três, quatro ou até cinco eliminações.

    Vc está embarcando na história dos cúrinthianos que só vêem as eliminações, coisas que acontece todos os anos com todos os times que não tenham ganho todos os campeonatos que disputaram.

    Esse ano mesmo, isso irá acontecer com todos os times ou vc acha que o Atlético MG que no caso ganhou a Libertadores e o Campeonato Mineiro ganhará também o Brasileirão e o Mundial?

    • Vitão, que exagero.
      Só digo que ele foi responsável por algumas eliminações, sim. Onde acabou sofrendo gols que não deveria nas finais.
      Só isso.
      Acho que para os demais campeonatos, ele foi extremamente importante.
      Um dos mais importantes da história do futebol mundial.
      E, principalmente, porque foi pelo São Paulo!

      • Beleza, entendido, ele foi responsável por algumas eliminações como todos os outros foram umas mais outras menos, isso é normal de acontecer, tem algumas que eu nem concordo que ele foi, mas isso é outra história.

        Valeu, vou nessa, té mais….

  3. Eder – Fernandópolis disse:
    14 de agosto de 2013 às 12:07
    O Vitão estava lá com certeza! rsrs

    —————————————–

    Acho que vc confundiu, o Vitão e o Sato não são as mesmas pessoas….

    Entendeu ou quer que o Faninho desenhe?

    Mas gostaria de ter estado neste jogo.

  4. Sub:

    Se o Rogério, que é o jogador da atualidade, que jogando aqui no Brasil foi quem mais ganhou títulos, foi eliminado várias vezes, imagine então aqueles que ganharam bem menos títulos que ele, independente de qual time joga quantas eliminações tiveram na proporção, com exceções dos mais novos que estão começando agora e disputaram poucos campeonatos????

  5. Boa tarde

    Qto ao valor das entradas, ótima idéia mas a tal informação de 25 mil vendidos não existe.

    Aqui está a info q acabou de sair..

    …com a promoção anunciada pelo clube no fim da tarde de terça, o Tricolor viu o número de ingressos pular de apenas 600 comercializados antes da iniciativa para mais de 8 mil até o início da tarde desta quarta

    http://www.lancenet.com.br/minuto/Paulo-venda-ingressos-pular-quase_0_974302611.html

  6. Acho que ficaram cismados com a minha mandinga e pintaram as laterais do Blog de branco só para tirar a zica e o São Paulo ganhar.

    É o véio Sato muquirana regulando a grana ao invés de liberar para pintarem toda a parede do Blog.

  7. Ontem na ESPN estav passando aquele programa acho q chama “A bola da vez” e o entrevistado era o Antonio Carlos Zago.

    Muito boa entrevista, entre outras coisas ele disse q a venda dele p/ o Albacete não foi esquema da parmalat, mas sim decisão dele já q o SP não queria renovar o contrato dele com maior salário.
    Tbém afirmou q esta decisão ele tomou pq era muito jovem e inexperiente e que se arrepende até hj da decisão pq deixou ser campeão do mundo com o SP.

    Tbém disse qdo perguntado sobre o melhor dirigente com quem já trabalhou, que o Kalef do SP tinha sido o melhor, apesar da briga entre os dois anos mais tarde por causa daquela briga no Morumbi entre Válber e Edmundo.

    • Realmente interessante a entrevista. Gostei.

      Falou também do caso Geovanio e só não quis falar do caso com o Ronaldo traveco. Tem coisa ai.

  8. Bom galerinha do blog, vou nessa trabalhar e quando puder estarei no ar novamente.

    Energia positiva eeeeee o Morumbi te espera.

    Até.

  9. Quem disse isso?

    “Lição número 1: Calma! Nós vamos ganhar! Segunda palavra: dêem o máximo que vocês podem. Se cada um de nós der o máximo que pode, nós vamos chegar onde queremos. Aqueles caras lá em cima queriam ser vocês! Eles sonham e desejam ser cada um de nós. Por eles todos nós vamos correr até o final. Todos nós! Juntos o tempo todo! Até a vitória! Até consolidar a vitória! Subam e dêem o máximo! O que vocês tem no fundo da alma deixem no campo de jogo!”

  10. Esta fase que estamos passando me lembra um pouco a campanha do tri-hexa. Mas como assim, agora estamos na pindaíba e naquela época estávamos ganhando títulos.
    O que digo é em relação a mídia e aos rivais, estão todos secando o SP, querendo que o time se f… antes era para não ganhar o inédito TRI agora torcem para um inédito rebaixamento.

    Mas com amor, fé, torcida, SPFC contra tudo e todos…

    Salve o Tricolor Paulista amado (e odiado)…

    VAMOS SÃO PAULO!!!

  11. Renato, partida épica, eu estava la com os meus 15 anos,foi uma vergonha do peixe, se me lembro bem, o gol de Pagao foi de calcanhar. Pagao, há Pagao, quanta classe e elegância. Que lembrança maravilhosa você nos trouxe.

    • Os jogos eram transmitidos ao vivo, mas não havia o vídeo-tape. Mesmo assim, muitos jogos gravados foram depois perdidos, ora por incêndio, ora por má conservação e descaso das emissoras.

  12. Com esse zagueiro [Roger Carvalho] nós já conversamos, mas desta vez não será ele. O zagueiro que vou contratar é o do Botafogo, Antonio Carlos. Está conversado, precisa se passar alguns detalhes que ainda estão por definir. Será um empréstimo”, disse o presidente Juvenal Juvêncio.

    • O Joao Felipe também veio do Botafogo (2011) numa condição similar: carencia imediata de zagueiros. O JF agradou na época. Depois, começou a jogar como o Lúcio. Aí o Adalberto, nao satisfeito com a copia, trouxe o Lúcio original e deu no que deu.

  13. “Amigo es aquel que esta contigo en la buenas y malas el que aplaude tus triunfos y te apoya en tus fracasos eso es ser un buen amigo.”

    Seria o torcedor um amigo?

    Temos q prezar nossa “Amizade” pelo SPFC, rsrs

  14. O Antonio Carlos se eu não me engano joga pela direita… o Rafael Tolói, Paulo Miranda que são nossos melhores jogam por ali… precisamos de um pela esquerda… chega de improvisações pelamor…

    • Mas enfim, gostei da contratação, tem raça, melhor que Edson Silva, estilo Paulo Miranda só que melhor de cabeça… Jadson trata de treinar escanteios meu filho, o garoto entende do assunto…

  15. Caso realmente contratem o Antonio Carlos é bom que tenhamos em mente que se trata de um jogador apenas razoável, nada melhor do que os zagueiros que temos atualmente no elenco.
    Será apenas mais uma opção, e não um avanço.

Deixe uma resposta